- Publicidade -
- Publicidade -
23.2 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

“A semente foi lançada”, diz secretário de Segurança sobre a Guarda de Balneário atender Camboriú

A sugestão partiu do vereador John Lenon do vizinho municipio, que protocolou projeto nessa semana

O secretário de Segurança de Balneário Camboriú, Antônio Gabriel Castanheira Junior, considera a possibilidade viável, mas adiantou ao Página 3 o que precisaria ser feito para permitir a atuação da Guarda Municipal de Balneário Camboriú no vizinho municipio, conforme proposto pelo vereador John Lenon Teodoro (saiba mais aqui).

O vereador Lenon propôs na Câmara um convênio de cooperação técnica com a Secretaria de Segurança Pública de Balneário Camboriú para viabilizar o trabalho.

Ele também se reuniu com o secretário Castanheira, para tratar do assunto.

- Publicidade -

“O vereador Lenon nos visitou para conhecer a nossa estrutura, conversamos sobre os problemas de segurança, expliquei um pouco para ele que vai chegar o momento em que as cidades da região vão ter que fazer um plano de segurança integrado, porque uma coisa envolve a outra e as cidades são muito próximas e mais ainda Balneário e Camboriú”, disse Castanheira.

O secretário reforçou que teria que ser feito um termo de cooperação técnica e que não seria rápido, exigindo aprovação do prefeito Fabrício Oliveira, possivelmente da Câmara de Vereadores e ainda a contratação de mais guardas municipais.

“Seria necessário mais guardas para não perder o trabalho que fazemos em Balneário e dar o suporte em Camboriú. A Guarda Municipal é um reforço na segurança, é o que vemos em Balneário Camboriú e também na região – Itajaí, Itapema e Porto Belo estão sendo agraciadas com a Guarda Municipal e trabalhando com uma doutrina moderna, a polícia municipal, e sempre agrega”, acrescenta, citando que ‘a semente foi lançada’ e que precisam ver ‘o que é bom para as duas cidades’.

Castanheira comentou que atualmente se uma perseguição inicia em Balneário e termina em Camboriú, não há impedimento dos guardas entrarem na cidade vizinha – há alguns anos isso era diferente.

“A gente não vai parar, mas claro que avisamos pelo rádio a Polícia Militar que estamos entrando no município de Camboriú, mas não vamos parar um acompanhamento em virtude de limites territoriais, isso não vai acontecer. Mas comunicamos a Central da PM, inclusive para pedir apoio, pois a PM é responsável por Camboriú”, pontua.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -