- Publicidade -
21.7 C
Balneário Camboriú

Mala Direta, por Jonas Ramos

GROSSERIA

Não é de hoje que o presidente da República vem alterando a voz para membros da imprensa que não perguntam o que ele gostaria de responder. A última grosseria foi contra uma jovem repórter da TV Vanguarda (afiliada da Rede Globo), que foi insultada e covardemente lhe mandou calar a boca. A prepotência do presidente anda à flor da pele, e ele mandou calar a boca até as pessoas que o acompanhavam, pouco se importando se eram políticos, empresários ou assessores. Ou seja, não respeita mais ninguém. É a típica reação do desespero e do medo de ser confrontado. Bolsonaro quando não gosta da mensagem, mata o mensageiro, como se fazia na idade média. A liturgia do cargo lhe impõe algumas posturas, mesmo que lhe desagradem a forma como setores da sociedade, aí incluídos a imprensa, não lhe sejam favoráveis. Democracia é arte de engolir sapos.

INVERSÃO

O Brasil definitivamente não é para amadores e a prova disso é que no curso da maior operação de anticorrupção da história do país e também uma das maiores do mundo, o ladrão está saindo de vítima, e o agente responsável pelas punições julgadas por mais de 13 magistrados, nas diversas esferas do judiciário, saindo de bandido. O STF que vem passando todos os dias uma péssima impressão à sociedade com seus vai e vens, julgou que o ex-juiz Sérgio Moro é suspeito de ter agido com imparcialidade no julgamento de Lula da Silva. Tá tudo errado e não sei aonde isso vai dar. Estamos literalmente de cabeça pra baixo.

VITRINE

  • Se alguma coisa não for feita urgentemente para reprimir o descaso dos entregadores com os sentidos das ruas da cidade, vamos ter em breve uma desorientação geral no trânsito. Alguns tem subido, por exemplo a Rua 2500 inteirinha na contramão e buzinando pros carros abrirem espaço. Já dizia o ditado ‘porteira que passa um boi, passa uma boiada’. Campanhas de conscientização precisam ser realizadas pelos setores de trânsito e das empresas de entregas. 
  • Chama a atenção o número crescente de pessoas em situação de miséria pelas nossas ruas. Dados recentes indicam que um terço da população vive abaixo da linha de pobreza, ou seja, com menos de 9 (nove) reais por dia. O inverno coloca esse pessoal em situação de maior vulnerabilidade, portanto, se puder contribua com as instituições que se ocupam de cuidar dessa gente. Dar esmolas nas sinaleiras, só vai ajudar a mantê-los nas ruas. Tá feia a coisa.
  • Essa semana roubaram os metais que davam sustentação à placa do escritório. Eram pequenos pedaços de alumínio. A vagabundagem tá levando o que pode, e muitos condomínios amanhecem sem portas nas lixeiras, e até os tonéis de armazenagem algumas vezes são levados. Help!

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -