- Publicidade -
14.3 C
Balneário Camboriú
Luciana Andréa
Luciana Andréa
Terapeuta Integrativa e Holística com especialização em plantas medicinais.
- Publicidade -
- Publicidade -

Quantos dos sintomas a seguir, você sentiu nos últimos 6 meses? 

  • Mal estar, dor de cabeça constante ou vertigens;
  • Desconforto abdominal; 
  • Excesso de gases;
  • Desejos intensos por carboidratos e doces;
  • Fome insaciável; 
  • Arrotos, indigestão, sensação de ardência no estomago; 
  • Diarreias constantes ou intercalando com intestino preso; 
  • Rinite, ouvidos e nariz coçando, nariz escorrendo;
  • Acne, melasma, micoses, psoríase;
  • Candidíase, Infecção urinária;
  • Insônia;
  • Anemia recorrente; 
  • Ferritina baixa;
  • Fraqueza e cansaço; 
  • Tosse persistente;
  • Olhos amarelados na parte branca; 
  • Dores articulares em adultos; 
  • Coceira anal e vaginal;
  • Irritabilidade, mau humor e agitação;
  • Queda de cabelo;
  • Ansiedade; Depressão;
  • Língua esbranquiçada; 
  • Bolinhas atrás do braço; 
  • Crianças com olheiras e pele seca; 
  • Crianças com dificuldade de desenvolvimento em altura e musculatura e o aproveitamento escolar é baixo; 
  • Secreção de saliva excessiva (inclusive dormindo) 
  • Dentes trincados ou rangendo a noite (bruxismo) 
  • Taquicardia; Estresse; Fezes que boiam…

Você já parou para pensar como parasitas podem estar sabotando sua saúde silenciosamente?

A falta de energia constante, distúrbios digestivos persistentes e a sensação de que algo está fora de equilíbrio, podem ser sinais de parasitas indesejados no seu organismo.

Assunto tão falado antigamente, mas que hoje em dia acabou sendo deixado de lado e muitos ainda acreditam que só crianças sofrem com vermes e precisam desparasitar.

Nosso terreno biológico (nosso corpo) tem a capacidade natural de fazer um processo chamado de detoxificação onde acontece a eliminação de substâncias nocivas ao organismo. Porém, devido ao excesso de toxinas ambientais da vida moderna, o corpo não está mais conseguindo fazer essa detoxificação de maneira totalmente eficiente, nos deixando sujeitos a contaminação por parasitas e metais tóxicos.

E você sabia que um terreno biológico cheio de toxinas, vermes, fungos, bactérias em disbiose, metais tóxicos e parasitas pode ser a causa de diversas doenças, sinais e sintomas e também contribuir para o mau funcionamento do nosso sistema imunológico?

Vamos entender o que são parasitas: 

Parasita “é o ser vivo de menor porte, que vive associado a outro ser vivo de maior porte, às custas ou na dependência deste”. Esta é a definição de parasitas de acordo com a Sociedade Brasileira de Parasitologia. Ou seja, os parasitas dependem de outro organismo vivo para sobreviver, sugando sua energia, nutrientes, temperatura e se alimentam desse hospedeiro. 

Existem muitos tipos de parasitas, desde bactérias até vermes e protozoários. A maioria deles, não se pode ver, são microscópicos, vivem dentro das células; e outros vivem dentro de órgãos como: pulmão, cérebro, pele, fígado, baço, sistema gastrointestinal e outros. 

O QUE OS PARASITAS PROVOCAM E AS DOENÇAS QUE CAUSAM? 

Esses parasitas ressoam com bactérias, fungos e vírus com facilidade, podendo ocasionar doenças. Podem causar intoxicação pois os parasitas liberam substancias toxicas, como a amônia que causa dores de cabeça e dores pelo corpo, distúrbios gástricos e intestinais. 

Podem roubar nutrientes no sangue e no intestino, prejudicando a produção de ácido clorídrico no estomago, ou levando a desnutrição e podem, ainda, causar outros sintomas como citados acima.

Podem modificar expressões gênicas despertando doenças como: 

  • Diabetes – devido a um parasita especifico que consome as células do pâncreas.
  • Doenças autoimunes – ativação do sistema imune. 
  • Depressão, ansiedade, bruxismo – alteração funcional da produção de serotonina por exemplo. 
  • Anemia – alguns parasitas podem causar anemia devido à perda de sangue ou a competição por nutrientes no corpo.
  • Fadiga – Alteram o seu microbioma e afetam quase todos os aspectos da sua saúde e os níveis diários de energia. 
  • Ascaris e giárdia afetam a atividade da lactase, a enzima que ajuda a digerir lactose, o açúcar do leite. Giárdia também gera má digestão de gorduras. 

Vários vermes adultos vivem nos dutos biliares, como: Fasciola hepático, Clonorchis sinensis, Strongiloides Stercoralis, Opistorchis viverrini e O. felineus, por exemplo. A fasciola migra pelo fígado durante várias semanas até chegar aos dutos e aí pode querer alimentar-se de seu revestimento, que vai engrossando cada vez mais em resposta à agressão. O resultado é que a passagem tende a fechar, impedindo a bile de chegar ao intestino para ajudar na digestão das gorduras. Ascaris, clonorchis e opistorchis também podem invadir e bloquear os dutos pancreáticos, causando pancreatite aguda. O euritrema é um verme que come o pâncreas. Outra que de vez em quando invade o pâncreas é a giárdia. Amebas necrosam os tecidos do fígado. Esquistossomas são especialistas em provocar hemorragias, tanto nas paredes intestinais quanto nas da bexiga.

Toda perturbação respiratória sem causa óbvia deveria levar à investigação das parasitoses. Veja só que coleção de sintomas possíveis: 

Entamoeba hystolitica: derrame pleural e abscesso pulmonar;  Toxoplasma gondii: pneumonia difusa; Leishmania donovani e Plasmodium: infiltrações pulmonares pequenas; Paragonimus westermani e P. kellacotti: tosse, hemoptise, bronquiectasias císticas; Schistossoma mansoni e japonicum: infiltração em placas e hipertensão pulmonar; Echinococcus granulosus: purulência, infiltração em placas, cistos hidáticos ; Strongyloides stercoralis, Ancylostoma duodenale e Necator americanus: infiltração em placas; Ascaris lumbricoides, Toxocara canis, cat/: infiltrações migratórias e broncoespasmo e ainda, Trichinella spiralis: dores torácicas e sensibilidade intercostal, entre tantos outros.

(Arquivo Pessoal)

Um fator agravante nas infecções parasitárias é que geralmente elas são múltiplas – vários tipos de vermes, cada um com suas bactérias, fungos e vírus, todos brigando pelo seu pedacinho de alguma coisa e produzindo toxinas sem parar. Como a fome e o apetite também diminuem em determinados momentos da infecção, o final da história é sempre o enfraquecimento do hospedeiro.

 Principais meios de infestação

  • Através das vias respiratórias;
  • Boca (cárie, contato mão, objetos, beijos);
  • Pele, no contato direto com o vetor (mosquitos);
  • Alimentos crus ou malpassados;
  • Alimentos mal lavados;
  • Ânus, vagina e uretra;
  • Olhos;
  • Pets (beijar, passar a mão e em seguida na boca ou alimentos, etc); 
  • Água contaminada (da torneira – pode ter saneamento, porém, livre de resíduos e não de micro-organismos).

 Como evitar a contaminação / infestação:

  • Existem estudos mostrando que “celular é mais sujo que que vaso sanitário”, ou seja, já entendeu como é fácil se contaminar.
  • Portanto, higiene básica, lavar as mãos antes e após usar o banheiro. 
  • Higienizar adequadamente verduras, legumes e frutas que serão consumidos crus e com a casca (veja abaixo sugestão de higienização). 
  • Cuidados com os pets (manter a carteirinha de vacinação e medicamentos para vermes em dia e/ou fazer a desparasitação natural). 
  • Consumir agua fervida ou filtrada – mesmo a mineral (ideal filtro de barro com 1 a 2 velas – filtros).

Higiene dos alimentos: – Lavar em água corrente para eliminar resíduos (terra e outras sujidades). – Em um recipiente, acrescente os legumes, verduras escolhidas (frutas que consumir com casca também) e mais 1 litro de água com 1 colher de sopa de bicarbonato de sódio e 2 colheres de vinagre branco por 15 minutos. Após, enxaguar bem e secar se não consumir na hora. Guardar em potes fechados com 1 folha de papel toalha para evitar a umidade. Ou 1 litro de água com 5ml de iodo 2% – deixar de molho 1 hora – ajuda também a eliminar pesticidas. 

NOTA: Evite o uso de hipoclorito ou água sanitária, principalmente se este alimento for para cozimento depois. A presença de compostos orgânicos em águas que sofrem o processo de cloração resulta na formação dos trihalometanos, compostos formados por um átomo de carbono, um de hidrogênio e três de halogênio (cloro, bromo, flúor). Os trihalometanos são considerados compostos carcinogênicos, além de beneficiar a presença de parasitas e ainda pode causar hipotireoidismo, por isso, sua presença na água deve ser evitada.

Quais exames podem ajudar a saber se tem a presença de parasitas? 

Exame de fezes: Exames de fezes não são confiáveis e fidedignos mesmo porque a maioria dos parasitas não vivem no intestino. A melhor maneira de saber é prestar atenção aos sinais e sintomas que seu corpo te mostra e já citados acima. Você pode ter a presença desses parasitas no seu organismo há muitos anos e sofrendo, fazendo tratamentos sem sucesso, fazendo exames “procurando” a causa e não encontrando, e ninguém te ensinando que possam ser os vermes causadores de tantos sintomas e doenças.

 Exame de sangue – Você pode ver alguns números no seu exame de sangue que “podem” indicar a presença de parasitas como:

  • Ferritina baixa – abaixo do valor de referencia 
  • Basófilos alto – maior de 1% 
  • Eosinófilos – maior que 3% 
  • Monócitos – maior que 7% 
  • Leucócitos baixos 

Agora, você já sabe que fazer desparasitação é importante para a sua saúde, mas você sabe o que é desparasitação? 

A desparasitação é um processo de retirada de fungos, vermes, parasitas e bactérias como uma forma preventiva de doenças e sintomas que esses seres podem nos trazer. 

O QUE É UMA DESPARASITAÇÃO NATURAL? 

O protocolo de desparasitação natural consiste em detoxificar o corpo, limpar e fortalecer o sistema de depuração (fígado, rins, intestinos…) e eliminar vermes, fungos, metais tóxicos, bactérias e biofilme, sem medicações que trazem efeitos colaterais prejudiciais para o organismo comprometendo o sistema intestinal e sobrecarregando o fígado. Ainda, com o protocolo de desparasitação natural, consegue-se tratar sua imunidade, desinflamar o organismo e eliminar mais de 100 tipos de vermes. Enquanto que na maioria das medicações atingem de 18 a 20 tipos.

Periodicidade da desparasitação: O Ideal é que todo mundo faça a desparasitação a cada troca de estação ou no mínimo 2 vezes no ano. 

Por que tem que ser em uma lua específica

O ideal é que seja feito na lua nova, pois é quando os parasitas saem dos tecidos para depositar seus ovos no intestino e é nesta fase, com o protocolo adequado, que conseguimos atingir dos ovos aos vermes adultos. Por isso é importante sempre obedecer ao calendário lunar. 

DIFERENÇA ENTRE DESPARASITAÇÃO NATURAL E COM MEDICAÇÃO: 

 NATURAL: ∙ Remove biofilme; Remove bactérias ruins; Limpa metais tóxicos; Limpeza e fortalecimento dos órgãos; Limpa sangue e células; Melhora o intestino; Melhora a absorção de nutrientes.

MEDICAMENTOS: O problema de usar vermífugos sem indicação é porque eles danificam a parede intestinal e mexem com o equilíbrio da microbiota intestinal, podendo causar ou piorar uma disbiose; Prejudicam sua flora intestinal; Não removem fungos, não removem o biofilme; Matam bactérias boas; Não removem totalmente parasitas; Não limpam órgãos; Não limpam sangue e células; Sobrecarregam o fígado.

BIOFILME Somente com a desparasitação natural conseguimos eliminar biofilme.

 O biofilme é um aglomerado de bactérias de difícil remoção. Não conseguimos ver o biofilme, mas, é como se fosse um “limo” na calçada ou placas bacterianas grudadas nos dentes. Pode danificar nossos órgãos, ossos, intestino, como também ser a causa de diabetes, câncer, Alzheimer. Os parasitas, vermes, fungos, bactérias “ressoam” com o biofilme, como se fosse uma barreira de proteção para eles. Todos temos bactérias no intestino, porém não podemos deixar formar biofilme. E somente com a desparasitação natural será possível a eliminação desses parasitas e assim auxiliar na melhora dos sintomas.

TODOS PRECISAM DESPARAITAR?

Não. Mas, se você marcou 2 ou mais dos sintomas que citei lá no início, é muito provável que você esteja com algum tipo de parasita, vermes, fungos, bactérias em desequilíbrio e sobrecarregado de metais tóxicos, então, Sim! Uma detoxificação e desparasitação será necessária!

A boa notícia é que esta semana estou abrindo o 10ª grupo do Programa 3D.E, que consiste num protocolo de detoxificação, desparasitação natural, desinflamação do seu corpo e emagrecimento (opcional). É um grupo fechado com suporte on-line de 25 dias, onde você receberá todas as instruções e acompanhamento para fazer seu processo de forma natural, simples e saudável, no conforto da sua casa, com alimentos, chás e suplementos de fácil acesso, acompanhada por profissional qualificada para conduzir seu processo de forma segura e eficiente. Ficou interessada (o)? Pode me contatar no WhatsApp 47.99997.8889. Sou Luciana Andréa, Fitoterapeuta integrativa e posso te guiar nessa jornada!

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -