- Publicidade -
- Publicidade -
27.8 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Putin acusa o Ocidente de desencadear uma “guerra” contra a Rússia

O presidente russo, Vladimir Putin, disse nesta terça-feira, 9, durante o desfile do Dia da Vitória na Praça Vermelha, em Moscou, que “uma verdadeira guerra” foi desencadeada contra a Rússia pelas “ambições indomáveis” do Ocidente, pouco após as forças do Kremlin terem lançado mísseis de cruzeiro contra alvos ucranianos.

“Hoje, a civilização encontra-se mais uma vez num ponto de virada decisivo”, disse Putin nas comemorações anuais em Moscou da derrota da Alemanha nazista na Segunda Guerra Mundial. “Foi desencadeada uma verdadeira guerra contra a nossa Pátria”.

Desde que a Rússia invadiu o seu vizinho há mais de 14 meses, Putin tem repetidamente enquadrado a guerra na Ucrânia como um conflito por procuração com o Ocidente. A narrativa oficial do Kremlin sobre a guerra pintou o quadro de um conflito existencial com o Ocidente, que, na opinião de Moscou, está apenas a usando a Ucrânia como uma ferramenta para destruir a Rússia, reescrever a sua história e esmagar os seus valores tradicionais. Esta versão dos acontecimentos domina a cobertura da guerra pelas mídias estatais russas.

- Publicidade -

No seu discurso, Putin insistiu que as “ambições indomáveis, a arrogância e a impunidade” do Ocidente são as culpadas pelo conflito.

Putin saudou os soldados que combatem na Ucrânia e que estavam presentes na parada. “À Rússia! Às nossas corajosas forças armadas! À vitória!” Putin concluiu o discurso.

A Rússia lançou uma barragem de mísseis de cruzeiro sobre a Ucrânia durante a noite de terça-feira, horas antes do início da parada de Moscou, que este ano se realiza no meio de medidas de segurança apertadas.

As forças do Kremlin lançaram 25 mísseis durante a noite, numa vaga de ataques em toda a Ucrânia, informou a força aérea ucraniana, acrescentando que a defesa aérea destruiu com êxito 23 deles.

Num post no Telegram, a força aérea disse que oito mísseis de cruzeiro Kalibr foram lançados de porta-aviões no Mar Negro em direção ao leste e 17 de aeronaves estratégicas.

A barragem ocorreu no momento em que Moscou e outras cidades acolheram desfiles militares e outras festividades que assinalam o Dia da Vitória, o maior feriado secular da Rússia, que este ano foi significativamente ofuscado pela guerra na Ucrânia.

Pelo menos 21 cidades russas cancelaram os desfiles militares do dia 9 de maio – o ponto de partida das celebrações em toda a Rússia – pela primeira vez em muitos anos. As procissões do Regimento Imortal, em que as multidões saem para as ruas com retratos de familiares que morreram ou serviram na Segunda Guerra Mundial – outro pilar do feriado – também foram canceladas em várias cidades.

- Publicidade -

As autoridades regionais atribuíram a culpa a “preocupações de segurança” não especificadas. Alguns especularam, no entanto, que a razão por detrás do cancelamento das marchas do Regimento Imortal era o fato de os russos poderem trazer para essas procissões retratos de familiares que morreram na Ucrânia, ilustrando a escala das perdas da Rússia no prolongado conflito

Esperava-se que Moscou fizesse uma demonstração de força durante o seu desfile emblemático na Praça Vermelha, com equipamento militar de topo a passar por ela e líderes de nações ex-soviéticas ao lado do Presidente Vladimir Putin.

Inicialmente, estava prevista a presença de apenas um deles – o presidente do Quirguistão, Sadyr Zhaparov – mas, à última hora, na segunda-feira, as autoridades confirmaram que os líderes da Armênia, Bielorrússia, Cazaquistão, Tajiquistão, Turquemenistão e Uzbequistão também se deslocariam a Moscou.

As celebrações foram reduzidas na sequência de informações oficiais ambíguas, na semana passada, segundo as quais dois drones ucranianos teriam voado para o coração de Moscou, a coberto da escuridão, e chegado ao Kremlin antes de serem abatidos. O Kremlin considerou que se tratava de um atentado contra a vida de Putin; a Ucrânia negou o seu envolvimento.

(AE com agências internacionais).

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -