- Publicidade -
- Publicidade -
26.1 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Cláudio Castro elogia Lula em meio a fissuras no PL entre Valdemar e Bolsonaro

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) – O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL), elogiou o presidente Lula e o chamou de “político experiente”.

A declaração, dada no contexto das chuvas que atingiram o estado no fim de semana, vem na esteira dos elogios feitos pelo presidente do PL, Valdemar Costa Neto, ao mandatário petista e que desagradaram o ex-chefe do Planalto Jair Bolsonaro, correligionário do líder partidário e do governador fluminense.

“No momento de crise, pouco importa o lado político. Vejo como natural Lula ter procurado o Paes primeiro. Mas ele não deixou de me ligar quando eu o procurei. Um político experiente não faria nada contra o povo para me atingir. Ainda mais pela grandeza do cargo. Eu não ataco, não sou inimigo dele, nunca fomos”, disse Castro, em entrevista à CNN Brasil nesta terça-feira (16).

- Publicidade -

Na sexta-feira (12), Valdemar elogiou Lula pela escolha do ex-ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Ricardo Lewandowski para comandar o Ministério da Justiça. A declaração causou revolta a Bolsonaro, que chegou a mencionar a possibilidade de “implosão do partido” por “declarações absurdas”.

Bolsonaro se filiou ao PL em novembro de 2021, após ter passado dois anos sem partido. Na eleição passada, o partido que era tradicionalmente do centrão aumentou exponencialmente seu espaço na Câmara, o que também impulsionou o acesso da sigla aos fundos eleitoral e partidário.

Hoje, o PL é o partido com a maior bancada da Câmara. Há, porém, entraves entre bolsonaristas e membros da sigla que já estavam na legenda antes da chegada do ex-presidente -como é o caso de Cláudio Castro.

O governador do Rio entrou para o PL em maio de 2021, ainda no seu primeiro mandato no Palácio Guanabara. Embora sempre tenha se colocado como um político conservador de direita, o chefe do Executivo estadual já teve momentos em que preferiu manter certa distância de Bolsonaro para não atrapalhar seus planos políticos no Rio.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -