- Publicidade -
15 C
Balneário Camboriú

Audiência Pública Virtual debaterá Segurança Hídrica e Desenvolvimento Sustentável de Balneário Camboriú na segunda-feira

- publicidade -

Leia também

- Publicidade -

A Audiência Pública Virtual está prevista para iniciar às 18h30 de segunda-feira (24) para tratar do projeto 13/2021, de autoria de André Meirinho, que propõe a Política Municipal de Segurança Hídrica e Desenvolvimento Sustentável.

(Foto Renata Rutes)

Os prefeitos de Balneário e Camboriú, Fabrício Oliveira e Elcio Kuhnen, confirmaram presença, assim como autoridades ligadas ao assunto e o Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Rio Camboriú e Bacias Contíguas. A comunidade também pode – e deve- participar.

Prefeitos devem participar

- Publicidade -

O vereador André Meirinho falou sobre o assunto esta semana na Câmara, citando estudos feitos pelo engenheiro e ex-secretário de Planejamento de Balneário Camboriú, Edson Kratz, indicando que a cidade avança para ter, futuramente, mais de 600 mil habitantes – número que circula atualmente entre o Natal e o Ano Novo.

Não só o município não comporta, como não há água suficiente para um número como esse. Estudos feitos pela Univali citam que, se nada for feito quanto o Rio Camboriú, sistema de esgoto, captação, etc. as duas cidades sofrerão um colapso hídrico entre 2025 e 2027.

“O prefeito Fabrício Oliveira me falou que vai procurar estar presente. Mandei o convite para Camboriú e disseram que talvez até o prefeito, Dr. Elcio, participe. É muito importante, mesmo sendo política municipal, que haja uma conversa com Camboriú também, não temos como não incluir as duas cidades nesse processo”, diz Meirinho.

Comunidade precisa debater o tema

(Foto Renata Rutes)

Na Audiência, quem falará pelo gabinete de Meirinho será a assessora parlamentar Kelli Cristina Dacol, que é sua colega de Doutorado e é especialista em Recursos Hídricos.

- Publicidade -

“Ela vai apresentar o nosso projeto. Haverá ainda fala do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Camboriú e Contíguas, através do presidente Gilmar Pedro Capelari, do diretor geral da Emasa Douglas Costa Beber e também do professor Marcus Polette da Univali e coordenador do Programa Estuário do Rio Camboriú 2030. Esperamos também que a comunidade opine, porque o debate precisa acontecer”, explica, salientando que queriam que o evento fosse presencial, mas não tem como adiá-lo mais, porque o tema é urgente.

Emasa tem papel importante no assunto

(Foto Renata Rutes)

O diretor-geral da Emasa, Douglas Costa Beber, vai participar do evento e destaca que, por serem responsáveis pela captação, abastecimento e distribuição de água para Balneário e Camboriú, tem um ‘papel importantíssimo’.

“A crise hídrica é um real problema que assola municípios do Brasil, e vamos participar para ouvir e entender o conceito técnico ao redor do tema e ouvir também os anseios da comunidade. Vamos apresentar todo o trabalho e melhorias que fizemos, desde captação, tratamento, uma operação totalmente nova, e especialmente os projetos que temos em desenvolvimento, que vem para enfrentar esse problema, que é a crise hídrica”, afirma.

Comitê Camboriú: “Deveríamos estar executando as ações”

A Consultora do Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Rio Camboriú e Bacias Contíguas, Aline Antunes, destaca que a água é o bem mais precioso e que sem ela não há bem estar social, economia, turismo e desenvolvimento.

“A disponibilidade de água em quantidade e qualidade adequada para a população de Balneário Camboriú e Camboriú é assunto prioritário e deve ser debatido entre a comunidade e os gestores municipais. Não podemos esperar faltar água na torneira para agirmos, não podemos fechar os olhos para esse grave problema previsto para daqui quatro anos, a ciência é clara e objetiva e precisamos nos apoiar nela”, analisa.

Aline vê que trazer o assunto de forma pública, em uma audiência como a que vai acontecer, é ‘absolutamente necessário’.

“Na verdade, nem há mais tempo para discussão, deveríamos estar executando as ações para se evitar a crise hídrica prevista para daqui a poucos anos. A construção do Parque Inundável Multiuso, por exemplo, apontada como a alternativa mais eficiente e vantajosa para solucionar os dois graves problemas hídricos da Bacia (enchentes e falta d’água), demoraria alguns anos para a sua finalização, e já deveria ter iniciado”, lembra, acrescentando que o Rio Camboriú mostra ‘sinais claros de poluição e baixa vazão’.

As inscrições para a Audiência Pública seguem até segunda-feira (24) às 13h, através deste link: clique aqui.

Os inscritos deverão ter o aplicativo Zoom instalado no computador ou celular e receberão por e-mail, uma hora antes da audiência, o link que dará acesso à sala virtual da audiência. o evento também será transmitido pela TV Câmara, a partir das 18h30.

- Publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -