- Publicidade -
- Publicidade -
25 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Centro de Controle Operacional de Balneário Camboriú atendeu durante 70 dias na Praia Central

O serviço funcionou de 29 de dezembro até 8 de março

A prefeitura desativou a estrutura do Centro de Controle Operacional (CCO), que atuou na Praia Central deste final de dezembro, oferecendo diversos serviços ao público durante o período de alta temporada.

Saúde e Segurança foram os mais procurados. A Polícia Militar e a Guarda Militar puderam controlar o movimento, através de câmeras de monitoramento.

A Secretaria da Saúde realizou mais de 1300 atendimentos, desde orientações, até testes de HIV/Hepatite/Sífilis, aferição de pressão arterial, glicemia e curativos.

- Publicidade -

A Secretaria da Inclusão Social fez mais de 300 atendimentos no período. 

Também atuaram no CCO, as secretarias da Pessoa Idosa, que divulgou suas atividades e distribuiu pulseiras de identificação, a do Turismo, que ofereceu orientações, dicas e material promocional e a Fiscalização de Posturas.

Este foi o segundo ano consecutivo de atendimento na praia e os responsáveis pelas secretarias atuantes, aprovaram e esperam repetir a operação na próxima temporada.

Em reportagem publicada no final de fevereiro, alguns secretários manifestaram suas opiniões sobre esse tipo de atendimento na praia central.

Marca registrada

O secretário de Segurança de Balneário Camboriú, Antônio Gabriel Castanheira Junior, acredita que o CCO pode se tornar ‘marca registrada’ das temporadas. 

“O tempo de resposta que nós damos para a comunidade com o CCO é muito mais rápido e a população também se sente muito mais segura, pois estamos perto de todos”, disse.

Suporte à Saúde Mental

A secretária de Inclusão Social de Balneário, Christina Barichello, disse que o foco do trabalho foi a saúde mental de visitantes e moradores, e a violência contra a mulher – através dos programas Abraço. 

- Publicidade -

“Foi um trabalho positivo e divulgado também na hotelaria e comércio, para que turistas soubessem que ali contavam com nosso suporte. No CCO fizemos 324 atendimentos e na Casa da Família 8937 (de dezembro a fevereiro). Mas acabou sendo um ponto de apoio para os fiscais de rua e agentes sociais, que trabalham na abordagem a pessoas em situação de rua”, explicou.

Fiscalização mais presente

O diretor da Fiscalização de Posturas, Artur Gayer, disse que o CCO foi um ponto de apoio importante para as equipes de praia e também da área central. 

“Nesta temporada tivemos uma Fiscalização mais presente em todas as partes da cidade, mais próxima aos moradores e turistas levando informações sobre Balneário Camboriú e também orientações sobre o Código de Posturas do município, além de várias ações integradas com as forças de segurança e demais órgãos da prefeitura”, disse.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -