- Publicidade -
- Publicidade -
26.4 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Bombeiros atenderam mais de 30 ocorrências envolvendo elevadores neste ano, em Balneário Camboriú

Nos últimos três anos, o Corpo de Bombeiros atendeu em Balneário Camboriú 158 ocorrências envolvendo elevadores, das quais 31 neste ano. 

Os números são considerados ‘dentro da média’ para uma cidade como Balneário Camboriú, conhecida por seus arranha-céus e por ser uma das mais verticais do Brasil, mas o Comandante do 13º Batalhão de Bombeiros Militar (BBM) da cidade, Tenente-Coronel Zevir Aníbal Cipriano Junior, falou sobre cuidados e medidas que podem reduzir esses números.

Divulgação/CBBC

Ele explicou que há dois tipos de elevadores em operação na cidade, os de prédios prontos e o da construção civil, modelos mais ‘rústicos’ utilizados de forma provisória de acordo com o avanço da construção de prédios da cidade. 

“Não são como os dos prédios prontos, que são realmente seguros, protegidos, com equipamentos de segurança, por isso quando acontecem acidentes com elevadores da construção civil, pode ser mais perigoso”, disse.

- Publicidade -

O que fazer em situações envolvendo elevadores

Divulgação/CBBC

Em 2021, os bombeiros atenderam 53 ocorrências envolvendo elevadores, 74 em 2022 e 31 neste ano de 2023. 

“Desde pessoas que ficaram presas, como ainda o elevador que ficou trancado entre um andar e outro, e até mesmo houve caso de elevador que despencou, mas que possuía dispositivo de segurança, um tipo de freio, que impediu que algo pior acontecesse. Foram 158 ocorrências nesses três anos. O ideal é que, se as pessoas ficarem presas, não tentem sair por conta e sim peçam ajuda. Procurem manter a calma, liguem para o 193 se ninguém do prédio atender. Logo o socorro chegará, será nivelado o elevador e a pessoa sairá com segurança. É adequado lembrar que, se a porta do elevador abrir, não devem tentar sair, porque pode ser acionado o elevador e a pessoa pode ser esmagada”, comentou.

Ele lembrou que em casos de incêndio não pode ser utilizado o elevador e sim a escada, porque quem estiver no elevador em um momento como esse, pode sofrer ‘consequência trágica’, já que água e eletricidade não dá certo.

Divulgação/CBBC

“Não tem essa de ‘sempre cabe mais um’”

O Tenente-Coronel aproveitou para citar que existem alguns cuidados que as pessoas devem ter com o elevador. Por exemplo, com a correria do dia a dia, as pessoas ficam olhando a tela do celular, sem ter o cuidado quando entram no elevador, podendo tropeçar no degrau que às vezes se forma quando o elevador abaixou demais ou não desceu o suficiente, ou ainda sem perceber que o elevador não chegou e podendo cair no fosso – o que já aconteceu na cidade. 

“Não deve-se puxar a porta do pavimento sem o elevador chegar, porque às vezes o dispositivo de segurança não está bem ajustado, às vezes o elevador não está no andar e a pessoa pode cair. Não é adequado apressar a porta para fechar, porque é quando fecha que o sensor de segurança é acionado e tem pessoa que aperta várias vezes o botão; também não é recomendável chamar o elevador várias vezes, nem fumar ou fazer movimentos bruscos. Mas o mais importante é: não respeitar o limite de peso. Não tem essa de ‘sempre cabe mais um’. Não deve-se exceder o peso do elevador, porque pode causar um acidente sério”, pontuou.

Importância da manutenção periódica

Outra coisa muito comum do dia a dia é deixar sacolas ou bolsas segurando a porta por algum tempo – isso não é recomendável porque a segurança do elevador pode falhar e o elevador pode subir.

“Lembrando que o elevador é meio de transporte e não brinquedo. Tem que cuidar com as crianças também, que são curiosas, porque a porta pode fechar, prender a mão… tem que ter muito cuidado com essas questões, observar se está no pavimento…”, acrescentou, destacando também que é muito importante que os síndicos atentem-se sobre as manutenções dos elevadores, pois um elevador é uma máquina e, como o carro, precisa de cuidados. 

“O carro, se você anda com o óleo sem trocar por muito tempo, o motor vai trancar, porque está sem a lubrificação ideal. Exige manutenção periódica de acordo com a empresa responsável”, completou.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -