- Publicidade -
- Publicidade -
23.2 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Cooperativas de catadores de recicláveis já podem se credenciar para o CVM de Balneário Camboriú

Vereadora também opinou sobre importância de recicladoras se concentrarem em uma só área da cidade

Cooperativas de catadores têm até o dia 13 de novembro para se credenciarem junto da prefeitura de Balneário Camboriú, se quiserem participar do Centro de Valorização de Materiais (CVM). 

O governo municipal vai contratar uma cooperativa para coordenar os trabalhos no local, que fica anexo ao aterro sanitário, no Bairro Canhanduba, em Itajaí, via Edital de Credenciamento 013/2023.

A secretária do Meio Ambiente de Balneário Camboriú, Maria Heloísa Lenzi, explica que o CVM vai ser a central de reciclagem de Balneário Camboriú, onde todo o resíduo da Ambiental irá para esse local, salubre e organizado. 

- Publicidade -

“O CVM é extremamente moderno, para facilitar que o trabalho dos catadores seja mais rápido, produtivo e seguro. Com a operação do CVM, a tendência é que haja uma produtividade maior e também rentabilidade maior para catadores envolvidos no processo junto da cooperativa. O espaço do CVM já prevê ampliação da coleta, com condição de receber muito mais resíduos do que recolhemos hoje, pois conseguiremos esclarecer para a população para onde vai o resíduo e benefícios que a reciclagem traz ambientalmente e socialmente, esperando assim que os moradores tenham mais consciência e separem seus resíduos”, explica.

Heloísa pontua que é importante que as cooperativas se organizem para participarem do edital, que segue aberto até 13 de novembro. 

“Vamos escolher uma única cooperativa para entender como vai ser o funcionamento neste primeiro ano”, acrescenta.

Carrinhos abandonados pelas ruas (Divulgação)

Saiba como as cooperativas podem se inscrever

Podem se cadastrar, até 13 de novembro, entidades de catadores de recicláveis que sejam constituídas exclusivamente por pessoas físicas de baixa renda. 

As inscrições devem ser feitas na Secretaria do Meio Ambiente, localizada no fim da Alameda Delfim de Pádua Peixoto, dentro do Parque Raimundo Malta, no Bairro dos Municípios, em Balneário, de segunda a sexta-feira, das 13h às 19h. 

Os interessados devem apresentar a documentação descrita no edital, que está publicado no site https://www.bc.sc.gov.br , na aba Licitações, e pode ser lido no link https://tinyurl.com/3dd399wm, em um único envelope. 

Trabalhos que serão realizados

Segundo a prefeitura, a cooperativa contratada irá atuar na recepção, triagem, prensagem, enfardamento, armazenamento e comercialização dos materiais provenientes da coleta seletiva – que é feita pela empresa Ambiental. 

- Publicidade -

A cooperativa escolhida irá atuar no CVM, no Bairro Canhanduba, em Itajaí, e é o local para onde serão encaminhados os resíduos recicláveis.

Quem pode participar

Podem participar da seleção cooperativas de recicladores cujos cooperados estejam cadastrados como catadores na Secretaria do Meio Ambiente ou Secretaria de Desenvolvimento e Inclusão Social (com, no mínimo, 26 cadastrados). 

Os cooperados devem residir em Balneário Camboriú, Camboriú, Itapema ou Itajaí.

Durante os seis primeiros meses de contrato com a entidade selecionada, Balneário Camboriú repassará recursos financeiros para o pagamento dos custos operacionais do CVM (contas de água, luz, internet, transporte, EPIs e outros custos iniciais). A vigência do contrato será de 12 meses, a contar da data da assinatura, podendo ser prorrogado até 60 meses.

Vereadora quer empresas de recicláveis centralizadas em uma só área da cidade

A vereadora com o Comandante da PM (Diuvlgação/Gabinete Juliana Pavan)

A vereadora Juliana Pavan também está tratando do assunto – mas focada nas empresas recicladoras, algumas já denunciadas por envolvimento com o tráfico de drogas. 

As forças de segurança já fizeram operações porque há informações que dão conta de que muitos usuários de drogas furtam portões, grades, fiação etc para trocar por drogas diretamente nas recicladoras.

Juliana aponta que é uma cena comum, ao passar pelas ruas centrais de Balneário Camboriú, carrinhos de supermercados, geralmente furtados, e carrinhos próprios para objetos recicláveis, parados nas esquinas comercializando o material reciclável. 

“Em praticamente todos os bairros da cidade, ferros velhos também negociam os objetos. A atividade tem trazido problemas como a produção de lixo nas ruas e me preocupo, por isso solicitei ao Executivo a criação de uma área específica para o comércio de recicláveis. Centralizar esse comércio em um só lugar vai ajudar também na fiscalização das empresas que funcionam na ilegalidade, fazendo a receptação de objetos roubados como portões, por exemplo”, comenta.

A vereadora também esteve reunida com o Comandante da Polícia Militar de Balneário Camboriú, Tenente-Coronel Rafael Vicente, que disse que a indicação de Juliana é ‘excelente’, porque resolveria vários problemas de uma só vez. Ele conta que são registradas ocorrências diárias de desordem com uso de drogas e brigas por parte de algumas pessoas que se dizem recicladores. 

“Centralizar a compra e venda vai melhorar a fiscalização e poderá organizar o segmento”, pontua. 

Segundo o Comandante, nas ruas 1.000, 904, 902 e nas esquinas da Avenida Central, ocorrem os principais registros envolvendo os recicladores.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -