- Publicidade -
16.4 C
Balneário Camboriú

Veja a opinião de quem já conheceu o projeto de reurbanização da Avenida Atlântica

- publicidade -

Convidados de diversos segmentos de Balneário Camboriú, como turismo, comércio e construção civil, foram apresentados ao projeto conceito, que trata da reurbanização da Avenida Atlântica, após o alargamento da faixa de areia, em reunião comandada pelo prefeito Fabrício Oliveira dias atrás. O trabalho foi pago pelo Instituto+BC, formado por empresários da cidade.

(Divulgação)

A imprensa não foi convidada, sob alegação de que o projeto não é ainda o oficial, mas o Página 3 conseguiu informações, imagens e ouviu algumas das pessoas que estiveram presentes na reunião. Confira.

“Foi uma contribuição que nós empresários estamos dando para a cidade”

Nelson Nitz, proprietário da N. Nitz Construtora e Incorporadora, presidente do Sinduscon (Sindicato da Construção Civil de Balneário Camboriú) e membro do Instituto + BC

Nelson Nitz (Foto Sinduscon)

“Participei das reuniões e sou um dos sócios do Instituto + BC, contribuo mensalmente com ele. Cada um contribui com quanto quiser. Somos um grupo de empresários da cidade, dos mais diversos segmentos (hotéis, bares, restaurantes, construção civil, concessionárias, etc.), e que somos apaixonados pela nossa cidade, sabendo que a prefeitura, por força da lei, precisa chamar licitação e precisam pegar a empresa mais barata, decidimos por nossa conta contratar o projeto de reurbanização, e escolhemos alguém com experiência, o Escritório do Índio da Costa. Ele é um urbanista do Rio de Janeiro, com um currículo de excelência. Essa reunião que tivemos foi para apresentar o projeto, ele não é necessariamente definitivo. Estamos fazendo observações, participou o prefeito, Secretaria de Planejamento, os arquitetos da prefeitura. Para executar o projeto será preciso licitar, mas será um processo mais fácil já tendo o projeto para definir o que será feito. Há também a opção de licitar cada parte da obra individualmente ou então licitar o todo. A iniciativa privada pode apoiar, ajudar na obra da ciclovia e do VLT. Não será feito tudo de uma vez só, é algo de médio-prazo. A proposta inicial é fazer um pedaço já neste ano para mostrar para as pessoas o que será feito, e isso deve ser feito já para este verão. O grande lance é que estamos lidando com um dos urbanistas mais famosos do Brasil, o Índio da Costa, ele fez pesquisa, fui a várias reuniões. Será algo que vai valorizar muito mais o ser humano do que carros, a calçada vai ser ampliada, terá muito mais verde, muito verde mesmo, até restinga vai ser replantada. A comunidade pode ficar tranquila, porque será feita audiência pública, as pessoas poderão ver o projeto, opinar. Não quer dizer que esse projeto é obrigado a ser executado, foi uma contribuição que nós empresários estamos dando para a cidade. É uma iniciativa de quem está aqui, investe aqui e gosta daqui, quem de fato se preocupa e quer ver a nossa cidade melhor. Não tem nada definido ainda, é complicadíssimo mostrar o projeto na totalidade para todos, porque não está pronto ainda, está sendo modificado o tempo todo. Posso antecipar que terá local para parada de barcos, será gratuito, além do espaço para eventos atrás do molhe da Barra Sul. Estamos projetando, discutindo, para chegarmos ao melhor para Balneário. Esse é um sonho de muitos anos, quando eu fui candidato a prefeito, em 1988, eu incluí em meu plano o alargamento da faixa de areia, e hoje está se tornando realidade! Os pontais, tanto norte como sul vão ter equipamentos de lazer, quadras esportivas, canchas de bocha, locais que as pessoas poderão usufruir. Os quiosques de milho e churros vão ter também, menos quantidade do que hoje, mas maiores e melhores, barzinhos, banheiros, até espaço para troca de fraldas para as mães… a fiação será subterrânea, assim como os estacionamentos, há um projeto para estacionamento subterrâneo na Barra Sul”.

(Divulgação)

“Será uma obra que ficará para a história de Balneário Camboriú”

Geninho Góes, secretário de Turismo de Balneário Camboriú

Geninho Goes (Divulgação/PMBC)

“Eu vejo que essa é uma ideia ainda, é uma proposta que está sendo apresentada, porque ainda está no início. Está sendo apresentada para a cidade como um todo, para coletarmos sugestões. Pelo que eu vi, acredito que será um novo momento para Balneário Camboriú. As cidades precisam se reinventar e eu acredito que será uma obra que ficará para a história de Balneário Camboriú, que vai ressignificar o turismo da cidade, com uma área verde, deixando a cidade com mais vida ainda. Trazendo algo que todo turista precisa: uma cidade que já é bonita vai ficar melhor ainda, vai melhorar o que já é bom. Acredito que é um projeto inovador, uma proposta inovadora, e que eu acho que é muito boa para a cidade em todos os aspectos”.

(Divulgação)

“Não vai ‘tirar’ a faixa de areia, vai enriquecer a oferta”

Margot Rosenbrock Libório, hoteleira (proprietária dos hotéis Bella Camboriú e Rosenbrock) e presidente do Balneário Camboriú Convention & Visitors Bureau

Margot Liborio foto BNT Mercosul

“Apresentaram o projeto preliminar, bancado pelo Instituto + BC. Ouviram opiniões, soube que fizeram uma reunião à tarde também. Foi bem interessante. É importante ouvir a cidade para chegar na sugestão de projeto ideal para o reposicionamento da marca da cidade. A orla que temos hoje, o paisagismo, realmente está ultrapassado, e o futuro passa por esta “repaginação”, por estes investimentos na qualificação de nosso maior patrimônio, que é a praia central. Houve comentários sobre o Pontal Norte, e na verdade não vai “tirar” a faixa de areia, vai enriquecer a oferta (no projeto preliminar constam quadras, área verde, canchas de bocha e até um ‘passeio’ redondo com vidro onde a pessoa caminhará ‘pelo mar’), mas também entendo que não dá para agradar a todos. Vai recuperar a restinga! Seis metros! A cidade, apesar da praia, que perdeu espaço, perdeu areia, é carente de áreas públicas qualificadas. No projeto há muitos jardins, muitas árvores, a recuperação da restinga, a requalificação dos serviços gastronômicos, um mobiliário moderno, via para caminhada, outra para corrida, outra para bikes e afins e até um VLT. É inovador, é inclusivo, é BC sendo BC, incomparável. Há também o projeto de espaço para eventos no Molhe da Barra Sul, e hoje não há local para eventos públicos, com qualidade… vai suprir essa carência. O prefeito falou que pretende reurbanizar 200/250 metros já para o verão, como uma espécie de showroom, mas a obra mesmo, imagino que será licitada, não falaram nos prazos”.

(Divulgação)

“Vai gerar uma onda de modernidade jamais vista por aqui”

Vilton Santos, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Balneário Camboriú (CDL BC)

Vilton (Divulgação)

“O projeto de reurbanização da Avenida Atlântica vai elevar o patamar de Balneário Camboriú. Além de belíssimo, vai acrescentar uma grande e necessária área verde à cidade. Teremos vários novos espaços de convivência e contemplação e áreas destinadas à prática de esportes e apresentações culturais. A segurança aumentará, com uma faixa destinada à prática de corridas e outra ao trânsito de bicicletas e veículos elétricos. A possibilidade de contarmos com um VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) também é muito interessante. Constituirá uma nova e moderna versão dos bondindinhos. Essa reurbanização trará outros efeitos benéficos como a valorização ainda maior dos imóveis de BC e acabará gerando uma onda de modernidade jamais vista por aqui. Veremos comércios, restaurantes, hotéis e demais segmentos iniciando uma necessária fase de reformas e embelezamento. Tudo isso vai qualificar nosso turismo, atraindo um turista classe A, com ticket médio bem mais alto do que o atual. A CDL pensa que esse é melhor caminho para o nosso futuro. Queremos qualidade e não quantidade. Preferimos 500 mil pessoas na virada do ano, mas gastando muito, ao invés de 1 milhão de visitantes deixando pouco dinheiro na cidade e colapsando os serviços básicos como trânsito, coleta de lixo, segurança, fornecimento de água e luz. Vamos preparar e qualificar nossa cidade para essa evolução e transformá-la na melhor e mais atraente cidade desse país. Um destino procurado e desejado, um case de sucesso na área turística mundial”.

(Divulgação)

“Inovador, de design moderno”

Andrezza Maciel Negrini, diretora do Hotel Negrini, vice-presidente do Convention & Visitors Bureau e diretora de Hospedagem do Sindisol (Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Balneário Camboriú e Região)

Andrezza Negrini (Divulgação/CVBC)

“O projeto, ainda em processo, é inovador, de designer moderno, contempla atividades variadas que hoje são de utilidade dos moradores e frequentadores da praia central de BC, em vias de ser aterrada. A ideia de escutar vozes diversas, preocupações, sugestões e críticas é positiva (nas reuniões, como na ocorrida nesta semana) e certamente agrega. Afinal, o projeto é ousado e mexe não somente com a natureza, que é nosso bem maior, mas diretamente com todos que aqui vivem, dentro de uma mobilidade compacta”.

“É um projeto que vai trazer novamente muita visibilidade para o município”

Marcos Arnhold Junior, coordenador dos cursos de Turismo e Hotelaria e de Gastronomia da Univali, professor do programa de Mestrado e Doutorado em Turismo e Hotelaria da instituição

Marcos Arnhold Junior (Arquivo pessoal)

“O projeto de reurbanização da Avenida Atlântica é um projeto arrojado, que ainda está em fase conceitual, mas que já demonstra grandes possibilidades de renovação do interesse de turistas pelo produto turístico que é Balneário Camboriú. A reorganização deste espaço trará novas dinâmicas para a utilização da praia, do calçadão, dos espaços esportivos, bolsões verdes, além da proposta de implantação de um VLT. Como todo projeto em fase inicial, os desafios aumentarão na hora da execução e da utilização pela população e pelos turistas. Estes espaços pedirão atenção em relação à manutenção, à qualidade da prestação dos serviços, à segurança dos usuários, entre outras demandas. De qualquer forma, é um projeto que vai trazer novamente muita visibilidade para o município, sendo positivo para a atividade turística, mas também trazendo muitos desafios para a gestão pública na manutenção da qualidade deste espaço, em paralelo com todas as outras necessidades que o município tem para buscar uma atividade turística sustentável e de qualidade para moradores e turistas”.

(Divulgação)

“Balneário Camboriú ganhará com certeza um grande upgrade com o projeto”

Célia Denise Uller, professora do curso de Turismo da Univali e coordenadora do Laboratório de Hospedagem da instituição

“Acredito que a orla de Balneário Camboriú ganhará com certeza um grande upgrade com o projeto de alargamento da faixa de areia e o de reurbanização. Essa urbanização irá contar espaços para esporte, lazer, cultura e áreas verdes em conexão com a faixa de areia, proporcionando aos moradores e turistas espaços diversificados de convívio, o que é extremamente positivo é na verdade o que mais gostei. Pois acredito que uma cidade turística deva oportunizar os moradores a usufruírem de uma estrutura turística com qualidade. Outro aspecto de destaque que qualifica Balneário Camboriú é não compará-la com outros destinos turísticos, mas sim promovê-la como Balneário Camboriú, como destino consolidado e reconhecido que já é há muito tempo”.

(Divulgação)

“Será uma nova orla para os turistas e para o progresso de nossa cidade”

Rosemari Tomazoni, comerciante e vice-presidente do Sindilojas

Rosemari (Foto Sindilojas)

“Sou a favor do projeto, foi uma apresentação muito clara e o que eu mais gostei foi o espaço onde pode ser aproveitado para passeio a pé, caminhada, bicicleta. Fico na torcida de que esse projeto saía da forma como foi apresentado, porque nós merecemos. Gostei muito mesmo. A única questão que fiquei um pouco surpresa foi a ideia de fazer um subterrâneo para abastecimento dos quiosques. Isso é um ponto de interrogação que eu vou esperar para ver, porque facilitaria muito pela distância que vai ter para abastecimento de bebidas e o que for necessário. Eu tenho loja na Avenida Brasil há 31 anos e sempre foi um sonho, desde que houve o plebiscito, de que o alargamento da faixa de areia se tornasse realidade. O turista ficará encantado com esse projeto, com espaços para apreciar o mar, para ter segurança, com iluminação, muito verde. Acho que será uma nova orla para Balneário Camboriú, para os turistas e para o progresso de nossa cidade. Será um sonho quando eles verem pronto e comentarem, será uma nova atração, e para o comércio será muito benéfico também. Imagina um entardecer, o povo quer sol, quer espaço, e todos vão sentir isso. Será um encanto, o que Balneário tem de melhor é a nossa praia!”

(Divulgação)

“Somos favoráveis a uma ampla discussão com a sociedade”

Antônio Demos, presidente da AMPE (Associação das Micro e Pequenas Empresas de Balneário Camboriú)

Antônio (Foto AMPE)

“Sobre o projeto de reurbanização da Avenida Atlântica, percebemos se tratar de um projeto moderno, que, embora tardio, consegue projetar uma proposta futurista e de extrema importância para a nossa cidade. A proposta é muito conceitual ainda, o que dificulta uma análise mais profunda sobre os seus principais impactos, como o ecológico, ambiental, logístico, econômico, mobilidade e outros. Mas como todo projeto, tem que partir de um conceito, o que foi apresentado deve ser seguido, corrigindo os principais conflitos que venham a ocorrer ao longo da implementação. Somos favoráveis a uma ampla discussão com a sociedade, envolvendo os principais segmentos e não ignorando, sob hipótese alguma, qualquer segmento que possa ser afetado com as mudanças, isso requer habilidade e isenção de interesses particular de grupos específicos, por isso que a prefeitura precisa ter muita habilidade ao discutir a proposta para colocar os interesses da comunidade acima de qualquer outro interesse. Balneário é uma vitrine nacional consolidada, precisa expandir sua imagem para a esfera internacional, porém a orla e a Avenida Atlântica precisam estar repaginadas dentro dos padrões dos melhores destinos internacionais. Uma preocupação que pretendemos trazer para a discussão é a questão da mobilidade, ao se usar o VLT (veículo leve sobre trilhos) conectando as duas extremidades da praia, é importante que o mesmo modelo seja usado para conectar as principais vias de acesso oriundas da Avenida do Estado e Terceira e Quarta Avenida. Sob o ponto de vista econômico, somos pela descentralização dos serviços com concessões, para que os empreendedores possam ter a oportunidade de disputar as oportunidades que surgirão com a implementação do projeto. A nova avenida deverá oferecer várias opções de lazer, mobilidade, segurança, bom paisagismo e oportunidades de negócios. Na apresentação não se falou em custos, cronograma e sobre o sistema de concessão de serviços, acreditamos que essas questões virão posteriormente”.

- Publicidade -
- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- publicidade -

Últimas notícias

Administração de Balneário Camboriú continua penalizando proprietários dos lotes no Morro do Careca

O advogado Alexandre Furtado da Silva, que representa proprietários prejudicados na área de preservação permanente do Morro do Careca,...
- Publicidade -
- Publicidade -