- Publicidade -
- Publicidade -
20 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Projeto de pesquisa de Balneário Camboriú recolheu mais de 70 quilos de resíduos em costão de Taquaras

Mais de 70 quilos de resíduos foram retirados da Praia da Galheta, em Taquaras, nesta sexta-feira (1), em ação de educação ambiental, que faz parte do Programa Bandeira Azul, que a Secretaria do Meio Ambiente realiza nas três praias de certificação internacional (Taquaras, Estaleiro e Estaleirinho).

Os principais tipos de resíduos encontrados nesta sexta foram materiais de pesca (linhas, cordas, iscas), plásticos (sacolas, tubos de pvc, isopor), resíduos de churrasco (carvão, embalagens de carne, garrafas de cerveja).

O trabalho foi comandado pelos professores do curso de Oceanografia da Univali, Adriano Marenzi e Ewerton Wegner, ambos do Laboratório de Estudo dos Ecossistemas Costeiros.

- Publicidade -

A Univali é responsável pelo projeto científico de amostragens e quantificação dos resíduos nos costões (regiões de transição entre os meios terrestres e marinhos) que passou a integrar a limpeza urbana do Município em 2023. 

Nesta sexta-feira, eles apresentaram os objetivos e resultados do projeto até o momento para quem participou da limpeza no costão.

Eles também ensinaram sobre o ecossistema de costão rochoso e as espécies de animais que o habitam. Mais que fazer a limpeza dos costões, o projeto objetiva utilizar os dados obtidos para o desenvolvimento de pesquisas científicas, visando ações que reduzam os impactos do lixo marinho. Estavam presentes estudantes de Oceanografia e de Biologia.

O professor e pesquisador Ewerton Wegner disse que o trabalho que a Univali vem fazendo alcançou 25 costões em Balneário Camboriú.

“Nestes pontos são feitas amostragens e quantificação dos resíduos. Normalmente, encontramos muito material de pesca, utilizado no apoio das embarcações, na maricultura. Mas também muito resíduo trazido pelo mar. Temos identificado cada local com uma característica de resíduo diferente”, disse Ewerton.

Ele destacou que alguns dos resíduos encontrados, como carvão, embalagem de carne e garrafas de cerveja, indicam que o costão é usado para acampamentos e churrascos. 

A Secretaria do Meio Ambiente de Balneário Camboriú, que acompanhou a limpeza, enfatiza que é proibido acampar e fazer churrascos nas praias e costões rochosos.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -