- Publicidade -
18.2 C
Balneário Camboriú

Após meses de tentativas e denúncia ao MP, vereadora Juliana conseguiu visitar obras do Vereador Santa

- publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Após ser impedida por três vezes de vistoriar as obras do Centro Educacional Municipal (CEM) Vereador Santa (relembre aqui), a vereadora Juliana Pavan conseguiu fiscalizar a obra na tarde desta quarta-feira (8). Por conta das obras, o retorno das aulas 100% presenciais não ocorrerá neste momento [há um andar inteiro interditado], pois não tem espaço determinado pelo Plancon. 

(Gabinete/Juliana Pavan)

Segundo a vereadora, o que chamou a atenção foi que a Secretaria de Educação havia informado ao Página 3 que as obras seriam finalizadas até o final deste mês de setembro (relembre aqui), mas com a fiscalização ela acredita que é difícil isso acontecer.

“Eu sinceramente não sei se vão conseguir finalizar. Grande parte realmente já foi feito, como a colocação do piso emborrachado na rampa e no primeiro andar, mas ainda falta no último pavimento, que está todo interditado”, conta. 

Juliana salienta que as calhas ainda não foram trocadas e que, apesar de o teto da quadra já ter sido arrumado a calha não foi e por isso ainda escorrega água na estrutura. 

“Estão concretando a quadra, e logo será realizada a pintura; ainda tem que fazer os rodapés, tem local com mofo e bolor pela escola também, mas consta no contrato que será realizado a manutenção e pintura das paredes internas. A sala do laboratório, que conta com equipamentos caros, também possui muitas goteiras. Há várias coisas que ainda precisam ser arrumadas. Não tinha fiscal na obra, mas tirei dúvidas com alguns pedreiros”, diz. 

Juliana também relatou que o secretário de Articulação, Orlando Angioletti, havia cancelado uma das visitas, mas que esqueceu de avisar a diretora do colégio, Cláudia Giordani, que teria ficado esperando por ela. 

“A diretora nesta quarta me recebeu super bem, falamos também sobre o aditivo que foi feito para a obra (R$ 430.000,09 valor inicial, aditivo: R$ 214.470,06 (10/07), valor total: R$ 633.375,41), e ela não soube me explicar para o que será o aditivo, mas pode ser para a secretaria nova, que vai ficar na parte da frente. Hoje para acessar a secretaria as pessoas precisam passar por vários locais, com a nova estrutura ela será de fácil acesso e em local mais seguro, sem que as pessoas tenham acesso a locais de circulação dos alunos. A entrada do colégio também foi refeita, com espaço para os pais esperarem os alunos, vidro para atendimento, e sem acesso direto às instalações educacionais, proporcionando mais segurança aos funcionários e alunos”, acrescenta. 

- Publicidade -

A vereadora pontua que lamenta que demorou tanto para conseguir fiscalizar o local, o que aconteceu somente após denunciar a situação ao Ministério Público. 

(Gabinete/Juliana Pavan)

“Mas muitas pessoas me falaram que a obra só começou a andar depois que começamos a insistir nisso, então a insistência acabou sendo positiva. Infelizmente, tivemos que recorrer ao MP por conta de algo que é normal, que é uma vereadora fiscalizar uma obra pública. Recebemos algumas demandas que estaremos fazendo indicações, já que não constam neste projeto, como grades de proteção, janelas na quadra, acústica de alguns ambientes”, completa.

- Publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -