- Publicidade -
- Publicidade -
20.3 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Dos 4,3 mil atendimentos do Ruth Cardoso em janeiro, metade foi de moradores de outras cidades

A conta é de R$ 8,7 mi/mês e Balneário Camboriú paga a maior parte

Somente nos primeiros 15 dias de 2023, o Hospital Municipal Ruth Cardoso registrou 4.348 atendimentos, uma média de 289 atendimentos por dia, distribuídos entre Pronto Socorro Adulto (58,5%), Pronto Socorro Infantil (26,4%) e Centro Obstétrico. 

Desse número, metade são de moradores de Balneário Camboriú, sendo o restante de outros municípios catarinenses e de outros estados (32% de Camboriú). 

Isso mostra a necessidade do Governo de Santa Catarina ajudar Balneário Camboriú a pagar a conta, já que o Ruth Cardoso é, em teoria, um hospital municipal, mas que atua como regional.

- Publicidade -

Ministério da Saúde cobre apenas 15% do custeio

Segundo a diretora do Hospital Ruth Cardoso, Syntia Sorgato, a maioria dos atendimentos foram complicações de doenças crônicas, em segundo lugar acidentes (de trânsito, quedas de altura, etc.), e em terceiro infecções. 

“Hoje, recebemos o valor desses atendimentos via Ministério da Saúde, pelo SUS, sejam os que chegam para o pronto-socorro ou internamentos, mas o valor é muito baixo, e cobre apenas 15% do custeio. O restante vem da ação civil pública movida pelo Ministério Público e pela prefeitura de Balneário, e pelo nosso governo municipal”, conta.

Quem paga a conta?

A média do custeio é R$ 8,7 milhões/mês – destes R$ 5,54 milhões são de recurso municipal, R$ 1,60 milhões de recurso estadual e R$ 1,58 milhões de recurso federal via SUS.

Números altos também na maternidade

Syntia destaca que o apoio no custeio é urgente, e que isso também se reflete na maternidade – nos 15 primeiros dias de janeiro nasceram 177 crianças, e até o fim do mês o número tende a chegar em 350. 

“O valor é bem alto, a nossa média é 300, tem 15% a mais, sendo que 60% são de outros municípios da região, 5% turistas e somente 35% de residentes de Balneário”, pontua.

Expectativa é de que governo de SC ajude

Por esses números expressivos, desde 2018 a prefeitura de Balneário Camboriú busca por apoio ao custeio via governo do Estado, o que nunca se concretizou. Porém, as expectativas são de que o novo governador, Jorginho Mello, enfim atenda o pedido, já que é do mesmo partido político (PL) do prefeito da cidade, Fabrício Oliveira, e do deputado estadual e ex vice-prefeito de Balneário, Carlos Humberto Metzner Silva (relembre aqui). 

“Esperamos uma resposta do Governo do Estado, para saber de que forma podem nos ajudar e as expectativas são boas, há uma sinalização de ajuda ao Ruth para conseguirmos manter os atendimentos da região”, acrescenta.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -