- Publicidade -
- Publicidade -
23.2 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Servidores públicos de Camboriú paralisam nesta quinta e sindicato pelo apoio da comunidade

Com a greve anunciada para quinta-feira (10), motivada pela falta de pagamento de parte dos reajustes salariais previstos na data base aos servidores efetivos, o clima é de preocupação para quem utiliza o serviço público em Camboriú.

A paralisação foi decidida em assembleia geral do funcionalismo público de Camboriú, na última sexta-feira (4), porque as várias tratativas com o prefeito Élcio Kuhnen não avançaram.

A presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Camboriú (Sisemcam), Luciana Sobota, disse que a falta de compromisso com o serviço público passou no limite aceitável.

- Publicidade -

“Falta pagar 8,84 % do repasse do Fundeb aos profissionais da educação e 5,2 % aos trabalhadores do quadro geral”, afirmou.

Até o momento, a prefeitura de Camboriú não chamou os servidores para discutir sobre a negociação da data base.

Segundo o Sisemcam, o problema está refletindo inclusive no ano letivo que começou segunda-feira (7), com falta de trabalhadores da educação nas escolas.

O Sindicato dos Servidores Municipais de Camboriú que denúncias nestesentido, informou que dezenas de professores ACTs (contratados em caráter temporário), não foram chamados até agora.

“É problema com os efetivos, com temporários, falta gestão. Por isso é importante que os pais entendam nosso movimento e também cobrem da prefeitura mais responsabilidade.”, explica a presidente do Sisemcam, Luciana Sobota.

Fonte: Assessoria Sisemcam

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -