- Publicidade -
17.7 C
Balneário Camboriú

É PRECISO LER OS POETAS . . .

Desde que me lembro, – e já vivi bastante, –  o Brasil nunca esteve tão mal como hoje. Corrupção de todas as formas, violência absurda e desnecessária, racismo, intolerância, autoritarismo, ódio, ataques à democracia, nazifascismo. Os noticiários nacionais são um rosário de barbaridades e desgraças. O brasileiro cordial de que falava com satisfação Sérgio Buarque de Holanda é coisa do passado. Cabe-nos a tristeza de viver num país embrutecido e cruel.

Em períodos assim caóticos, um dos grandes remédios para fugir do clima opressivo é ler os poetas, sejam antigos ou modernos. Eles apontam sempre um fio de esperança e uma luz no fim do túnel. Tiremos da estante nossos volumes poéticos e busquemos a companhia dos autores. Estou certo de que aliviarão nossas tensões.

Carlos Nejar, nosso poeta-mor, merece atenta leitura. No seu fervoroso misticismo, revela nos poemas como Deus o ampara, inspira e fortalece. Isso transparece também da sua prosa-poética. Ler Nejar é lavar a alma das cracas deste país poluído pelos maus e desonestos.

Elizabeth Rennó, decantada poeta mineira, também merece leitura, ainda mais nestes tempos bicudos. Em seu mais recente livro ela se inspirou na Natividade para compor um conjunto de poemas que fazem bem à alma e nos estimulam para enfrentar um cotidiano de más notícias e com o qual somos forçados a conviver. Vale a pena essa experiência positiva, bem como um mergulho na poética de Yeda Prates Bernis, renomada poeta de Minas Gerais, cuja obra é aplaudida pela melhor crítica. Ambas são minhas amigas e correspondentes de longos anos.

Meu amigo Manoel Cardoso, poeta, escritor, professor, sempre com espírito elevado e ânimo positivo também merece atenção. Seus versos são uma injeção de otimismo que nos ajuda a vencer o desânimo e a descrença que tantas vezes nos abatem diante de uma triste realidade.

Não esqueço também de Eduardo Waack, poeta e agitador cultural, sempre preocupado com a interação dos povos e dono de um otimismo inquebrantável que nos ajuda a ultrapassar esta fase negativa com a firme esperança de que não tarde a passar.

Que vivam e produzam os poetas! 

Eles nos ajudam e nos estimulam.

- Publicidade -
Enéas Athanázio
Enéas Athanázio
Promotor de Justiça (aposentado), advogado e escritor. Tem 60 livros publicados em variados gêneros literários. É detentor de vários prêmios e pertence a diversas entidades culturais. Assina colunas no Jornal Página 3, na revista Blumenau em Cadernos e no site Coojornal - Revista Rio Total.
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -