- Publicidade -
- Publicidade -
21.4 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Projeto para criar Fundo de Transporte Coletivo de Balneário Camboriú foi retirado de pauta após ‘climão’ nos bastidores

Pista exclusiva para ônibus foi contestada e projeto foi retirado

Estava previsto para ser votado na noite de terça-feira (15) o projeto que instituía o Fundo Municipal de Transporte Coletivo Urbano e Mobilidade Urbana (FUMTUM) de Balneário Camboriú, mas ‘em cima da hora’, o PLO foi retirado de pauta pelo vereador líder da bancada do governo municipal, Gelson Rodrigues.

Informações de bastidores dão conta de que Gelson teria se estressado e retirou o projeto da pauta, porque a vereadora Juliana Pavan iria propor uma emenda ao PLO. 

A opinião dos vereadores da oposição era de que o projeto apresentado pelo Executivo era capenga, porque só a prefeitura seria do conselho (a sugestão é que a OAB e o Observatório Social também atuem), além de que o projeto previa tirar uma faixa das avenidas para exclusividade dos ônibus.

- Publicidade -

Juliana havia feito emendas e é contra a tal faixa exclusiva. Antes da fala dela, o PLO foi retirado da pauta – ainda sem data para voltar a ser discutido pelos vereadores.

Ao jornal, a vereadora Juliana disse que se posicionou contra porque precisa de mais informações sobre o Fundo. 

“Melhorar nossa mobilidade é urgente, mas a própria base do governo percebeu a fragilidade do projeto e retirou o projeto. Reservar uma pista exclusiva para transporte coletivo? No transporte local são poucas linhas, os usuários vivem reclamando da falta de horários, vai trancar ainda mais as vias já sobrecarregadas de veículos. Balneário Camboriú precisa é de um modal intermunicipal com Itajaí e Camboriú, e não essa pista única para os ônibus”, afirmou.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -