- Publicidade -
21.5 C
Balneário Camboriú

26 de julho de 1991 – 26 de julho de 2021 – 30 anos de Jornal Página 3 em Balneário Camboriú

“Só depois que a tecnologia inventou o telefone, o telégrafo, a televisão, todos os meios de comunicação à longa distância, foi que se descobriu que o problema de comunicação mais sério era o de perto”. Millôr Fernandes.

Esta proposta foi um dos pilares na fundação do jornal Página 3 há três décadas e continua valendo até hoje, apesar do avanço da tecnologia e da comunicação instantânea e  ‘interplanetária’. 

O jornal Página 3 nasceu no dia 26 de julho de 1991, sete dias depois que Balneário Camboriú completou 27 anos. Foi o décimo jornal a circular na cidade nestes 27 anos e é o único que completou três décadas, sem falhar uma edição sequer.

A equipe de largada: Nildo Teixeira de Melo, Marlise Schneider Cezar e Waldemar Cezar Neto (reportagens e editoração eletrônica); Gelci Veit (diretora comercial); Patrícia Zutter de Melo (Administração/Financeiro); Kiko Novaes (charges) e os colunistas Rogério Faísca, Oliveira Brandão, Luiz Alberto Cavalcanti e José Neves de Souza (os três últimos já falecidos). 

O formato era tablóide. A edição era semanal (às sextas-feiras) e a impressão em Florianópolis. A primeira sede era alugada, na Rua 600. Na redação, máquinas de escrever, máquinas fotográficas e um computador. 

Os primeiros anunciantes: Camvel; Construtora Basualdo; Di Domênico Imóveis; Amoaras Auto Posto; Imobiliária Bom Pastor; Imóveis Rubens Franco; Claudete Imóveis; Motel OK; Art´Vision Vídeo Locadora; Sinhá Maria Restaurante e Petiscaria; Lavação AF; Mercol Motos; Buratto Imóveis; Fábrica Móveis Veit; Floricultura Realce; Latoaria e Pintura 1100; Mãe Diana de Iemanjá; Menina FM; Equipesca: Prefeitura Balneário Camboriú; Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú.

O país era governado por Fernando Collor, Santa Catarina por Vilson Kleinubing e Balneário Camboriú por Leonel Pavan. A moeda era o cruzeiro (Cr$). A primeira edição custou Cr$ 100,00.

Destaques da primeira edição

Primeira Capa

Destaques: os 27 anos de emancipação política de Balneário Camboriú, uma semana antes, 20 de julho de 1991; a vinda de Leonel Brizola para inaugurar o primeiro CIEP de Santa Catarina, na Vila Real; a entrevista de juízes e promotores sobre o Poder Judiciário; o Campeonato da ASBC e um convite estampado ‘Temos um encontro às sextas-feiras’ e a publicação de dezenas de nomes de conhecidos ou não que moravam na cidade.

O Primeiro Editorial

(…)“Balneário Camboriú é o segundo maior polo turístico do litoral sul, vizinho de municípios líderes nacionais em diversos segmentos econômicos e nosso Estado, na maioria dos indicadores, possui padrão superior a muitos países europeus. A nossa imprensa não acompanhou esse desenvolvimento e não confere a Balneário Camboriú a importância que merece (…)”. 

“O Página3 surge num momento em que o Brasil questiona o direito que a imprensa tem de informar com isenção aquilo que ocorre; em um momento em que a grande imprensa é processada por denunciar concorrências públicas nebulosas e negócios estranhos do governo collor, mais precisamente na ‘República de Alagoas’(…)”.

A Primeira Entrevista 

O Página 3 reuniu os magistrados Alaíde Maria Nolli Duwe, Robson Luz Varella e os promotores Luiz Alberto Cavalcanti, Gotardo Andreola e Mário Luiz de Melo, para um debate sobre o poder judiciário no Brasil, sua imagem como instituição, funcionamento, qualidades e defeitos. 

Política: Vereadores devem ter imunidade parlamentar?

O primeiro ‘Página 3 Pergunta’:

“Vereadores devem ter imunidade parlamentar?”

Na primeira edição, responderam Remi Osório, do PFL (a favor da imunidade) e Dado Cherem, do PSDB (contra). Toda semana uma nova pergunta e dois políticos convidados para responder.

Educação: Inauguração do CIEP

O governador pedetista do Rio de Janeiro, Leonel Brizola  veio a Balneário Camboriú para inaugurar o CIEP da Vila Real, dar o aval para sua principal bandeira política – escolas em turno integral e prestigiar o prefeito pedetista Leonel Pavan, que construiu em Balneário Camboriú a primeira escola integral do Estado. Em entrevista ao Página3, ele anunciou sua vontade de concorrer à presidência do país:

“Se o cavalo passar encilhado, eu monto…”, afirmou Brizola.

Economia: Inflação

Em época de inflação galopante, o jornal abriu espaço para acompanhar os preços em cinco supermercados, em parceria com a Associação das Donas de Casa de Balneário Camboriú, fundada dois anos antes. Elas percorriam toda semana as prateleiras e comparavam o preço de produtos essenciais. Na primeira edição, os mercados pesquisados foram Comper, Pão de Açucar, Sesi e Vitória (nenhum existe mais). Faltavam ovos brancos e óleo de soja nas prateleiras. O feijão preto custava Cr$ 225,00 e a carne moída Cr$ 1.040,00/kg. 

Defesa do consumidor

A cidade tem quase 70 mil habitantes e muita exploração de preços na temporada. Desde 1990 o Procon atende no Fórum, mas faltam funcionários e equipamentos. Em junho de 1991 a cidade ganhou dois novos órgãos controladores de abusos: o Deacon que funciona junto com a CDL (Clube de Diretores Lojistas), presidido por Haroldo Cezar Lehmann e a Adecon, dirigida por Rogério Ferreira. 

Cultura: Filmes em destaque

A dupla mais famosa da época, Chitãozinho e Xororó lotou o pavilhão da Santur. No Cine Itália, em cartaz há uma semana ‘Dança com Lobos’, uma superprodução de Kevin Costner.

Nas vídeolocadoras, os mais procurados eram ‘As Tartarugas Ninja’, ‘Alta Tensão’ e ‘Uma Linda Mulher’.

Esporte

  • Surf em destaque

André Huebs vence a quarta etapa do Circuito 91 da ASBC (Associação de Surf de Balneário Camboriú) e Neco Padaratz ficou vice. A surpresa foi Cristian Vaccaro vencedor das três etapas anteriores, desclassificado na quarta, mas firme na liderança do ranking e o destaque mirim da etapa foi Mário Tetto.

  • Fórmula 1 na pista assassina

“Hockenheim, na Alemanha, é considerada uma pista ‘assassina’, porque ali já morreram cinco pilotos, entre eles, Jim Clark e Patrick Depailler (…)”. E a matéria segue: “O próprio Ayrton Senna escapou por pouco na semana passada quando num teste de pneus, seu MacLaren capotou várias vezes após estourar um pneu traseiro a 300km por hora. Senna saiu ileso, comprovando sua sorte”.

Roteiro

 A programação do final de semana incluía exposições, shows e atrações variadas no Whiskadão, Frá-Angélico, Restaurante Escaler do Marambaia, Fantástico e o músico Celsinho Peixoto cantava MPB na Pizzaria Convés, naquele último final de semana de julho.

Turismo: Hora de Melhorar

A reportagem apresenta o cenário desta jovem cidade de 27 anos que já precisa de investimentos no seu carro-chefe, o turismo, principal alimento da construção civil, comércio e imobiliárias, porque a concorrência na vizinha só está aumentando. 

Osmar de Souza Nunes Filho (Mazoca), hoteleiro, ex-secretário de Turismo e presidente da Santur de 87 a 91, disse na reportagem  que ‘só o visual que Deus nos deu não é o bastante’. 

Os problemas estão por toda a parte e a constatação, passados 30 anos, é que muitos ainda não foram resolvidos. Caso dos esgotos clandestinos:

1991 – Sete anos depois da implantação da rede da Casan, a Secretaria do Meio Ambiente, liderada pelo secretário Raimundo Malta (falecido), já havia localizado mais de uma centena de esgotos clandestinos, despejando no Canal do Marambaia e poluindo a praia;

A primeira charge alertando a situação que os esgotos clandestinos provocavam na praia: enormes línguas pretas sobre a areia escorrendo para o mar

2021 – A Emasa criou o programa ‘Se Liga na Rede’ em 2016 e até o ano passado detectou mais de 100 lacres em diferentes imóveis, totalizando cerca de 500 unidades consumidoras, referentes ao lançamento irregular de esgoto sanitário ao meio ambiente.

A reportagem também mencionou o problema da exploração das pedreiras; a pesca artesanal enfrentando os barcos atuaneiros muito próximos, a 200m da praia, capturando os peixes pequenos para usar como isca e prejudicando o arrastão que virou atração turística; o transporte coletivo municipal que não existia na cidade. O prefeito anunciou concorrência pública, a Expressul venceu e exerceu até 2020, rompendo a concessão sete anos antes do fim do prazo e em 2021 Balneário Camboriú continua sem transporte coletivo municipal. 

Há 30 anos, o então prefeito Leonel Pavan costumava dizer: ‘A cidade não tem mais para onde crescer’.

Em 2021 a declaração continua real, mas a cidade cresceu muito verticalmente. No ano passado, a prefeitura contratou o escritório do urbanista Jaime Lerner para revitalizar as praias, os rios, criar novos espaços e conceitos e desta forma mudar a cara de Balneário Camboriú, dentro dos limites da área territorial que não tem como mudar. 

Texto: Marlise Schneider Cezar

Leia mais matérias sobre os 30 anos do Página3

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -