- Publicidade -
23 C
Balneário Camboriú

Profissionais de Educação Física da FMEBC pedem retomada de projeto que os equipara à saúde

- publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Desde 2017, os profissionais de Educação Física da Fundação Municipal de Esportes de Balneário Camboriú (FMEBC) pedem que o prefeito Fabrício Oliveira os equipare à profissionais de Saúde, o que é reconhecido pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS) (resolução nº 218, de 06 de março de 1997) e pela Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), sob o código 2241-40, como “Profissional de educação física na saúde”.  

O assunto voltou a ser discutido por conta da aprovação do aumento solicitado pelo Magistério, ocorrido na última semana após decisão judicial. 

Os profissionais de Educação Física da FMEBC, que são bacharéis, diferente dos licenciados, que atuam nas escolas, alegam que o prefeito Fabrício estaria utilizando como desculpa a pandemia para não seguir com o projeto solicitado por eles que, com a equiparação à saúde, ganhariam mais, tendo ainda outros benefícios. 

Os profissionais não aceitam serem deixados de lado, e agora pedem que o governo municipal volte a priorizá-los e lembram que é algo inquestionável que a Educação Física está aliada à saúde, uma prova disso foi que os profissionais da FMEBC atuaram nas barreiras sanitárias junto das equipes da Saúde, ainda em 2020. 

- Publicidade -

Fabrício foi questionado sobre o projeto através das redes sociais e disse que irá retomar a conversa com os profissionais de Educação Física. 

“Fizemos o projeto de lei e não mandamos [para a Câmara] por conta das restrições legais da pandemia, vamos sim retomar a discussão do tema com vocês”, escreveu. 

A vereadora Juliana Pavan está apoiando os profissionais e protocolou um pedido de informação ao governo municipal questionando o prefeito sobre o motivo para o qual os profissionais ainda não foram lotados na área da Saúde, lembrando que cidades vizinhas, como Itajaí, já segue a resolução do CNS.

O vereador André Meirinho também vem apoiando o movimento desde 2017 e informou ao jornal que irá protocolar uma moção de apelo junto com a vereadora Juliana sobre o assunto.

- Publicidade -

“Penso que o prefeito poderia enviar o projeto de lei e incluir no texto para entrar em vigor ao fim das restrições legais”, disse Meirinho.

- Publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -