- Publicidade -
- Publicidade -
24.4 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Casal de Balneário que foi despejado está aguardando ajuda da comunidade

Resgate Social retornou à Rua 600 nesta quarta para acompanhar a situação

O casal de catadores de recicláveis, Ezequiel e Simone continua dormindo na calçada, na Rua 600, entre as avenidas Do Estado e Quarta, na frente de um terreno baldio, mesmo com a chuva. Na manhã desta quarta-feira (12) eles acertaram com o Resgate Social que, se não receberem uma ajuda prometida pela comunidade, irão para a Casa de Passagem [espécie de albergue municipal] na quinta-feira (13).

Prefeitura voltou ao local para ver a situação (Foto Divulgação/Resgate Social)

A historia do casal foi muito comentada nesta semana em Balneário Camboriú [relembre aqui]. 

O diretor geral da Secretaria de Inclusão Social e responsável pela equipe do Resgate Social e Casa de Passagem, Roberto Pereira de Faria, esteve na manhã desta quarta na Rua 600 para conversar com Ezequiel e Simone. Os dois, a princípio, não queriam ir para a Casa de Passagem porque possuem dois cães [outros dois estão no abrigo da ONG Viva Bicho] e pertences, como recicláveis para vender e itens pessoais. “Ofertamos para eles um espaço da Casa de Passagem que é afastado, um galpão que está desativado. Eles estão esperando uma ‘vakinha’ para alugar um local, que foi prometida pela comunidade”, diz.

- Publicidade -

Simone disse que muitas pessoas estão ajudando com comida, mas que o problema deles é a moradia. Ficou acertado que, se a ‘vakinha’ não for entregue hoje, eles aceitarão a ajuda do governo municipal e irão para a Casa de Passagem na quinta-feira (13). 

Uma preocupação era com a chuva que está ocorrendo em Balneário desde terça, porém, a catadora disse que na barraca que ela e o companheiro montaram não está chovendo dentro e que estão bem alojados.

O diretor do Resgate enviou um vídeo para o jornal onde mostra a situação do abrigo do casal. 

“Eles vão esperar até amanhã (quinta-feira) para ver se vão para a Casa de Passagem, se não conseguirem os anseios deles ainda hoje. Os animais deles estão bem cuidados, eles mesmo dizem que estão até melhor que eles. Estamos dando o maior apoio”, completa Roberto.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -