- Publicidade -
17 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Empreendedorismo e incentivo à criatividade são trabalhados nas escolas e universidades de Balneário

O empreendedorismo é visto por muitos como o futuro das profissões, com muitas pessoas optando por empreender desde já; diante disso, é preciso que as novas gerações tenham essa possibilidade em mente. O incentivo à criatividade e a visão de negócios têm sido trabalhados dentro das escolas – tanto rede municipal quanto estadual – e ainda nas universidades de Balneário Camboriú, para que crianças, adolescentes e jovens abram seus olhos para esse que pode ser o grande diferencial em suas vidas profissionais.

.

Rede municipal terá projeto voltado para Educação Financeira e Empreendedorismo a partir de abril

CEM Taquaras já realizou Feira do Jovem Empreendedor (foto PMBC)

A secretária de Educação de Balneário Camboriú, Marilene Cardoso salienta que, em vista das demandas da atualidade, a educação, assim como todo o processo educativo deve ser resiliente e estar em convergência com as questões cotidianas dos alunos.

“Pensando nisso, a Secretaria de Educação em parceria com a Credifoz, alinharam um projeto cujo o tema é a Educação Financeira e o Empreendedorismo na escola, que visa trabalhar questões diárias dos alunos acerca do cuidado com os seus recursos financeiros, para que os mesmos possam se apropriar de conceitos inerentes aos gastos, o dinheiro disponível e principalmente do consumo responsável”, conta.

Marilene salienta que leva-se em consideração que a escola é o meio transformador não somente do aluno que ali está, mas atinge de forma indireta a família e a comunidade.

“Deste modo, aplicar temas pertinentes como este, se faz necessário no ambiente escolar, haja vista o crescente aumento do consumo por supérfluos, bem como do endividamento das famílias e a falta de entendimento das crianças e jovens aos limites financeiros familiar. Além disso, por meio do empreendedorismo é possível aplicar  atividades efetivas e robustas na geração de renda, incentivando os alunos no desenvolvimento de produtos que posteriormente podem trazer recursos financeiros para si e sua família”, analisa.

O projeto, que iniciará em abril, busca o protagonismo dos alunos na construção do seu próprio conhecimento.

“Tomando como princípio metodologias significativas e que estejam o mais próximo possível da sua realidade, com intenções claras na formação de cidadãos conscientes e responsáveis sócio economicamente”, completa.

Escolas estaduais trabalham com empreendedorismo no Novo Ensino Médio

Empreendedorismo é foco do Novo Ensino Médio (foto EEB Prof. Francisca Alves Gevaerd)

A gerente regional da Educação, Cleonice Monteiro Berejuk, lembra que um dos pilares do Novo Ensino Médio, lançado neste ano ( relembre aqui ), é o empreendedorismo.

“Ele é trabalhado dentro do Novo Ensino Médio, faz parte dos componentes curriculares eletivos, da parte diversificada do currículo onde o aluno pode fazer a opção de trabalhar ou não dentro desse componente, ele escolhe”, diz. Desde 2017, sete escolas pilotos da região, já utilizam o Novo Ensino Médio como padrão. Em Balneário, a Escola de Educação Básica (E.E.B.) Francisca Alves Gevaerd é a representante. “Eles agora são disseminadores, dão suporte para colegas, ajudam, trocam ideias e experiências. Dentre as atividades eletivas que eles cumprem há a de Saúde, Sociedade e Meio Ambiente, e possuem um projeto muito bacana de horta comunitária”, comenta. 

Cleo lembra que o Novo Ensino Médio preconiza que o aluno precisa estar preparado para esse mundo globalizado e criativo. Nas aulas, agora o professor precisa focar em despertar nos alunos as habilidades que eles têm, para que eles explorem suas capacidades, que encontrem esse universo novo, se preparem para o mercado de trabalho.

“Que possam empreender em alguma situação. Aí entra a questão do projeto de vida, que também é trabalhado, para que eles [os alunos] consigam explorar possibilidades dentro de suas aptidões. Não tenho dúvida de que renderá bons frutos, a grande sacada é o aluno ser o protagonista. Tiramos o enfoque do professor e do conteúdo e o protagonista passa a ser o aluno”, afirma, citando que o professor deve cumprir o papel de orientar e ‘fazer links’ para que os alunos possam despertar para as trilhas que o Novo Ensino Médio traz.

As aulas da rede estadual retornaram no início de fevereiro, e a gerente vê que os professores estão, nesse primeiro momento, vencendo o desafio que é o novo.

“Precisamos ter essa clareza porque há muita novidade, construímos esse diálogo com o professor desde 2017, mas na prática é diferente. Eles precisam vivenciar isso no dia a dia deles, mas o Estado vem trabalhando fortemente nisso – equipando escolas, dando qualidade aos professores com equipamentos tecnológicos, laboratórios e materiais didáticos que foram entregues para que possam trabalhar esse novo currículo e a nova abordagem do Ensino Médio, fora as formações continuadas que acontecem ao longo de todo o ano”, acrescenta. 

UniAvan também incentiva o empreendedorismo

UniAvan tem diversas ações de incentivo ao empreendedorismo (foto Divulgação)

O Centro Universitário Avantis (UniAvan) também incentiva o empreendedorismo. Segundo a reitora, Isabel Regina Depiné Poffo, a professora Bella, ele é um dos pilares da formação proposta pela UniAvan e está disponível na grande maioria dos cursos ofertados.

“Muitas das nossas disciplinas e atividades desenvolvidas incentivam e inspiram esse olhar empreendedor. Para citar um exemplo, temos o projeto “Tá Contratado”, do setor de Extensão, que busca aproximar acadêmicos e egressos das empresas parceiras por meio do networking mediado pela instituição”, explica.

Bella comenta que, além disso, muitas das visitas técnicas e cases que os alunos têm acesso durante a formação são de empreendedores, muitos deles ex-alunos que atuam no próprio negócio.

“Além das startups e aceleradoras, que seguem em ampla ascensão e são caminhos interessantes para quem deseja empreender”, comenta.

A reitora opina ainda que o empreendedorismo é sempre uma possibilidade para qualquer profissão.

“E nós buscamos reforçar essa ideia para nossos alunos desde o ensino médio e também nas atividades de pesquisa e extensão. Com a pandemia, muitas pessoas perderam seus empregos e tiveram que empreender para complementar ou até mesmo ter uma renda. As formações da UniAvan buscam, sempre que possível, formar o aluno não só para estar apto a abrir o próprio negócio, mas também para colocar em prática o intraempreendedorismo, que é ter esse “espírito empreendedor”, de quem inova e enxerga novas oportunidades na empresa que já atua”, afirma, pontuando que, para isso, aulas como a de gestão de marketing, a própria disciplina de empreendedorismo e outras trazem uma boa base. “Possibilitando que o futuro profissional tenha subsídios para gerir o próprio negócio”, acrescenta.

Bella aproveita para citar que vê que Balneário Camboriú é uma cidade de muitas oportunidades.

“A UniAvan busca dar espaço para empreendedores, principalmente de egressos da instituição. Muitos dos nossos fornecedores também são locais e alguns deles ex-alunos da UniAvan, que abriram o próprio negócio. Além disso, a instituição abre espaço para palestras, apresentação de cases e discussões sobre o tema e tem uma boa relação com as entidades empresariais da região. Muitos dos cursos de extensão abertos à comunidade também incentivam o empreendedorismo. Só para citar um exemplo, o “Confeitaria Faça e Venda”, do curso de Gastronomia, já formou várias turmas nas edições em que foi ofertado”, completa.

Univali tem disciplinas voltadas para o empreendedorismo e ações junto da comunidade

Univali possui a Escola de Negócios, onde incentiva os acadêmicos a investirem no próprio negócio (foto Univali)

O professor Ayrton Santos de Queiroz, coordenador de Empreendedorismo e responsável pela Escola de Negócios da Universidade do Vale do Itajaí – Univali, conta que a instituição incentiva o empreendedorismo junto aos acadêmicos dentro dos cursos, com as disciplinas que são voltadas para a inovação e podem ser cursadas por todos os alunos regularmente matriculados na universidade.

“Eles podem optar por cursá-las. Temos disciplinas onde os alunos vão aprender a identificar, reconhecer características, perfil de empreendedor, atitudes que o empreendedor precisa ter diante dos desafios de criação de um negócio.”Temos disciplina onde o aluno terá a possibilidade de pensar em todo o processo de criação de uma startup, outras onde aprende sobre a mentalidade, processo de criação de modelagem de negócios e ainda temos a possibilidade de o aluno poder desenvolver o seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) voltado para a criação de um plano de negócios ou modelagem de negócios”, comenta.

Ayrton lembra ainda que a Univali conta com muitas atividades internas e externas, onde a comunidade que está no entorno do campus pode participar, através de editais para incentivar ideias inovadoras, concursos.

“Vamos ter movimentos bem interessantes neste ano para incentivar o empreendedorismo social, a economia solidária, as incubadoras que temos dentro da universidade; temos um hall de atividades que deixamos à disposição para alunos e comunidade, oferecendo um suporte não somente na graduação e pós, mas também junto do Ensino Médio, onde são inseridos para entender o que é ser um empreendedor e a importância das empresas e benefício delas”, acrescenta. 

O professor comenta que ser empreendedor não é só ter seu próprio negócio, mas também empreender dentro de empresas para onde trabalha, e que as grandes corporações buscam pessoas com esse perfil, pois têm visão de negócio, independente da área.

“Muitos de nossos alunos querem abrir seu próprio negócio, pensando na necessidade que o mercado tem. Acreditamos muito que o empreendedorismo é o ‘caminho’ para a maioria das profissões e essas competências precisam ser desenvolvidas hoje, porque o mercado está aí. Balneário conta com movimentos e associações para movimentar o empreendedorismo na região, inclusive com atividades gratuitas, através do Sebrae, e a Univali também sempre tenta ajudar quem tem ideias a tirá-las do papel, dando esse start. Incentivar o empreendedorismo é incentivar o futuro”, completa.


- Publicidade -
- Publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
%d blogueiros gostam disto: