- Publicidade -
29 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Com recorde de inscritos e mais de R$ 17 mil em prêmios, Fundação Cultural já planeja próxima edição do Festival da Canção

A 10ª edição do Festival da Canção de Balneário Camboriú, que aconteceu entre quinta-feira e sábado (25 a 27), teve recorde de inscritos – 133 ao total, sendo que 30 canções se classificaram e três foram as grandes vencedoras. 

Com o sucesso do evento, em um cenário ‘pós-pandêmico’ (em 2020 não houve Festival por conta do Covid-19), a Fundação Cultural de Balneário Camboriú já está planejando a próxima edição. 

.

Os números da 10ª edição 

  • Os artistas premiados da noite foram Venâncio Domingos Neto, o Vê Domingos, e Giana Cervi com a canção “Eu também sou do mato”;
  • 2º lugar – Juan Daniel Isernhagen, com “Tenho confiança na gente do Sul”
  • 3º lugar – Elisa Maria Cordeiro, com “Deusa Música”. 

Os três primeiros colocados ganharam troféu e dinheiro (primeiro lugar – R$ 8,6 mil; segundo lugar – R$ 5,2 mil; e terceiro lugar – R$ 3,6 mil). 

Além disso, houve ainda a premiação de Melhor instrumentista – Sete Bass, contrabaixista na canção “Deusa Música”; Melhor intérprete – Ita Cunha, cantor nativista da música “Tenho confiança na gente do Sul”; Melhor letra – “Eu também sou do mato”, de Vê Domingos; e Música mais curtida – “Morada de Sonho”, de Leonardo Schmitt Vieira. Todos receberam um troféu especial. 

Segundo a Fundação Cultural de Balneário Camboriú (FCBC), o custo do Festival foi de aproximadamente R$ 90 mil (sendo R$ 17,4 mil em premiações em dinheiro para os três primeiros colocados + R$ 600,00 para cada jurado que participou).

O primeiro lugar recebendo o prêmio (foto FCBC)

A presidente da FCBC, Denize Leite disse que nesta edição cerca de 160 músicos estiveram envolvidos, entre cantores, compositores e instrumentistas. 

Tivemos ainda nove profissionais da música entre comissão de triagem, produção e curadoria, e comissão julgadora, oito empresas apoiadoras, 12 releases enviados para a imprensa, três grupos de WhatsApp criados para organizar o evento, 50 cartazes impressos, 56 posts de divulgação para redes sociais, cinco reuniões da comissão organizadora, 30 horas de passagem de som, 28 páginas de conteúdo para locução, centenas de fotos a cada noite, seis secretarias municipais envolvidas”, relembra.

A presidente Denize (foto João Pedro Varela)

Festival abre portas: “Divulgação em movimento”

Denize conta que percebeu que o nível dos competidores estava elevado. 

Foi extremamente gratificante estar retomando os eventos. Inclusive esse foi o primeiro grande espetáculo que fizemos nessa retomada, foi o primeiro evento que a FCBC promoveu após a pandemia, o que gerou muita satisfação para a nossa equipe, mas também muita preocupação, pois queríamos fazer o melhor possível para atender as nossas expectativas como produtores, mas também dos participantes e do público”, diz, citando que os participantes elogiaram muito a questão da sonorização, equipe técnica e organização.

A cantora Elisa ficou em terceiro lugar e foi elogiada por Karinah (foto FCBC)

O produtor, Luciano Candemil, foi contratado via edital de credenciamento de artistas, lançado pela FCBC no meio do ano. 

O credenciamento de artistas nos deixa muito feliz, porque através dele podemos fazer eventos como esse e ainda  valorizamos produtores, artistas, músicos… todo o segmento da cultura que se credenciou podemos utilizar e assim gerar a economia da cultura, contratando para exercer o trabalho, precisamos de expertises diferentes, valorizando os nossos artistas de Balneário, fomentando toda a economia”, diz.

Pela primeira vez neste ano, o Festival teve uma madrinha, a cantora de pagode Karinah, que acumula feats com grandes nomes como Belo, Dudu Nobre, Xande de Pilares e Mumuzinho. 

Pela primeira vez o Festival teve uma madrinha, a cantora Karinah (Foto FCBC)

Foi muito bacana e agregou muito para o evento. A Karinah inclusive se encantou com a Elisa, que ficou em terceiro lugar. Ela [a Karinah] tem uma carreira consolidada e poderá abrir portas para vários artistas daqui, já que conheceu composições. É um momento em que podemos estar com toda essa divulgação em movimento, abrindo realmente o mix dos artistas que temos em Balneário, região e Santa Catarina, para que possam ser reconhecido”, afirma.

Importância do Festival para a cultura de Balneário e região

Chegando em sua 10ª edição, a presidente avalia que o Festival possui hoje uma importância muito positiva para a música de Balneário Camboriú, região e até mesmo a nível estadual e região sul – já que há inclusive artistas de outros locais que participaram, a exemplo de Ita Cunha, cantor nativista que interpretou a canção que ficou em 2º lugar no Festival. 

Através do Festival, promovemos os artistas daqui, e há muito potencial! As letras eram maravilhosas, expressavam o que passamos com a pandemia – como as dificuldades, a retomada, as perdas. 

Muitas das músicas falaram sobre esses sentimentos. 

Houve também homenagem para pessoas que se foram, que incentivaram a compositora. 

O significado de todas as letras foi muito fortes”, comenta, destacando a pluralidade musical dos participantes. 

O Melhor Intérprete foi um cantor nativista, já os primeiros colocados, Giana Cervi e Vê Domingos, apresentaram uma canção sertaneja, e a terceira colocada venceu com um samba. É muito importante mostrarmos o quão plural a música e a cultura são, e que pode alcançar muitas pessoas”, explica.

O veterano Juan também foi um dos destaques, a música nativista tem muita força no Festival (foto FCBC)

Sensibilidade aflorada

Denize com o prefeito Fabrício

Segundo Denize, foram gravados depoimentos dos 30 participantes, que puderam explicar de onde vieram, sobre a música que seria apresentada, e através disso foi possível perceber o quanto a sensibilidade dos artistas ficou ainda mais aflorada após a pandemia. 

Ainda mais com o distanciamento, que os afetou diretamente, já que dependem do público para se apresentarem, e assim ficaram sem poder mostrar suas artes, por isso o Festival teve uma importância ainda maior. 

Foi um presente poder estar a frente de um projeto como esse, que beneficia tanto a cultura de nossa cidade; e o público também pôde ver o trabalho de nossos talentosos artistas e produtores, pessoalmente e através das redes sociais, onde tivemos muita repercussão”, acrescenta, pontuando que os vencedores foram convidados para se apresentarem na abertura da temporada de verão, na noite de sábado (4), na praia central.

O que vem por aí

A presidente salienta que a correria para fazer o Festival acontecer ‘foi bem grande’ e que inclusive já anotaram pontos para melhorarem na próxima edição.

 “Obviamente já estamos pensando na próxima edição! 

A cada novo Festival vemos que temos que melhorar, aprimorar e manter, como a premiação, que vem como uma valorização e potencializa o trabalho dos músicos, isso é super importante. Eles precisam desse investimento, reconhecimento e divulgação. 

Há também outras possibilidades além do Festival, para 2022, é claro. 

O Festival é muito rico nesse sentido, é uma porta e não somente para um estilo, todos podem participar mostrando seu trabalho”, completa.


- Publicidade -
- Publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -