- Publicidade -
21.7 C
Balneário Camboriú

Temperos que curam – Alecrim

O Rosmarinus officinalis, popularmente conhecido como Alecrim, é uma planta que além de realçar sabores, com seu uso na culinária, tem propriedades energéticas e medicinais e é muito usada na medicina natural.

O Alecrim é uma erva aromática, originária da Europa, principalmente das regiões ao redor do Mediterrâneo. Seu nome latino, ros marinus, significa o orvalho que vem do mar, por que as praias do mediterrâneo cheiravam ao alecrim que crescia espontaneamente nas areias.

Carlos Magno obrigava os camponeses a cultivá-lo. Também foi companheiro dos portugueses nas Entradas e Bandeiras. Além de ser símbolo de fidelidade entre namorados, era usado na Era Medieval para purificar os quartos de doentes.  

Pela reputação de estimular a memória, conta-se que estudantes gregos usavam ramos de Alecrim nos cabelos, quando submetidos a exames e também usavam coroas de alecrim em festas, como um símbolo de imortalidade.

Para os romanos esta planta simbolizava o amor e a morte e por isto era plantada próximo à soleira das portas das casas e as noivas usavam ramos de Alecrim misturados ao buque de flores com a intenção de atrair sorte e alegria para o casamento. A igreja católica também o usava nos seus rituais, queimando-o como incenso.

Mítico e místico, o Alecrim foi muito apreciado na Idade Média e no Renascimento, aparecendo em várias fórmulas, inclusive na Água da Rainha da Hungria, como famosa solução rejuvenescedora. Elizabeth da Hungria que viveu no século XIII recebeu, aos 72 anos, a receita de um monge quando estava paralítica e sofria de gota. Com o uso do preparado, recobrou a saúde, a beleza e a alegria. O rei da Polônia chegou a pedi-la em casamento!

Madame de Sévigné, (1626 – 1696) (autora da frase O coração não tem rugas) recomendava água de alecrim contra a tristeza, para recuperar a alegria.

A mais conhecida lenda sobre o alecrim:

“Quando Maria fugiu para o Egito, com o menino Jesus no colo, as flores do caminho iam se abrindo à medida que a sagrada família passava por elas. O lilás ergueu seus galhos orgulhosos e emplumados, o lírio abriu seu cálice. O alecrim, sem pétalas nem beleza, entristeceu lamentando não poder agradar o menino. Cansada, Maria parou à beira do rio e, enquanto a criança dormia, lavou suas roupinhas. Em seguida, olhou a seu redor, procurando um lugar para estendê-las. O lírio quebrará sob o peso, e o lilás é alto demais. Colocou-as então sobre o alecrim e ele suspirou de alegria, agradeceu de coração a nova oportunidade e as sustentou ao Sol, durante toda a manhã. Obrigada, gentil alecrim! – disse Maria.
Daqui por diante, ostentarás flores azuis para recordarem o manto azul que estou usando. E não apenas flores te dou em agradecimento, mas todos os galhos que sustentaram as roupas do pequeno Jesus serão aromáticos. Eu abençoo folha, caule e flor, que a partir deste instante terão aroma de santidade e emanarão alegria.”

Alecrim, flores azuis (Pixabay)

Na crendice popular usam o alecrim para afastar olho gordo, é a erva da juventude eterna, do amor, da amizade e da alegria de viver. Colocada debaixo do travesseiro afasta maus sonhos. Tocar com alecrim na pessoa amada faz ter seu amor para sempre. O alecrim é símbolo de amizade, fidelidade, amor, lembranças felizes. Seu aroma mantém a pessoa alegre.

Seus usos:

Sua essência é utilizada em perfumaria, como na produção da água-de-colônia. Ele contém tanino, óleo essencial, pineno, cânfora e outros princípios ativos que lhe conferem propriedades tônicas e estimulantes. A sua flor é muita apreciada pelas abelhas, produzindo assim um mel de extrema qualidade. Há quem plante alecrim perto de apiários, para influenciar o sabor do mel.

Na culinária, um raminho ou broto de alecrim confere aroma delicioso a vários pratos, principalmente em batatas e carnes assadas (como frango, porco e salmão), entrando também na composição de molhos, omeletes, sopas, pães como focaccia, tortas e cozidos.

Geralmente é usado em pratos com tempo de cozimento mais longo.  É indicado também no preparo do churrasco, sendo suas folhas espalhadas sobre as brasas para perfumar a carne. Você também pode usar os talos de alecrim para grelhar vegetais. Combinam com tomates, espinafre e cogumelos, além de o tempero também casar perfeitamente com drinques à base de gim.

Na religião, em templos e igrejas, o alecrim é queimado como incenso desde a antiguidade. Na Igreja Ortodoxa grega, o seu óleo é utilizado até hoje, para unção. Nos cultos de religiões afro, como umbanda e candomblé, é utilizado em banhos para purificação e como incenso. Ele também é a erva da proteção, do combate a negatividade, do desanimo, tristeza e ajuda a manter qualquer ambiente em um estado vibratório positivo.

Na fitoenergética, o Alecrim também é uma planta forte, visto que atua em todos os chakras do corpo. Ele libera traumas e medos, estimula a vontade de mudar, para ir de encontro ao novo e incentiva a sabedoria para viver e para amar. O campo de força de luz azul violeta produzido pelo Alecrim confirma sua reputação dos tempos antigos como protetor psíquico.

O alecrim ajuda no desenvolvimento da “Visão interior” e também serve para combater a ansiedade e os pesadelos. Se você tem problemas desse tipo, coloque um raminho de alecrim dentro da fronha do travesseiro.

Na aromaterapia, o óleo essencial de alecrim favorece a produção de neurotransmissores responsáveis pela sensação de bem-estar e alegria. Também ajuda a trazer foco e concentração para o momento presente e melhorar a memória. Experimente inalar o aroma desse óleo no momento dos estudos ou trabalho e depois me conte. Use ele em um aromatizador pessoal ou no ambiente para aproveitar suas energias.

(Pixabay)

Na medicina natural, esse tempero tão comum na cozinha dos brasileiros também é um poderoso remédio. O alecrim tem efeito antioxidante e anti-inflamatório, sendo muito usado no tratamento de refluxo e outras condições digestivas.                                    

A parte mais consumida do alecrim são as folhas, de formato estreito e pontiagudo. Ele dá flores azuis e faz parte da mesma família de plantas da menta, da lavanda e do orégano. é uma planta arbustiva e sua altura não ultrapassa dois metros.

O alecrim possui diversos compostos químicos, como o carnosol e o ácido carnósico, que são os responsáveis por seus usos terapêuticos. Além do alívio digestivo, a erva também ajuda a ativar a circulação periférica e pode até inibir o crescimento de tumores.

Suas principais indicações são: como digestivo, contra gases intestinais, protegendo o fígado e estimulando a vesícula biliar. Ainda, o Alecrim é um considerável anti-inflamatório intestinal e da bexiga, combatendo cistites, colites, enterocolites e hemorroidas inflamadas. Auxilia na menstruação irregular, cólica menstrual eTPM – tensão pré-menstrual.

Ele também tem uma interessante ação analgésica, combatendo dores de cabeça rotineiras. Além disso, sua ação antidepressiva já foi comprovada, sendo chamado como “planta da felicidade”. Ainda é eficiente contra o cansaço físico e mental, anemia, falta de apetite, doenças do sistema respiratório, bom para fadiga, má circulação, problemas de concentração, memoria, gripe, febres leves e  contusões.

O Alecrim é um excelente tônico que estimula as funções dos nossos órgãos, como estomago, fígado, baço e pâncreas.

No uso externo, o Alecrim é um ótimo antimicrobiano e cicatrizante, podendo auxiliar na desinfecção de feridas, contribuindo para sua cicatrização.    

Na alopecia, é um estimulante eficiente do couro cabeludo, contribuindo para o fortalecimento, crescimento dos fios e evitando quedas.

Pesquisas: A Universidade Federal de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, destrinchou todos os efeitos da planta para o tratamento do refluxo. No estudo, realizado com ratos, o extrato de alecrim exerceu dupla função: protegeu a mucosa para que ela não fosse atacada e melhorou a inflamação após o ataque. Ou seja, se você tomar um chá de alecrim antes da refeição, ele impede que a digestão te faça mal. Se tomar depois, acelera o processo digestivo, sem dor.

Os pesquisadores também notaram que o alecrim foi capaz de proteger o estômago ao realizar a dilatação dos vasos sanguíneos gástricos. Essa ação promoveu um aumento de nutrientes na área, o que contribuiu para a multiplicação das células que atuam no processo de cicatrização da mucosa gástrica.

Foi notado nos participantes do estudo um aumento significativo da glutationa (GSH). Trata-se de um antioxidante poderoso capaz de impedir os danos causados pelos radicais livres e pelos metais pesados, por exemplo. A deficiência da glutationa é considerada um dos principais fatores que causam envelhecimento celular e redução da expectativa de vida. No caso de quem sofre com refluxo, a substância é importante para proteger o corpo da ação nociva dos radicais livres.

Toxicidade:

De modo geral, o uso da planta é seguro e excelente para o seu estômago. Pessoas hipertensas devem evitar essa planta, porque o alecrim pode causar uma leve elevação da pressão arterial.

Em alta concentração, o alecrim pode causar intoxicação grave, daí a importância de consultar sua dosagem e formas de uso com profissionais da área.

Dica:

O escalda pés com Alecrim tira todas as energias negativas acumuladas durante o dia.

Em uma bacia coloque 2 colheres de sal grosso e ramos de alecrim fresco ou seco, despeje agua fervendo  e cubra por 5 minutos. Após complete com agua fria até atingir uma temperatura suportável, cuidando para não se queimar. Permanecer com os pés submersos por 15 a 20 minutos nesta água. Lembre-se de usar uma meia após o escalda-pés e evite pisos gelados, andar descalço ou corrente de ar frio.


Lembrando sempre que, as informações contidas nessa coluna têm caráter informativo, portanto não são utilizadas para auto-diagnóstico, auto-tratamento ou auto-medicação. É de extrema importância que você converse com o profissional de saúde que te acompanha sobre a possibilidade de incluir as plantas medicinais no seu tratamento e nenhum tratamento médico ou uso de medicação química deve ser interrompido ou substituído abruptamente pelo uso de plantas medicinais. Crianças, idosos e gestantes exigem cuidados e dosagens específicas sob algumas plantas. Consulte sempre um profissional da área.

As informações completas sobre as plantas, terapias e dicas importantes sobre tratamentos naturais, estarão sempre disponíveis na página da @banho.de.mato no instagram, mas você também pode me consultar no whatsapp sobre outras plantas e tratamentos naturais, ou enviar sugestões para as próximas publicações.

Gratidão e o desejo de saúde e bem estar a todos!

Banho de Mato – Um cuidado que vem da natureza       

Luciana Andrea – Terapeuta Natural – 47)99997.8889

- Publicidade -
Luciana Andréa
Luciana Andréa - terapeuta em construção, apaixonada pela natureza, aprendiz do conhecimento e da vida.
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -