- Publicidade -
- Publicidade -
17.1 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Novos conselheiros tutelares de Balneário Camboriú têm como desafio conquista de nova sede e maior aproximação com a comunidade

Os novos conselheiros tutelares de Balneário Camboriú, Cristiane Amorim  (Bacharel em Direito), Anna Gazaniga (Psicóloga), Karin Schwengber (Assistente Social), Lico Passos (Membro da Comunidade) e Maurício Rafael (Membro da Comunidade) estão atuando desde o último dia 10 e já definiram as prioridades para este ano – a conquista da nova sede do Conselho Tutelar e uma maior aproximação com a comunidade, através da presença nas escolas.

Lico Passos foi eleito presidente no dia 10, através do colegiado feito pelos conselheiros – o mandato é de um ano, para que todos que tenham vontade possam assumir a presidência, um acordo já de outras gestões que continua sendo seguido. 

Lico, Cristiane e Anna estão como conselheiros pela primeira vez, e estão recebendo apoio de Karin e Maurício, que foram reeleitos. 

“Os dois estão nos dando bastante apoio e suporte nas dúvidas que temos, principalmente no plantão, repassamos demanda, para que possam dar uma orientação a mais. Estamos buscando fazer o nosso melhor para que em breve estejamos todos ambientados com a demanda”, explica Lico.

- Publicidade -

Nova sede até junho

Segundo ele, a conquista da nova sede tem prazo até junho no máximo, quando o Conselho vai sair da sede atual. Já estão sendo verificadas possibilidades de imóveis que sejam já da prefeitura, mas se não for possível terão que alugar um novo espaço. O Conselho precisa trabalhar na mudança de endereço sem que o serviço pare.

Principais demandas

Sobre as principais demandas, Lico pontua que estão atendendo casos denunciados em 2023, mas que há novos d atendidos já neste ano, como uma adolescente que foi abusada por um parente e que foi acolhida e encaminhada para familiares em outro Estado, além de dois adolescentes que cometeram furtos no camelódromo. 

“Quando envolve menor em situação policial, cometendo atos errados, nós acompanhamos. Em alguns casos até o acolhimento é feito. Lembrando que há situações em que seguem trâmites judiciais através de investigação da polícia”, aponta.

Maior presença nas escolas

No colegiado desta última semana os conselheiros também já trataram do plano de ação pensando no retorno das aulas, pois querem estar mais presentes nas escolas. Lico lembra que também contam com o apoio da prefeitura, que possui o programa Proteção Global, que funciona gratuitamente na Casa da Família, com escuta especializada. 

“Nós discutimos que o ideal seria ter uma pessoa capacitada e treinada dentro de cada escola, pronta para receber denúncia espontânea que às vezes é feita para professor, para servidor… e tem que estar preparado para atender, para reconhecer um sinal, e repassar para a rede. Estamos vendo de que forma podemos otimizar e deixar mais ágil o processo, mas o plano é estarmos bem presentes nas escolas, tanto nas públicas quanto particulares”, informa.

O Conselho Tutelar também está preparando materiais para serem entregues nas escolas. Um dos focos é ainda a evasão escolar, como crianças que têm muitas faltas ou que realmente deixaram de frequentar as aulas. Em alguns casos, exige que os pais sejam responsabilizados, pois a criança precisa estar na escola.

Crianças nos sinais da cidade

Um tema já denunciado diversas vezes pelo jornal é a presença de crianças e adolescentes pedindo dinheiro ou vendendo doces em sinais de Balneário Camboriú, como na Quarta Avenida, Avenida das Flores e Marginais. 

“Já discutimos esse ponto e é algo muito sensível. Tivemos informação que muitas dessas crianças são moradoras de Camboriú. Quando chegamos para abordá-las, elas fogem. A atuação fica um pouco limitada. O Ministério Público também acompanha e até já interviu. Sempre que há denúncia, o Conselho Tutelar vai até o local, a não ser que estejamos em outra ocorrência”, completa.

O Conselho Tutelar atende em regime de plantão 24h via 47 98883-7585 – lembrando que casos de urgência e emergência (crimes ou suspeitas que colocam em risco menores) devem ser repassados para a polícia, porque conselheiros não podem entrar em casas, mas se forças da segurança constatarem crime e acionarem, o Conselho vai. 

A sede do Conselho fica na Rua 600, 271, no Centro de Balneário Camboriú, com atendimento de segunda à sexta-feira, das 8h às 18h, sem fechar para o almoço.


Para receber notícias do Página 3 por whatsapp, acesse este link, clique aqui




- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -