- Publicidade -
19.8 C
Balneário Camboriú

Artemísia – A erva da mulher

Muito conhecida desde os tempos antigos por suas propriedades medicinais, a Artemísia, é considerada uma planta mágica, poderosa e muito ligada a energia feminina. Carrega a força da deusa, traz conexão com os conhecimentos ancestrais, a sabedoria das matas e expressa a fertilidade da mãe terra. Para os orientais é sagrada e chamada de “erva da vida”, “erva das bruxas” ou ”deusa das plantas”.

A Erva da mulher ou Erva da lua – como é carinhosamente apelidada – pois regula o ciclo menstrual, trata cólicas, sintomas de TPM e menopausa e quase todas as doenças ligadas ao ciclo feminino.

História e Simbolismos

É uma planta muito associada à magia. Os gregos e os romanos utilizavam-na para invocar o espírito dos mortos. Na Europa, antes do cristianismo, usavam-na na incineração dos cadáveres. Os cristãos vieram mais tarde utilizá-la na decoração dos caixões e foi muito utilizada nos jardins dos mosteiros da Idade Média.

Nos Açores a artemísia é conhecida por rainha-das-ervas e também como erva-dos-caminhantes, pois acredita-se que colocando algumas folhas de artemísia nos sapatos ou mascando um pouco, ajuda a combater a fadiga e o cansaço nas longas caminhadas, protegendo ao mesmo tempo os caminhantes de maus-olhados e bruxarias. Também era utilizada em poções ou fumada por caminhantes do mistério da vida, para ter acesso a visões premonitórias da vida na Terra.

A Artemísia faz parte das nove plantas sagradas dos anglo-saxões. Está ainda associada aos sonhos e acredita-se que um saquinho de artemísia colocada debaixo do travesseiro ajuda a ter bons sonhos e a afastar pesadelos. Antes da utilização do lúpulo para aromatizar a cerveja era usada a artemísia.

A origem do nome científico (Artemísia vulgaris L),é de origem grega e uma homenagem a Deusa Artemís ou Diana para os romanos, que era a deusa da natureza, da lua e da caça, protetora das mulheres e dos problemas femininos relacionados com a fertilidade. Esta deusa grega é a protetora dos partos.

Considerada também a erva das bruxas, essa plantinha tem um poder espiritual muito profundo. Quando usada em forma de infusão ou queimado seu incenso, ela é capaz de provocar sonhos lúcidos, podendo nos ajudar a acessar nosso subconsciente, mas também nos conecta com a potência mais visceral da terra: Útero, sangue, ciclos naturais, parto.

Artemísia é a guerreira, assim como a Artemis e nos traz força pra exercitarmos nosso livre arbítrio, atravessarmos as fronteiras da zona de conforto, e mergulharmos floresta adentro. Nos encoraja a encontrarmos nossa verdade, a nos conectarmos com a lua e com o sol e com nosso ciclo menstrual. É o feminino mostrando sua força, sua sororidade, sua voz, sua potência oculta. Não é suave nem doce. É forte e amarga na medida certa pra abalarmos as estruturas do que não serve mais. Ela atua principalmente movendo as estruturas internas para promover a desestagnação de questões crônicas de saúde, auxiliando mulheres que tem amenorreia, desordens hormonais, e problemas uterinos, então ela é especial para endometriose, miomas, infertilidade, etc.

É regida pelo Sol e por Vênus (força/feminina),e dedicada aos Orixás Oxossi, Oxum e Oxumare.

Nome científico: Artemísia vulgaris L.
Outros nomes: Absinto, Artemísia-comum, Artemísia-verdadeira, Artemija, Artemige, Artemígio, Erva-de-São-João, Flor-de-São-João, Isopo-santo, Losna, Losna-brava, Artemísia-do-campo, Artemísia-selvagem, Aurora-dos-campos, Cibalena, Anador, Erva-de-fogo, Rainha-das-ervas…

Características: Artemisia vulgaris, da família das asteraceaes, é uma herbácea, composta, perene, rizomatosa, ereta e de caule ramificado. Pode chegar a 1m de altura, tem folhas de cor verde na parte de cima e prateada em baixo e flores em capítulos pequenos amarelados.

Possui origem na Ásia e é naturalizada em quase todo o mundo. Introduzida e aclimatada em todo o Brasil, nasce em terrenos baldios, beiras de estrada e até mesmo nas montanhas mais altas, mas prefere as zonas quentes perto do mar e se reproduz espontaneamente por semente e rizoma.

Foram encontrados mais 40.000 artigos com o termo ‘Artemisia’ definido como palavra-chave e/ou no título e/ou corpo do texto, no Portal de Periódicos CAPES. Existem cerca de 500 espécies com nomenclaturas botânicas aceitas, muitas das quais têm sido amplamente usadas na medicina popular no tratamento de diferentes tipos de câncer e tumores. Dentre as espécies deste gênero mais utilizadas tradicionalmente, estão Artemisia absinthium ou Losna e Artemisia vulgaris L. (Artemísia), ambas bastante conhecidas e comercializadas no Brasil. Outra espécie muito conhecida no combate à malária, pelo seu princípio ativo (a artemisinina), é Artemisia annua L.

Aqui já respondo uma pergunta muito comum: Artemísia é a mesma coisa que a Losna?

Não! A Losna e o Artemijo são variações, com propriedades medicinais diferentes, mas pertencentes ao mesmo gênero. Enquanto a Artemísia tem folha verde em cima e prateada em baixo e suas extremidades mais pontudas, a losna é toda acinzentada e bem redondinha.

Propriedades medicinais: fertilizante, hemostático, digestivo, aperiente, antiviral, antianêmico, analgésico, antidiarreico, antiepilético, antiespasmódico, anti-hidrópico, anti-inflamatório, antimalárico, antimicrobiano, antinevrálgico, antirreumático, antisséptico, antioxidante, calmante, carminativo, cicatrizante, depurativo, digestivo, emenagogo, estimulante, estomáquico, eupéptico, febrífugo, hepatoprotetor, Tônico do sangue, Tônico hepático, Peristalse intestinal, Calmante, Leucemia, Citotóxico, inseticida, repelente, sedativo, vermífugo, abortivo, aromático, carminativo e emoliente.

Benefícios e uso tradicional da Artemísia: Tônico aperitivo e da circulação sanguínea, ajuda a controlar o ciclo menstrual, estimula a fertilidade, alivia sintomas da TPM, cólicas, é calmante e relaxante, combate o estresse e a ansiedade, auxilia nas infecções urinárias, reduz cistos nos ovários e miomas no útero, melhora as contrações do parto e dores no pós-parto, promove a saúde dos rins e do fígado. É analgésica, antifúngica e antibacteriana, além de combater vermes, auxilia no tratamento da doença de Crohn, ajuda a proteger o cérebro e a prevenir acidentes vasculares cerebrais, auxilia na digestão, ajuda a prevenir alguns tipos de câncer, em especial a leucemia mielóide aguda, alivia dor de estômago, alivia sintomas de gripes e resfriados, auxilia no tratamento de sarampo, ajuda a combater icterícia. Ela também é uma planta que estimula a transpiração, aumenta o desejo sexual feminino, é repelente natural de insetos e pode aliviar dores articulares quando aplicada topicamente, além de tratar contaminação por salmonela.

CONTRA INDICAÇÕES:

Não ingerir crua, mulheres grávidas ou que amamentam. Tóxica em dosagem acima do indicado. Efeitos colaterais: excitação do sistema nervoso central, vasodilatação, convulsões e reações alérgica, fica presente no leite da lactante. Pode causar também hepatonefites, concussões e problemas mentais e psíquicos e tem grande potencial abortivo.

Formas de Uso: A Artemísia é usada nas formas de emplastro, infusão, tintura, unguento, xarope, extrato fluído, maceração, óleo essencial, vaporização, cataplasma, incensos, banhos, compressas e moxabustão (técnica terapêutica que falaremos num post futuro). De acordo com cada problema e doses específicas em cada situação. Daí a importância de consultar e ter acompanhamento de um profissional da área.

Conhecimento Científico da Artemisia vulgaris L.

– Estudo realizado na Universidade de Medicina Chinesa em Beijing, mostrou que a inalação da fumaça da moxa com Artemísia pode induzir um efeito calmante sobre o corpo humano . Outra pesquisa sugere que além de possuir efeito terapêutico, a moxa também poderia prevenir doenças e fortalecer a resistência física do corpo. Estudos apontam a potencial atividade antitumoral da fumaça de moxa. A fumaça da moxa mostrou citotoxicidade contra linhagens de células tumorais humanas (carcinoma epidermóide de boca HSC-2, HSC-3, leucemia promielocítica HL-60).

Testes toxicológicos com parâmetros hematológicos, bioquímicos, histopatológicos e comportamentais foram realizados em camundongos tratados com a fumaça da A. vulgaris L. para a cicatrização de úlceras por pressão, e no estudo feito, concluiu-se que a moxa não produziu efeito tóxico e acelerou a cicatrização.

Em ratos, o extrato bruto das partes aéreas de A. vulgaris L. exibiu efeitos hepatoprotetores. O efeito foi ainda verificado por exame histopatológico do fígado, que mostrou um melhor aspecto, ausência de congestão parênquimal, diminuição do inchaço celular e células em apoptose.

A atividade antioxidante do extrato aquoso da A. vulgaris L. foi testada in vitro e in vivo, e resultou em um aumento significativo dos níveis de glutationa no sangue, da atividade da superóxido dismutase e do teor de ácido ascórbico no soro, em comparação com seus respectivos controles.

Por sua vez, a tintura de Artemísia vulgaris L., inibiu significativamente as cólicas abdominais em 59%.

Lembrando sempre que, as informações contidas nessa coluna têm caráter informativo, portanto não são utilizadas para auto-diagnóstico, auto-tratamento ou auto-medicação. É de extrema importância que você converse com o profissional de saúde que te acompanha sobre a possibilidade de incluir as plantas medicinais no seu tratamento e nenhum tratamento médico ou uso de medicação química deve ser interrompido ou substituído abruptamente pelo uso de plantas medicinais. Crianças, idosos e gestantes exigem cuidados e dosagens específicas sob algumas plantas. Consulte sempre um profissional da área.

As informações completas sobre as plantas, terapias e dicas importantes sobre tratamentos naturais, estarão sempre disponíveis na página da @banho.de.mato no instagram, mas você também pode me consultar no whatsapp sobre outras plantas e tratamentos naturais, ou enviar sugestões para as próximas publicações.

Gratidão e o desejo de saúde e bem estar a todos!
Banho de Mato – Um cuidado que vem da natureza
Luciana Andrea – Terapeuta Natural – 47 99997.8889

- Publicidade -
Luciana Andréa
Luciana Andréa - terapeuta em construção, apaixonada pela natureza, aprendiz do conhecimento e da vida.
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
%d blogueiros gostam disto: