- Publicidade -
29 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Mais uma conveniência denunciada por baderna em Balneário Camboriú

O Página 3 vem recebendo uma série de denúncias de leitores incomodados com o barulho em bares e conveniências de Balneário Camboriú. Nesta sexta-feira (3) o jornal foi procurado com reclamações sobre o Pico, que fica na Rua 2.870.

(Divulgação)

A referida conveniência foi alvo de diversas denúncias no auge da pandemia por promover aglomerações. Chegou a ser chamado na ocasião de ‘Pico do Covid’ (relembre uma das ‘batidas’ no local, ocorrida em janeiro, aqui).

O leitor informou que desde que começou a funcionar, o local estaria causando ‘a maior confusão’ na rua, porque o espaço é pequeno, ficando os clientes no meio da via. 

“Fica aberto até alta horas da madrugada, pois a incompetente prefeitura dá um alvará para funcionamento sem verificar as consequências que provoca na rua: bebedeira, gritaria, brigas e fora outras coisas que rolam no local”, disse.

O denunciante disse que questionou a prefeitura, e que o governo municipal teria jogado a responsabilidade para a segurança pública. 

“A Polícia Militar tem mais o que fazer e é chamada em média três a quatro vezes por semana, principalmente nas sextas-feiras e sábados à noite. Já teve madrugada de chamarmos a polícia três vezes. A Guarda Municipal durante as restrições da pandemia até vinha, foram fechados quatro vezes e multados. Agora com a liberação, se você liga na Guarda Municipal a resposta é sempre a mesma: “Estamos com muitos chamados e assim que puder (Deus sabe que horas!), enviaremos uma viatura””, descreveu o leitor.

Segundo o morador, vários vizinhos já fizeram boletim de ocorrência, e inclusive já foram chamados para depor. 

“E até o momento nada foi resolvido, temos vários e-mails trocados com a Ouvidoria da prefeitura, que é totalmente evasiva, foge da responsabilidade. Com relação aos proprietários do ‘antro’ (o Pico) a resposta é ‘os incomodados que se mudem, nós temos alvará até às 2h’. Acontecem brigas na rua, está bem difícil”, completou.

Perturbação de sossego alheio

Os casos de baderna denunciados pelos leitores configuram perturbação de sossego alheio, que é a principal ocorrência atendida pelas forças de segurança. 

- Publicidade -

No final de outubro, a Polícia Militar de Balneário Camboriú lançou a campanha ‘50 minutos’ (tempo médio que equipes de policiais levam para atender esse tipo de ocorrência) com o objetivo de conscientizar a comunidade e estabelecimentos a respeitarem seus vizinhos, já que a ocorrência mais atendida na cidade é de perturbação do sossego alheio (gritaria ou algazarra, som alto, latidos de cachorros, etc.), também conhecida como ‘confusão entre vizinhos’, na maioria dos casos.

Segundo dados da PM, mensalmente são atendidas uma média de quase 500 ocorrências nesse sentido pela cidade.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -