- Publicidade -
20.7 C
Balneário Camboriú

Praia alargada melhorou prática esportiva

Balneário Camboriú poderá sediar grandes eventos na areia e no mar

Com o alargamento da faixa de areia, que passou de 25 para 70 metros, praticamente triplicou o espaço para quem quer relaxar ou praticar exercícios e atividades esportivas na areia. 

Na Barra Sul, há muitas quadras de vôlei e beach tennis, e ao longo da orla, os grupos de idosos que se exercitam diariamente através do programa Maturidade Saudável (atualmente estão na praça Almirante Tamandaré), além das canchas de bocha, que estão garantidas pelo menos até o fim do verão.

.

Quadras esportivas na Barra Sul

Quadras estão disputadas (foto Fabio Jr, fotosbc08)

Com a praia alargada, aumentou o número de quadras esportivas. Atualmente tem mais de 30, que reúnem diariamente de 500 a 700 pessoas (em diferentes horários). 

O superintendente da Fundação Municipal de Esportes de Balneário Camboriú (FMEBC), Osmar de Miranda (Mazinho), disse que a lei que regulamenta esta ‘ocupação’ esportiva na areia deve ser alterada, para aumentar este número de quadras, além do horário que também será modificado. 

“Um novo projeto para enviar à Câmara de Vereadores estava pronto, mas tivemos que recuar e fazer ajustes. Estamos conversando com a comunidade que desfruta daquele espaço e pretendemos mandar em breve, contemplando novos espaços e nova regulamentação, porque a demanda de procura pelas quadras esportivas aumentou muito, o que já era esperado”, disse. 

Os praticantes da Praia Central são atletas amadores, que utilizam como recreação e lazer. O futevôlei é mais informal, mas o vôlei de praia, que disputa competições, treina no Estaleiro e Estaleirinho. 

Possibilidade de realizar eventos

A expectativa do dirigente da Fundação é que agora Balneário Camboriú poderá entrar na linha de grandes eventos – que inclusive já estão sendo preparados e podem acontecer durante a temporada. 

“Eventos midiáticos, a nível nacional e internacional, como já acontecia antes. Depende da logística, mas eles podem acontecer em qualquer lugar da praia. Teremos um campeonato de futebol de areia que iniciará no final de janeiro. Para a questão esportiva, realmente o alargamento é sensacional. Espero que consigamos voltar a movimentar o turismo esportivo, que já foi muito importante para Balneário e vão voltar a fortalecer a nossa atividade econômica”, afirma.

No mar também

O superintendente acrescenta que os eventos esportivos também podem acontecer no mar, ainda mais agora que a praia está 100% própria para banho. 

“Podemos receber eventos náuticos como stand up paddle, caiaque, canoa havaiana. Com as obras de saneamento e a balneabilidade boa, Balneário está ganhando abertura no mercado, percebo isso através das confederações, que antes tinham um ‘bloqueio’ por conta da praia não ser 100% própria para banho”, pontua.

Atividades esportivas no verão

Com a areia alargada, tem espaço para todos (foto Renata Rutes)

Mazinho antecipou para o Página 3 que para essa temporada haverá dois polos de recreação, um na praça Almirante Tamandaré (o SBT venceu a licitação e vai coordenar) e outro no Pontal Norte, que a licitação sairá agora em novembro. Eles vão ser os responsáveis pelos espaços esportivos na areia, como futebol e basquete. 

“Serão atividades recreativas, esporte e cultura. Nossa intenção é sempre aumentar o número de atividades esportivas. O pessoal está mais motivado, com o alargamento as pessoas estão mais animadas para fazer atividade física, e criaremos estratégias para regularizar e trazer conforto e segurança para todo mundo, porque ninguém quer estar na praia e levar uma bolada”, acrescenta.

Canchas de bocha seguem pelo menos até o fim do verão

Canchas de bocha sairão para obras de revitalização da Atlântica, mas vão voltar (foto Renata Rutes)

As canchas de bocha da orla continuam pelo menos até o fim do verão. Hoje são 10 ativas, que envolvem cerca de 600 praticantes. Porém, quando as obras de revitalização da Avenida Atlântica iniciarem, as canchas terão que sair temporariamente, segundo Mazinho. 

“A associação responsável participa de todo o processo conosco, a ideia é que as canchas saiam e voltem com o projeto de reestruturação, em mesmo número, mas em formato mais confortável”, comenta.

Maturidade Saudável

.

Maturidade Saudável está acontecendo na Tamandaré (foto FMEBC)

O programa Maturidade Saudável é da Fundação Municipal de Esportes em parceria com a Secretaria da Pessoa Idosa e Secretaria de Saúde, leva a prática de atividade física aos idosos tanto nos bairros quanto na praia central. 

A coordenadora Lenice Gheno disse que a professora Fátima Folchini dá aulas de ginástica de segunda a sexta-feira, das 8 às 9h, na praça Almirante Tamandaré, onde reúne os dois grupos que praticavam as aulas na areia da praia antes do alargamento. 

“São os grupos do Ginástica na Praia do Professor Husadel e o Grupo Pontal Norte. No ano que vem retornaremos com os três grupos que já faziam aulas, Barra Sul, Centro e Pontal Norte. Essas aulas são gratuitas e estão abertas para todos, moradores e turistas!”, explica.

Quem quiser pode participar das aulas na Tamandaré, em 2022 atividades voltarão para a areia (foto FMEBC)

A coordenadora destaca que ‘é muito gratificante’ ver a alegria, vitalidade e satisfação das pessoas que fazem parte do programa Maturidade Saudável. 

“E perceber o quanto estamos proporcionando qualidade de vida para eles! Em média temos 50 alunos/dia na Tamandaré. A rotatividade é muito grande no centro. Antes da pandemia, esse grupo tinha uns 120 participantes. Eles [os idosos] adoraram o alargamento, pois terão mais espaço para fazer as atividades. Além da ginástica, eles jogam malha e bocha”, acrescenta.

A secretária da Pessoa Idosa, Juliethe Nitz, diz que para a Secretaria da Pessoa Idosa o Maturidade Saudável é ‘muito importante’. 

“Pois estende as atividades que são proporcionadas pela secretaria para outros bairros do município. Esse projeto possibilita que os idosos possam ter um envelhecimento ativo e saudável, sendo esse um dos objetivos da SPI. Nesse momento de retomada das ações coletivas para as pessoas idosas, é uma oportunidade para realizar atividades que também promovem a convivência comunitária”, comenta.


O que dizem os idosos que participam do Maturidade Saudável

“Alargamento foi a cereja do bolo”

Marcelo Humberto Durman, 63 anos, nasceu na Arentina, mudou-se para a Europa e ainda morou em Israel; está no Brasil desde 1991 e em Balneário há seis anos

Marcelo aprovou a nova praia (foto Arquivo pessoal)

“Eu e minha esposa, Solania, participamos do Maturidade Saudável desde que chegamos em Balneário, há seis anos, mas o grupo que eu pertenço, o do Pontal norte, já tem 28 anos de formação. Todos os dias eu e minha esposa estamos participando das aulas na Tamandaré. As aulas são excelentes, de um a 10 eu dou nota 11 (risos), tanto pela parte física quanto mental. Nos sentimos uma família, um apoia o outro, damos dicas quando estamos passando por problemas, às vezes fazemos corrente de oração quando precisamos. Vejo que o alargamento foi a cereja do bolo de Balneário. Mudou muito a praia! Muitas vezes tínhamos que brigar com pessoal que aluga cadeiras, disputando espaço, e hoje não tem mais esse problema, agora vai ter areia para todo mundo! Essa pandemia nos isolou um pouco, mas hoje podemos descer para a praia e quem quiser pode se isolar na areia, porque tem muito espaço, dá para ter distanciamento se quiser, consegue ter seu canto e fica resguardado do Covid. Eu rodei o Brasil, o mundo, até chegar em Balneário e posso afirmar que não tem hoje cidade que conheço com a qualidade e recursos de valorização ao idoso como Balneário; e estou falando em cidades ricas que poderiam fazer e não tem nem Secretaria do Idoso. Elas não têm nem todo esse suporte, como a parte de Saúde – aqui temos o NAI (Núcleo de Atenção ao Idoso), que é específico para o idoso. Posso falar de boca cheia que Balneário Camboriú está de parabéns”.

“O alargamento foi maravilhoso, mudou muito!”

Maria Helena Farias de Oliveira, 68 anos, aposentada e moradora de Balneário

Helena gosta de convidar mais idosos para participar do Maturidade Saudável (foto Arquivo pessoal)

“Há dois anos participo do Maturidade Saudável, integro o grupo do Pontal Norte. Eu ia todos os dias, mas com a pandemia e a obra do alargamento foi suspenso. Recentemente começou na Tamandaré e sempre que posso eu vou lá. Está ótimo. O alargamento foi maravilhoso, mudou muito! Ano que vem, quando o grupo voltar para a praia, vai ser ótimo porque vai ter mais espaço, tanto para nós moradores quanto também para os turistas. Eu participo da SPI também – pratico esporte de corrida há bastante tempo e também faço dança. Eu digo para a professora Fátima, da Tamandaré que eu fico no fundão porque as pessoas querem participar das aulas e não se manifestam para entrar porque acham que tem que pagar. Eu fico atrás para poder captar mais gente (risos). Eu sou metida, explico os horários, onde acontecem as aulas, falo que tem muitas atividades na cidade para nós idosos porque muitos não sabem. Digo que na praça todo mundo pode participar, mas na SPI só 60+. No Pontal Norte somos em 80, varia o número, e na Tamandaré nunca dá menos que 40 pessoas/dia”.


- Publicidade -
- Publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -