- Publicidade -
16.1 C
Balneário Camboriú

Viva Bicho, uma história de 18 anos

Abrigo é lar de 550 animais

- publicidade -

Leia também

- Publicidade -

A ONG Viva Bicho, fundada em 2003 em Balneário Camboriú, é considerada pela prefeitura serviço de utilidade pública.

A história da entidade se cruza com a da voluntária e integrante da atual diretoria, Patrícia Ferreira, que é atuante na causa há mais de 10 anos.

O que mais marcou no ano

- Publicidade -

“Um dos casos que mais me marcou nesses anos todos foi o abandono de uma família de seis cães, em um lixão, há uns três anos. Conseguimos socorrer todos, que foram amparados e adotados”, relembra.

O abrigo

Ela conta que no abrigo da ONG, que fica no Bairro Nova Esperança, vivem hoje cerca de 550 animais, sendo 150 gatos e 400 cães – todos castrados (nenhum animal é adotado sem ser castrado ou possuir termo para castração futura [gratuitamente], no caso dos filhotes; todos também são vacinados e microchipados).

Há filhotes, adultos, idosos e de todos os portes, de raças e sem raça definida, os viralatas. A média de adoção e abandonos é a mesma: 70 por mês.

“Infelizmente ainda acontecem muitos casos de abandonos e maus tratos aos animais em Balneário. Essas pessoas que fazem isso não merecem ter animal. Na verdade, os animais não merecem pessoas assim”, opina Patrícia.

Patrícia Ferreira, da Viva Bicho (foto Arquivo pessoal)
Os cães no Viva Bicho (foto Viva Bicho)
- Publicidade -

Segundo ela, também são comuns os casos de pessoas que adotaram animais na ONG e decidem devolvê-los.

“Acontece bem seguido. A maioria tenta de todas as formas nos obrigar a aceitá-los de volta, ameaçam que vão abandonar na rua. O que tentamos fazer é oferecer ajuda para a pessoa conseguir um novo lar para o animalzinho, ajudando a pessoa a ajudar o animal”, acrescenta.

A Viva Bicho foi afetada pelo ciclone bomba que atingiu Balneário Camboriú em 2020 e desde então luta para reconstruir/reformar alguns de seus canis. A ONG depende do apoio da comunidade. Recentemente, foi construída uma maternidade e a entidade tenta agora iniciar a construção de um canil só para filhotes.

Apoio

“Precisamos de apoio financeiro em qualquer valor ou então doação de qualquer tipo de material de construção, tijolo, cimento, areia, forro etc. Aceitamos também doação de produtos de higiene e limpeza, assim como medicação”, afirma.

(foto Viva Bicho)
  • Quem quiser ajudar a ONG pode doar diretamente para a conta: Banco do Brasil, Agência 1489-3, conta corrente 50793-8, CNPJ 06.156.776/0001-81. A Viva Bicho recebe visitas no abrigo (localizado na Av. José Alves Cabral, 104, Bairro Nova Esperança) de segunda a sábado das 8h às 12h e das 14h às 17h.
  • Para adotar um animalzinho é necessário apresentar comprovante de residência e documento com foto.
- Publicidade -

Jornal Página 3 nas redes

39,752FãsCurtir
18,100SeguidoresSeguir
6,508SeguidoresSeguir
12,000InscritosInscrever
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -