- Publicidade -
21.7 C
Balneário Camboriú

Dente-de-Leão – O sopro da esperança

Todo mundo, pelo menos uma vez na vida, deve ter assoprado um fruto do dente-de-leão, talvez na esperança de ter o que se deseja.

Quando encontramos essa flor por ai, não imaginamos o quanto de benefícios ela pode nos proporcionar. Rico em vitaminas essenciais para o nosso corpo, o Dente-de-leão é uma PANC – Planta Alimentícia Não Convencional, além de tratar diversos problemas de saúde.

Dente-de-leão, radite-bravo, chicória-silvestre, chicória-louca, salada-de-toupeira, papai careca, esperança, coroa de padre, margarida irlandesa, cabeça de monge, bola de sopro,  são alguns dos nomes que essa plantinha de flores amarelas, folhas verdes em formato de serra e sementes voadoras é popularmente conhecida. Cientificamente é chamada de Taraxacum officinale, é de origem europeia, cultivada na Alemanha e na França e, no Brasil, nasce por aí espontaneamente sem trabalho nenhum. Pode ser encontrada com mais facilidade em locais úmidos.

Enquanto muitas pessoas acreditam que o dente-de-leão é uma erva daninha, outras olham a planta com esperança no coração. Soprar um dente-de-leão nada mais é que jogar a energia de um desejo ao universo. E tudo que é pedido com sinceridade ao universo, que também pode ser considerado como Deus ou outra divindade, é atendido.

Ela tem um simbolismo bastante positivo: liberdade, otimismo, esperança e luz espiritual são algumas dentre as associações que são feitas a ela.

Para os cristãos da Idade Média, a flor estava associada a Cristo e à Virgem Maria, possivelmente pelo formato da flor e pela cor amarelo-brilhante que lembra os raios de sol.
Dizem que quando suas sementes saem voando na ausência de vento, seria um indicativo de chuva eminente.

As flores dos dentes de leão abrem-se aproximadamente às cinco da manhã e se fecham no final da tarde. Sendo por isso, chamadas de relógios suíços.

As sementes são levadas pelo vento, se espalham e, no período certo, florescem novamente. Devido a essa característica é também conhecida pelo nome “esperança”

(Pixabay)

O nome pelo qual a planta Dente-de-leão é popularmente conhecida parece ter origem na sua aparência, onde suas folhas são muito dentadas e as suas flores amarelas parecem com a juba de um leão.

Já na mitologia grega, Teseu teria se alimentado por 30 dias seguidos apenas de dente-de-leão, a fim de tornar-se forte o suficiente para enfrentar e derrotar o Minotauro.

Um outro significado ainda é a representação do dente-de-leão como símbolo da infância e da inocência. E são especialmente as crianças, de fato, que se deliciam em soprar e dispersar as sementes do fruto seco desta planta. Uma imagem que representa a infância em seu sonho de um futuro melhor para todos. Típica da alegria infantil, inocente e despreocupada, que precisamos recuperar e redescobrir na vida adulta.

Ainda, ao dente-de-leão foram atribuídos poderes mágicos. Acreditava-se que a planta fosse capaz de aumentar as habilidades psíquicas das pessoas. Também acreditava-se que esfregando-a sobre a pele se atraísse o bem-querer de todos. Até as bruxas usavam este método para serem aceitas pelas pessoas.

Mas acima de tudo, o dente-de-leão foi considerado uma ponte de conexão entre a vida e a morte através dos espíritos.

Por sua beleza e por seu simbolismo fascinante, o dente-de-leão é um dos desenhos mais populares e usados em tatuagens. Muitas vezes, retratado de uma maneira particular: as sementes que se desprendem e se transformam em aves, especialmente para indicar a liberdade, a possibilidade de um novo início, a vontade de recomeçar.

O dente-de-leão é uma flor delicada e frágil, mas é essa fragilidade que a faz ser lançada ao vento permitindo sua multiplicação. É por essa fragilidade e persistência que ela é símbolo de otimismo e esperança, tão necessários nos dias atuais.

Etimologia

A palavra taraxacum vem da união de duas palavras gregas (taraké, que significa agitação, confusão, e akos – remédio).

Isso significa que o dente-de-leão é uma remédio calmante para o corpo e de fato ele tem inúmeras propriedades curativas sendo usado na fitoterapia e na homeopatia, em forma de tinturas, cápsulas e xaropes.

É particularmente indicado em tratamentos digestivos, hepáticos e dermatológicos.

Dente-de-leão como alimento

Além de ser usado como remédio, o dente-de-leão também é comestível! Inclusive é reconhecido pela FAO (importante instituição das Nações Unidas que trata de questões alimentares) como fonte alimentar. Um estudo publicado pela Plant Foods Hum Nutr mostrou que cada 100 gramas (g) de dente-de-leão possui 15,48 g de proteína e 47,8 g de fibras, quantidades significativas para ser considerado como fonte alimentar, segundo o próprio estudo. A mesma pesquisa aponta o dente-de-leão também como fonte de potássio e auxiliar no emagrecimento, por ajudar na formação do bolo fecal.

E ele é integralmente comestível – raízes, caules, folhas e flores. Lembra muito o sabor de hortaliças amargas. E, para quem gosta de sentir um gostinho amargo, é possível prepará-lo como salada, suco verde e chá. Em alguns lugares do mundo, a flor é usada na fabricação de vinho e também para equilibrar o paladar de cervejas especiais. O Pó de suas raízes torradas tem sabor amargo e é usada como substituto do café (sem cafeína). Mas quem não gosta de amargor e ainda assim quer aproveitar os benefícios do dente-de-leão pode refogá-lo em azeite e alho para suavizar.

Consumo de Dente-de-leão e o meio ambiente

O consumo não só do Dente-de-leão, mas de todas as PANCs (plantas alimentícias não convencionais), deve ser praticado e incentivado como forma de diminuir impactos ao meio ambiente. Isso porque, ao consumirmos espécies não convencionais e principalmente aquelas que nascem espontaneamente, diminuímos a pressão ambiental causada pela aplicação de insumos, agrotóxicos, práticas de monocultura e pelo transporte.

Além disso, praticar e disseminar o tratamento medicinal por meio das plantas é uma forma de melhorar o acesso à saúde, principalmente daqueles que não possuem condições de financiar seus gastos com a medicina tradicional e de quem busca uma alternativa mais saudável e com menos efeitos colaterais.

(Pixabay)

Propriedades medicinais

O dente-de-leão é rico em:

Vitamina A, importante para a visão, pele e o crescimento;

Vitamina K, que regula a coagulação sanguínea e possui papel importante para a saúde óssea;

Vitaminas do complexo B, essenciais para o sistema neurológico;

Vitamina C, importante para o sistema imunológico;

Vitamina E, que tem forte ação antioxidante;

Potássio, que é importante para a contração muscular, condução nervosa, frequência cardíaca, produção de energia e síntese de ácidos nucleicos e proteínas;

Zinco, que tem efeito antioxidante, auxilia na digestão de proteínas e na disfunção sexual, principalmente em homens;

Cálcio, bom para a saúde dos ossos e dentes;

Ferro, que previne a anemia e é aliado do coração.

O Dente-de-Leão é provavelmente a mais rica fonte de ervas em vitamina K; fornece cerca de 650% de DRI. A vitamina K tem um papel potencial no fortalecimento ósseo, promovendo a atividade osteoblástica nos ossos. Também muito importante no tratamento de pacientes com doença de Alzheimer, limitando os danos neuronais no cérebro.

As folhas desta plantinha apresentam ação aquarética, ou seja, tem a capacidade de eliminar água. Importante não confundir com diurética, pois quando algo é diurético, além de eliminar água, elimina também potássio, sais minerais. E aqui não é o caso. As folhas possuem ação aquarética e assim o seu consumo não resulta no déficit de potássio.  Com isso ajuda também a tratar hipertensão ao reduzir o volume de liquido do corpo.

Devido às suas propriedades, o Dente-de-leão pode ser usado para auxiliar no tratamento de transtornos digestivos, problemas no fígado e pâncreas e afeções da pele. Além disso, ajuda na falta de apetite, hemorroidas, gota, reumatismo, eczema, reduz expressivamente a presença de triglicerídeos no plasma sanguíneo e inibe a formação de colesterol.

A raiz também é desintoxicante e depurativo do sangue, pois estimula a capacidade do fígado e da vesícula de eliminar produtos residuais. As folhas e raízes de Dente-de-leão ainda apresentam uma boa atividade anti-inflamatória e protetora do fígado, inclusive nos casos de cirrose, hepatite e transplantes. Outra ação interessante de suas raízes é no controle de alergias, modulando as respostas imunes do organismo.
O extrato de suas raízes é um bom prebiótico, auxiliando a saúde da flora intestinal. E ela tem sido utilizada tradicionalmente nos estágios iniciais do diabetes tipo 2, estimulando a secreção de insulina pelo pâncreas e mantendo níveis estáveis de açúcar no sangue.

Estes resultados indicam o uso de Dente-de-leão para o tratamento da obesidade e da arteriosclerose, por exemplo. Sua ação ainda reduziu expressivamente o índice de gordura no fígado, aumentando a excreção de gordura pelas fezes.

Existe, ainda, uma ação anti-fertilidade masculina do Dente-de-leão, reduzindo o numero de espermatozoides e sua viabilidade. Alguns estudos demonstram uma atividade antidepressiva do extrato das folhas e da raiz de Dente-de-leão.

Contra o câncer, os extratos da raiz de Dente-de-leão apresentaram uma forte ação de indução de células cancerígenas à apoptose, o que justifica seu uso atual contra câncer de mama e câncer no colo do útero.

A seiva do caule é tradicionalmente usada externamente para eliminar verrugas.

A tintura é a forma de uso interna mais indicada para tratamentos com Dente-de-leão nos problemas digestivos e redução de líquidos.

Um sopro de esperança:

Pesquisadores de uma universidade alemã descobriram recentemente que o dente de leão, pode interromper a ação da proteína Spike, atuando com sucesso contra a SARS-Cov 2 e suas variantes.


O extrato do dente de leão à base de água, extraído das folhas secas da planta, foi eficaz contra a proteína Spike D614 e um grande número de cepas mutantes. O Dente-de-leão bloqueou as interações proteína-proteína entre a subunidade S2 da proteína Spike e o receptor de superfície celular ACE2 humano. Esse efeito também foi verdadeiro contra as mutações de proteína de pico das variantes circulantes predominantes, incluindo a variante do Reino Unido, da África do Sul e Brasil.

Um dente de leão assim pronto para ser soprado é um presente especial para quem está também pronto para fazer um pedido. Então para não perder a oportunidade sopramos os pedidos mais nobres de nossas almas em suas sementes aladas. E tomamos bastante cuidado para soprar na direção de solos férteis.

Lembrando sempre que, as informações contidas nessa coluna têm caráter informativo, portanto não são utilizadas para auto-diagnóstico, auto-tratamento ou auto-medicação. É de extrema importância que você converse com o profissional de saúde que te acompanha sobre a possibilidade de incluir as plantas medicinais no seu tratamento e nenhum tratamento médico ou uso de medicação química deve ser interrompido ou substituído abruptamente pelo uso de plantas medicinais. Crianças, idosos e gestantes exigem cuidados e dosagens específicas sob algumas plantas. Consulte sempre um profissional da área.

As informações completas sobre as plantas, terapias e dicas importantes sobre tratamentos naturais, estarão sempre disponíveis na página da @banho.de.mato no instagram, mas você também pode me consultar no whatsapp sobre outras plantas e tratamentos naturais, ou enviar sugestões para as próximas publicações.

Gratidão e o desejo de saúde e bem estar a todos!

Banho de Mato – Um cuidado que vem da natureza           

Luciana Andrea – Terapeuta Natural – 47)99997.8889

- Publicidade -
Luciana Andréa
Luciana Andréa - terapeuta em construção, apaixonada pela natureza, aprendiz do conhecimento e da vida.
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -