- Publicidade -
- Publicidade -
13 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Operação do Gaeco em Balneário Camboriú, Camboriú e outras cidades mira lavagem de dinheiro do tráfico de drogas

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) do Ministério Público de Santa Catarina, em apoio à Operação Carga Fria, cumpriu nesta terça-feira (8), apoiando a Polícia Civil e o Ministério Público do Paraná, mandados em  Balneário Camboriú, Camboriú e Içara. 

Um grupo de traficantes, que distribuía drogas do Oeste do Paraná para outras regiões do país, lavava dinheiro em imóveis em Balneário Camboriú.

Polícia Civil/GAECO

Entre os alvos da busca no litoral, estão uma empresa de investimentos e uma corretora especializada em imóveis luxuosos.

- Publicidade -

Os criminosos ostentavam padrão de vida elevado, com apartamentos e casas milionários, viagens para destinos caríssimos, carros luxuosos e veículos aquáticos.

Foram executadas 101 ordens judiciais, sendo cumpridos 45 mandados de busca e apreensão nos municípios de Toledo, Pato Bragado, Entre Rios do Oeste, Curitiba, Balneário Camboriú, Camboriú, Içara  e Jaboatão dos Guararapes. Dez indivíduos foram presos preventivamente.

Foram sequestrados 20 bens móveis, entre carros e caminhões, e oito imóveis; bloqueadas 17 contas bancárias e cumprido o afastamento de um policial civil do Estado de São Paulo, suspeito de integrar a organização criminosa. 

A operação gerou um prejuízo de aproximadamente R$ 28 milhões para os criminosos: mais de R$ 20 milhões em bens sequestrados durante a operação, cerca de R$ 700 mil em bens apreendidos durante as investigações e cerca de R$ 7 milhões em drogas apreendidas.

As penas poderão variar de 10 a 38 anos de prisão.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -