- Publicidade -
- Publicidade -
25 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

PF faz operação contra coiotes que levam migrantes ilegais aos EUA

A Polícia Federal faz na manhã desta quinta-feira (6) uma operação contra coiotes, como são chamadas as pessoas responsáveis por levar migrantes ilegais para os Estados Unidos pela fronteira com o México.

São cumpridos 12 mandados, sendo nove de busca e apreensão e três de prisão preventiva, em endereços ligados aos investigados, nas cidades de Goiânia e Anápolis, em Goiás. Um dos investigados teve o nome incluído na difusão vermelha da Interpol, segundo a PF. Os mandados foram expedidos pela 11ª Vara da Justiça Federal de Goiás.

Segundo a investigação, está comprovado que o grupo coordenou a entrada ilegal em território norte-americano, via fronteira com o México, de pelo menos 448 brasileiros, que foram detidos por autoridades migratórias norte-americanas e deportados ao Brasil.

- Publicidade -

De 2018 a 2023, os investigados movimentaram altos valores, provenientes dos pagamentos efetuados pelas pessoas que contratavam os coiotes para entrar ilegalmente nos Estados Unidos.

De acordo com a PF, além de Goiás, a organização criminosa tinha membros em outros estados e também nos Estados Unidos, responsáveis por receber aqueles que conseguiam cruzar as fronteiras de forma ilegal.

Mesmo com o pagamento dos valores cobrados, muitos desses migrantes não conseguiram cruzar a fronteira do México com os Estados Unidos, sendo detidos e deportados para o Brasil.

A Agência de Investigações de Segurança Interna (Homeland Security Investigations – HSI), da Embaixada dos Estados Unidos em Brasília, compartilhou informações com a Polícia Federal do Brasil ao longo da operação, batizada de Dark Route, como parte da cooperação policial entre autoridades norte-americanas e brasileiras.

Os investigados, segundo a PF, podem responder pelos crimes de promoção de migração ilegal, lavagem de dinheiro e associação criminosas, cujas penas somadas podem ultrapassar 18 anos de reclusão.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -