- Publicidade -
21.2 C
Balneário Camboriú

Dia dos Namorados: casais de Balneário Camboriú dividem suas histórias

- Publicidade -

O Dia dos Namorados é neste sábado (12) e para lembrar a data o Página 3 conversou com alguns casais de Balneário Camboriú e região que dividem suas histórias de amor. Alguns estão juntos há pouco tempo, incluindo os que passarão o primeiro Dia juntos! Outros já acumulam vários anos de relação (um deles está junto desde a adolescência!). 

“Concordamos em seguir o coração”

(foto Arquivo pessoal)

Dani Sisnandes, DJ e jornalista, namora Lucas Trancoso, produtor musical

“Ficamos amigos há uns três anos, em um festival de música eletrônica e depois acabamos perdendo o contato. Durante a pandemia a música nos reaproximou pela rede social. Ele tinha se tornado produtor musical, sempre compartilhava os sons novos dele comigo, me pedia feedback, e eu comecei a tocar as músicas dele nas minhas lives e sets. Daí surgiu um sentimento de admiração mútua, que virou conexão, que virou amor! Não estávamos procurando isso, mas acho que a pandemia tem esse efeito de intensificar as coisas e concordamos em seguir o coração. O 1º Dia dos Namorados vai ser especial porque estreia no YouTube um videoset meu, em que toco uma música dele e vamos estar juntos – então vou comemorar duas vezes!”


“Foi como se já nos conhecêssemos há um século”

(foto Arquivo pessoal)

Marcos Vinícius de Araújo, 30 anos, sushiman, namora Dhulyan Edina de Oliveira Gorniak, 23 anos, modelo

“Nossa história começou um pouco diferente da história dos demais, já que nós moramos juntos antes mesmo de sequer ter dado um beijo (risos). Há dois anos e meio eu morava em um hostel, quando ela apareceu com esses lindos olhos verdes e um sorriso maravilhoso, foi onde nos conhecemos e não demorou muito para que eu me aproximasse dela, já que ela sempre foi uma pessoa agradável, gentil e alegre, sem falar da beleza. Os dias foram passando, fomos ficando mais próximos, começamos a sair juntos já que tínhamos o mesmo círculo de amigos. Cada dia que passava eu gostava mais de estar perto dela, fazer as coisas com ela. Até que em um belo dia estávamos deitados no sofá como de costume batendo um papo, sem segundas intenções, quando de repente um silêncio tomou a sala, e me peguei olhando em seus olhos, muito próximo. Ver aqueles olhos brilhantes me olhando também, e nesse momento voltei a ter 15 anos, eu não sabia o que fazer, não sabia se a beijava, não sabia se eu estava interpretando errado, mas eu sabia que se eu não aproveitasse aquele momento, talvez não teria outro, foi quando eu a beijei pela primeira vez. Foi um momento único, especial, não foi apenas um beijo qualquer, foi como se já nos conhecêssemos há um século. Depois desse dia nos aproximamos mais, ficamos algumas vezes, e tudo ia bem… até que ela decidiu que iria voltar para a cidade dela. Nesse dia eu soube que estava apaixonado, pois foi muito ruim saber que ela ia embora e que existiam grandes chances de eu não a ver mais. Pior foi o dia que tive que despedir dela e ver ela entrando no carro e indo embora, esse dia foi doído. Mantivemos contato e eu disse a ela que iria alugar uma casa para ter mais privacidade, então ela disse que queria voltar para Balneário, e perguntou se podia dividir o aluguel comigo e com um amigo em comum, que já iria dividir aluguel comigo. Logo achamos um apartamento e nos mudamos, aí as coisas começaram a ficar mais sérias, apesar de não estar namorando ainda. Era difícil ficar longe dela, de sair sem ela, tudo que eu queria fazer eu queria que ela estivesse presente, foi onde finalmente decidimos que seríamos um do outro, que viveríamos esse amor lindo e único que temos. Estamos namorando há dois anos. Decidimos adotar nossas duas filhas pet, o que só nos tornou mais íntimos, nos tornou uma família completa. Hoje somos cúmplices, dividimos o mesmo sonho, corremos atrás dos nossos objetivos ajudando um ao outro. Gostamos de sair principalmente para comer (risos), mas adoramos ficar deitados apenas aproveitando a companhia um do outro. Sempre é ótimo. Ela me completa e faz os meus dias melhores, e eu me esforço para fazer o mesmo bem que ela me faz”.


“A gente é muito parceiro, mesmo com pouco tempo juntos nos ajudamos em tudo”

(foto Arquivo pessoal)

Beatriz Humphreys, 26 anos, analista de marketing, namora o músico Victor Praun, 27 anos

“Eu sou de SP e vim para Santa Catarina em setembro/2020 sem conhecer ninguém. Vim para trabalhar. A única solução que eu achei pra conhecer pessoas além do trabalho foi baixando o Tinder (risos), aí no fim de outubro eu dei match com o Victor. Eu morava em Piçarras e ele em Itajaí, e ele foi até a minha cidade para nós sairmos. Por conta da pandemia só ficamos no molhe e depois tomamos uma cerveja. A partir disso começamos a nos ver mais, ir para praia juntos, e não desgrudamos mais (risos). Estamos juntos há nove meses e por conta da pandemia e não ficar saindo muito, a gente acabou passando muito tempo um na casa do outro. Faz um mês que eu me mudei para Itajaí, pertinho da casa dele. Gostamos muito de sair, dar rolê com os amigos. Antes da pandemia eu não parava em casa e conversando com ele descobri que ele também não, mas agora a gente não sai muito. A gente gosta muito de sair para comer e o principal é ir na praia porque ele surfa e eu gosto de tomar um solzinho, então sempre dá bom esse rolê (risos). Eu nunca fui de sair no Dia dos Namorados porque está tudo sempre muito cheio e no cenário de pandemia a gente realmente não vai para lugar nenhum que não seja aberto ou consideravelmente vazio ou que a gente saiba que está seguindo as regras de segurança. Então a gente decidiu que vai jantar em casa, nós gostamos muito de cozinhar então vamos fazer algo legal e assistir série (risos). A gente é muito parceiro, mesmo com pouco tempo juntos nos ajudamos em tudo. Ele cuidou de toda a minha mudança, desde arrumar caminhão até carregar as coisas e eu ajudo muito ele na carreira dele. Eu sou analista de marketing/relações públicas então eu ajudo com as redes sociais, faço as fotos dos shows, ajudo com os planejamentos”.


“Foi uma ansiedade única que senti na vida”: de melhores amigos para namorados

(foto Arquivo pessoal)

Sebastian Bogo Sperfeld, 21 anos, estudante de Arquitetura e Urbanismo, namora com a estudante de Nutrição, Jenifer Bertelli, 20 anos

“A gente se conheceu online, um amigo meu mandou mensagem para ela em 2018, no Instagram. Eu estava em Balneário, estávamos querendo dar um rolê, e eu já seguia ela nas redes sociais há alguns anos a mais até, porque ela era de Joinville, tínhamos conhecidos em comum e a gente se seguia. Lembro que a resposta dela foi que ela estava indo para Floripa e não ia poder, mas que era para chamá-la outra hora, foi algo nessa linha. Foi o primeiro contato que tivemos. Depois disso, começamos a virar amigos porque tínhamos amigos em comum, nos conectamos aos poucos, o que foi se desenvolvendo para uma amizade forte entre nós dois. Nos outros anos, nos tornamos melhores amigos, conversando todos os dias, contando tudo um para o outro. Foi assim até metade de 2020, quando chegamos na fase de nossas vidas que não tínhamos ninguém em questão amorosa e, com isso, em nossa amizade de quase três anos, começamos a, na própria conversa, mudar um pouco o rumo. Começamos a trocar mais carinho, criando um afeto um pouco diferente de apenas amizade, até que chegou em um ponto em que estava bem intenso, mas ainda víamos somente como amizade. Em 12 de dezembro de fato ficamos pela primeira vez, e com isso as coisas se desenrolaram. Continuamos nessa relação de melhor amigo, mas começamos a pensar se estávamos partindo para algo a mais. Fomos passar a Virada do Ano na Praia do Rosa, e depois de 27 de dezembro começamos a ficar todos os dias, e quando voltamos para Balneário seguimos nos vendo todos os dias, em janeiro, fevereiro. Ela, ainda em janeiro, não tinha certeza se queria ter um namoro. Sentíamos que estávamos em uma sinuca de bico, mesmo que eu sabia o que eu queria, por medo de uma resposta negativa, eu estava me contendo, meio que inconscientemente, e ela também se sentia assim. Eu já estava perdidamente apaixonado por ela, antes de dezembro. Ela então aceitou que queria isso, que queria estar comigo, eu abaixei as minhas barreiras e, em 4 de fevereiro, levei ela em um restaurante e a pedi em namoro. Eu estava tremendo, suando frio, meu coração estava disparado. Foi uma ansiedade única que senti na vida, somente nesse momento. Sou completamente apaixonado, é até incompreensível o quanto a amo. Apesar de morarmos em cidades diferentes, sempre damos um jeito de nos vermos, estou vivendo ‘meio nômade’ por causa dela, transitando entre Curitiba, Joinville e Balneário literalmente a cada semana (risos). Fazemos tudo juntos, ioga, academia, ficamos em casa, gostamos de pedir delivery, a gente curte muito cozinhar. Será o nosso primeiro Dia dos Namorados juntos, nós vamos para a Ilha do Mel, uma coisa bem diferente. Será a nossa primeira viagem maior que faremos. Estamos bem animados”.


“Quando voltei ele foi me buscar no aeroporto e já estávamos namorando”

(foto Arquivo pessoal)

Stefanie Roeck, 27 anos, modelo, é noiva do advogado Gustavo Luiz Müller, 32 anos

“Nosso primeiro contato foi em uma balada, em Jurerê, onde a gente ‘se esbarrou’, mas não trocamos nenhuma palavra, nem sabíamos que éramos da mesma cidade. Uma semana depois ele me seguiu no Instagram porque ele viu que eu fazia fotos para uma loja que ele seguia. Trocamos mensagens por umas duas semanas e ele me convidou para jantar, fomos em um sushi e rolou o nosso primeiro beijo (risos). Só que eu estava prestes a viajar para o México em três semanas, então eu não queria conhecer ninguém. E eu fiquei super apaixonada e não queria mais viajar (risos), eu queria ficar com ele, mas estava com contrato assinado. Fui para o México, fiquei três meses, e conversando todos os dias com ele. Quando voltei ele foi me buscar no aeroporto e já estávamos namorando e eu não sabia (risos), e nem ninguém sabia, não havia acontecido um pedido de namoro, foi natural. Entre idas e vindas minhas, viagens, ele sempre me esperou e apoiou. Em 2019 eu fui morar em São Paulo, fiquei um ano e ele ficou em SC. Eu fui para a Rússia, para o Peru, de novo para o México… e sempre voltando para SC. Agora na pandemia parei de viajar, e estamos esse tempo todo juntos, fiquei mais aqui no Sul. Nos aproximamos muito! No final de 2020, no Natal, ele me pediu em casamento e foi super lindo, romântico! Foi muito especial! O que mais gostamos de fazer juntos é andar de jet ski, adoramos praia, mar. O restaurante que mais gostamos é o Felissimo (que fica na Praia dos Amores), é onde a gente sempre vai, adoramos ficar em casa também, ficamos sempre na Praia Brava, caminhamos, somos muito conectados com a natureza. No Dia dos Namorados vamos para Floripa, passar o Dia dos Namorados lá, visitar alguns restaurantes, ficaremos no Hotel WK, e será assim o nosso Dia. A gente se completa, nos amamos muito, e estamos planejando o nosso casamento, que se Deus quiser vai acontecer ano que vem”.


Luana e João estão juntos desde a adolescência: quando ela tinha 11 e ele 12 anos

(foto Arquivo pessoal)

Luana Cruz, 19 anos, modelo e digital influencer, namora com o jogador de futebol e investidor João Victor Medeiros Gomes, 20 anos

“A gente se conhece desde 2012, sempre estudamos na mesma escola, moramos no mesmo bairro, nossas famílias se conhecem desde sempre. Meu pai, quando o João era pequeno, pegou ele no colo e tudo mais (risos), mas até então a gente não sabia, ficamos sabendo depois, quando começamos a conversar. Em 2012 eu tinha 11 anos e ele 12 e a gente se conheceu na igreja, foi um encontro bem inesperado, porque eu já o conhecia de vista, mas nunca tinha conversado. Ele quis puxar assunto, mas eu não dei muita bola. Fomos para uma festinha, eu nem sabia que ele ia, e lá conversamos rapidamente, coisinha de criança, sem maldade. Na outra semana nos aproximamos mais, ele demonstrou interesse, disse que queria ficar comigo (risos). Vê se pode! 12 anos, uma criança (risos). Eu neguei, mas acabei parando de me fazer de difícil e a gente acabou ficando. Depois disso não nos largamos mais… desde 2012! Não foi muito fácil, por ele jogar bola não ficou morando em Itajaí, a nossa cidade de origem, logo foi para Curitiba, em 2014. Metade da nossa relação foi namoro à distância, aos finais de semana ele vinha para casa, não todos, mas aí a gente conseguia se ver. Acho que foi uma fase muito boa, porque éramos adolescentes e passamos as piores fases juntos. Não sabíamos nada do mundo, brigas aconteciam, eu queria sair e ele não estava aqui… se tornava meio complicado porque éramos imaturos. Foi um pouco complicado, mas deu certo! Em 2019 eu passei para a Federal do Paraná e me mudei para Curitiba, e em 2020 voltamos por conta da pandemia, o que também nos ajudou a passar mais tempo juntos. Nos vemos praticamente todos os dias, podemos dizer que temos uma relação muito boa, brigamos raramente e por coisinha boba, como um dia cansativo (risos). Estamos fazendo 8 anos e 7 meses, nosso aniversário de namoro é 26 de novembro. Eu estou com 19 e ele vai fazer 21 na próxima semana, temos objetivos em comum, queremos construir uma família, moldamos nossas ideias e atitudes porque crescemos juntos e isso é bonito. Fizemos o contrário do que a sociedade pede, namoramos, focamos em estudar e trabalhar, mais caseiros. Claro que gosto de sair, saio com as minhas amigas, não tem isso de proibir o outro, porque confiamos. Aconselho os jovens a investirem nas relações, que hoje estão muito líquidas, as pessoas querem tudo rápido, entram em uma relação e não planejam, não sentam para conversar – e o diálogo é o mais importante!”


Comércio com boas expectativas

O Dia dos Namorados é uma das principais datas para o comércio, junto do Dia das Mães e do Natal. Segundo a Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) de Balneário Camboriú, os comerciantes estão com boas expectativas em relação ao crescimento das vendas para o Dia dos Namorados. Seguindo o levantamento da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina (FCDL/SC), 60% dos empresários esperam um resultado melhor do que o de 2020 para a mesma data, com percentual de até 5% no crescimento das vendas.

O tíquete médio está previsto entre R$ 101 e R$ 150. A CDL acredita que esta é mais uma data importante para o comércio local recuperar as perdas provocadas pela pandemia desde o início do ano passado. Depois do Natal e do Dia das Mães, o Dia dos Namorados é a comemoração que mais movimenta o varejo. Tradicionalmente, os presentes mais procurados nesta data são roupas e calçados (28,9%), perfume e cosméticos (19,6%), flores (12,9%) e joias e acessórios (11,7%).

Restaurantes com promoções especiais

Diversos restaurantes de Balneário Camboriú e região, incluindo a badalada Praia Brava, estão com promoções especiais para a data mais romântica do ano. Vale reservar, porque a tendência é de que os estabelecimentos lotem na noite de sábado (há até mesmo restaurantes incentivando que o público antecipe as comemorações para quinta e sexta-feira, 10 e 11, com descontos especiais). Vale conferir!

Por: Renata Rutes


- Publicidade -
- Publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -