- Publicidade -
- Publicidade -
20.3 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Grupo FG apresenta ao mercado sua agência in-house

A aposta é no marketing híbrido, com in-house e parceiros externos. Operação iniciou em setembro e vem atraindo atenção do mercado corporativo.

O Grupo FG, que tem à frente o empresário Jean Graciola, vem anunciando diversos investimentos diversificados no mercado. O mais novo produto é a agência in-house que passa a responder por todas as criações e produções da FG Empreendimentos, Ocean Place, We.Arch e demais empresas do Grupo.

“Somos um grande ecossistema. Além da construção civil, o Grupo FG atua na hotelaria, serviços, entretenimento e incorporação de supertalls e também já temos expansões para áreas como mercado de investimento e consultoria, e a agência in-house tem a vantagem de estar imersa na cultura e nos processos das empresas, com mais liberdade criativa e inovação ágil para potencializar resultados de negócio”, destaca o empresário Jean Graciola.

O processo de implantação teve como mentora a gerente de marketing, Patrícia Fernandes. “O desenvolvimento de empresas, desde o projeto até a sua implantação faz parte de minha expertise. A house nasceu de uma necessidade de mercado, acompanhando o crescimento do Grupo FG. Temos um projeto de expansão de áreas de atuação e a nova empresa já nasceu com propósito e ecossistemas de comunicação customizados”, explica Patrícia Fernandes.

A gestão criativa da house está com o publicitário Alexandre Maitto, profissional com mais de 10 anos de experiência nas áreas de marketing e comunicação com foco em criação, planejamento estratégico, digital, mídia (on e off), eventos, ativação, branding e desenvolvimento de times de alta performance.

- Publicidade -

Este modelo é vastamente difundido no mercado americano e já passou por um grande período de testes e consolidação no Brasil. Segundo dados WFA (World Federation of Advertisers), atualmente 80% das grandes multinacionais já possuem estrutura de agência in-house ou até mesmo times de especialistas internos terceirizados, que são times menores e otimizadas focadas em uma única atividade do mix de marketing como, por exemplo, performance, compra de mídia, social, trade marketing, eventos. Em 2020 o percentual era de 57%.

“O Brasil vem acompanhando essa tendência de investimento, assim como ocorreu em várias outras ocasiões no mercado de comunicação. O principal motivo para isso é a busca constante por eficiência na comunicação e valores como agilidade, qualidade e profundidade. Mas isso não significa que estamos fechando mercado, para projetos específicos temos sim nossos parceiros e que ativamos para o desenvolvimento de campanhas”, explica Alexandre Maitto. Hoje, além da house o Grupo FG conta com duas agências terceirizadas, uma focada em performance e a de assessoria de comunicação e imprensa. “Nossa agência in-house faz parte de um ecossistema mais complexo de comunicação e está projetada para as transformações mercadológicas”, completa Maitto.

O crescente posicionamento da nova empresa no mercado já vem potencializando novos clientes. “Mesmo sem o lançamento oficial da marca já estamos sendo procurados, tanto por empresas coirmãs como por outros segmentos que têm sinergia, em busca de novas formas de comunicar e apresentar produtos”, finaliza Patrícia Fernandes.

Texto: Adriana Laffin

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -