- Publicidade -
24.3 C
Balneário Camboriú
Enéas Athanázio
Enéas Athanázio
Promotor de Justiça (aposentado), advogado e escritor. Tem 60 livros publicados em variados gêneros literários. É detentor de vários prêmios e pertence a diversas entidades culturais. Assina colunas no Jornal Página 3, na revista Blumenau em Cadernos e no site Coojornal - Revista Rio Total.
- Publicidade -
- Publicidade -

A GRANDE CONSPIRAÇÃO

 Creio que nunca uma empresa tem sofrido tão ferrenha oposição como a Petrobrás. Desde sua implantação ela é combatida sem trégua pelas multinacionais do petróleo mancomunadas a entreguistas brasileiros, muitos deles encastelados em altos postos do governo. As formas de combate vão desde as mais grosseiras mentiras até sofisticadas alterações contábeis e financeiras para iludir as pessoas. Não obstante, a empresa cresceu e se firmou como a pioneira em várias atividades da área petrolífera e se tornou a maior do país.

A guerra, ora subterrânea, ora escancarada, cínica e sem ética contra ela travada está descrita de maneira documentada por um profundo conhecedor do assunto que é o engenheiro e economista Sylvio Massa de Campos. Em seu livro “A Desconstrução da Petrobrás – Um crime de lesa-pátria” (Altadena Editora – Rio – 2023), ele revela passo a passo todas as maquinações para destruir a empresa e entregar o campo petrolífero à sanha das multinacionais cujo foco é pagar ricos dividendos aos acionistas mesmo à custa da fome e da miséria de grandes contingentes de seres humanos. E isso vem de longe, desde os tempos de Roberto Campos até os dias de Paulo Guedes, passando por Collor, Temer e FHC. Todos eles sabedores de que país que aliena suas fontes de energia está alienando sua própria soberania.

Descreve o autor, com elementos irrefutáveis, a formação de um covil de traidores tramando a destruição da empresa, contando para isso com o inexplicável silêncio dos honestos que percebem aquilo que acontece. O povo que se levantou em massa na campanha do petróleo é nosso parece anestesiado. É que veio 1964 e afastou o povo da luta pelos objetivos nacionais. Alguns jornalistas corajosos, como Hildegard Angel, denunciaram os que pregavam contra a empresa, afirmando com todas as letras que “deveriam se envergonhar do papel desempenhado e sair à rua de óculos escuros e golas levantadas para não serem reconhecidos.” Alinha ainda as inúmeras mentiras que falseiam a história nacional, entre as quais inclui a suposta “quebra” da Petrobrás como pretexto para vendê-la com todo seu patrimônio adquirido com o esforço de seus técnicos e funcionários. 

Em outro tópico o autor homenageia, e com muito merecimento, aqueles brasileiros patriotas e nacionalistas que contribuíram para a formação da nação brasileira, começando por Getúlio Vargas que pagou com a própria vida pela ousadia de criar a Petrobrás. Relembra ainda as figuras admiráveis de Barbosa Lima Sobrinho, Gabriel Passos, Guerreiro Ramos, Caio Prado Júnior, Nelson Werneck Sodré, Enio Silveira, Osny Duarte Pereira, Josaphat Marinho, Alberto Pasqualini, Landulfo Alves, Álvaro Vieira Pinto, Darcy Ribeiro, J. W. Bauptista Vidal, Jesus Soares Pereira, Rômulo de Almeida, Gilberto Freyre e sem esquecer Leonel Brisola. Eu incluiria Monteiro Lobato que batalhou pelo petróleo somente em mãos brasileiras. Todos deram de si à formação do Estado nacional brasileiro.

O livro de Sylvio Massa de Campos é um alerta contra os vendilhões da pátria. Precisa ser divulgado e lido para que os brasileiros honestos observem com atenção as manobras deletérias dos entreguistas de plantão, sempre prontos a dar o bote, e lutem contra eles. O autor merece os parabéns muitos e muitos pelo trabalho patriótico e pedagógico que deu a público.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -