- Publicidade -
- Publicidade -
25.3 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Centro de Referência Municipal de Atendimento à Dengue abre nesta quinta-feira, em Balneário Camboriú

Já são mais de 100 casos da doença e mais de 300 esperando resultado

Conforme anunciado pelo secretário de Saúde de Balneário Camboriú, Omar Tomalih, iniciam nesta quinta-feira (29) os atendimentos no Centro de Referência Municipal de Atendimento à Dengue, que estará localizado no antigo pronto-socorro do Hospital Ruth Cardoso, no Bairro dos Municípios. 

O local atenderá exclusivamente aos pacientes que apresentam sintomas de dengue – lembrando que a cidade já conta com mais de 100 casos da doença e mais de 300 aguardando resultado.

O Centro estará aberto de segunda à sexta-feira entre 7h e 19h e a estrutura terá espaço para o cadastro, triagem, consultórios médicos e área de hidratação. 

- Publicidade -
(Divulgação/PMBC)

Para ser atendido, é necessário ser morador de Balneário Camboriú, ter cadastro ativo no Sistema Único de Saúde (SUS), apresentar comprovante de residência e documento com foto. Aos finais de semana, período noturno e feriados, quem precisar de atendimento presencial pode procurar a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro das Nações – rua Israel nº 205, o Pronto Atendimento da Região Sul (PA da Barra) – rua Jardim da Saudade nº 1500, além do Pronto Socorro do próprio Hospital Ruth Cardoso.

O prefeito Fabrício Oliveira disse que a iniciativa se deve ao  avanço da Dengue, Zika Vírus e Febre Chikungunya em toda Santa Catarina e no Brasil. 

“Antes mesmo de qualquer anúncio de emergência, como outras cidades já o fizeram, Balneário Camboriú antecipa o funcionamento do Centro de Referência à Dengue como forma de prevenção e como uma estratégia de enfrentamento da doença”, disse.

O secretário de Saúde, Omar Tomalih, salientou que se preocupam com o aumento no número de casos suspeitos, que geram aumento na procura nas portas (unidades de saúde), e para auxiliar nisso, estão abrindo o Centro de Referência Municipal de Atendimento à Dengue. 

Porém, com a grande procura, todos os lugares tendem a ter um tempo maior de espera, o que gera reclamações. 

“Por isso, é importante que as pessoas usem o serviço de telemedicina (para acessar a consulta online basta contatar o número de WhatsApp 0800 888 6556), onde é atendido em casa, pelo celular e não precisa ir até o hospital ou unidade de atendimento. Pela telemedicina consegue atestado, e também se precisar de exame, de medicação, tudo é resolvido”, informou.

Prevenção

- Publicidade -

– Elimine qualquer objeto que possa acumular água, como as partes de garrafas de vidro utilizadas em cima dos muros;

– Evite cultivar plantas que acumulam água, como bromélias;

– Mantenha a caixa d’água com a tampa completamente vedada;

– Cubra o extravasor de água (popularmente conhecido como ladrão) com tela e retire a água da laje;

– Mantenha as calhas limpas e secas, com inclinação adequada para o escoamento total da água;

– Não esqueça de manter sempre vedados os locais de armazenamento de água, e lave com escova a

parte interna, pelo menos, uma vez por semana;

– Não acumule pneus velhos. Se tiver pneus, mantenha-os secos e abrigados da chuva;

– Mantenha os ralos vedados e desentupidos;

– Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se for usá-los, coloque areia até a borda;

– A água da piscina precisa ser tratada com cloro, ao menos, uma vez por semana;

– Troque a água dos animais diariamente e lave com escova os potes de água e comida uma vez por semana;

– Descarte o lixo corretamente. Acondicione-o em sacos bem vedados e fora do alcance dos animais até o recolhimento.

– Para fazer a denúncia de locais com suspeita de foco do mosquito, é preciso entrar em contato com a Ouvidoria Municipal por meio dos números: (47) 3267-7024 e (47) 9 9982-1979 (WhatsApp) ou no 0800 644 3388.

Sintomas

Os principais sintomas são febre, cefaleia, mialgia (dor muscular), artralgia (dor nas articulações), dor de cabeça. Podem ocorrer, também, náuseas, vômitos e manchas vermelhas na pele. Em algumas pessoas, a doença pode evoluir para formas graves, apresentando manifestações hemorrágicas. A dengue é transmitida pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti infectada com o vírus. O Aedes aegypti também é transmissor do vírus da zika e da chikungunya.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -