- Publicidade -
- Publicidade -
22.8 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Adolescente de Balneário Camboriú está desaparecida há duas semanas

Ela estaria conversando com um homem pelo celular, mas a família não sabe onde ela está

A adolescente Ana Maria de Moraes Siqueira, 14 anos, de de Balneário Camboriú, continua desaparecida. Ela foi vista pela última vez há duas semanas (na segunda-feira (10) e a família segue procurando por ela. A garota teria contato com um homem pelo celular, mas a mãe, Elisângela, garante que ela não teria namorado e que era uma menina ‘de dentro de casa, criada na igreja’. 

Segundo o diretor do Núcleo de Desaparecidos de Camboriú, Manoel Mafra, a família mora no Bairro Nova Esperança, na região sul de Balneário. 

“É uma situação muito triste. Quando nos colocamos na situação de pais realmente ficamos desesperados, o desaparecimento por alguns minutos já causa uma tristeza, imagina todos esses dias sem ver a filha. Uma menina de coração bom, estudiosa, que não teve namorado e alguém se aproveitou da inocência dela e a convenceu de ir para algum lugar que não se sabe onde”, diz. 

- Publicidade -

A mãe de Ana, Elisângela, pede ajuda da comunidade, diz que está angustiada e que não sabe o que aconteceu com a menina. “Por favor, quem souber o paradeiro da minha filha, nós não estamos mais dormindo e nem comendo direito, preocupados. Ela não era uma menina que andava solta na rua, se criou dentro da igreja. Estamos pedindo por favor, que nos ajudem, qualquer informação dela, porque o lugar dela é na casa dela, ela tem família e estamos aqui esperando por ela, preocupados com o que está acontecendo com ela”, explica. 

Elisângela reafirmou que Ana Maria não tinha namorado e que ‘ela não era de sair, namorar, nem casa de amigos ou parentes’, que era ‘uma menina de casa mesmo, que ia para a escola e na igreja’. 

A suspeita é de que Ana tenha feito um contato com um homem – pelo telefone. 

“Não sabemos, fui saber que era um rapaz porque minha filha mais nova, de 9 anos, disse que a Ana andava conversando com uma pessoa no celular e quando eu falava ‘com quem está conversando?’, ela dizia que era de um joguinho, mas a gente não tinha conhecimento que ia tirar da minha casa, foi um sequestro! Não foi pai, mãe que mandou, foi uma coisa muito bem preparada para levar ela daqui”, acrescenta. 

Um número de São Paulo chegou a fazer contato com a mãe da garota informando que ela voltaria para casa, mas até agora nada aconteceu. Um boletim de ocorrência foi registrado. 

Se você viu Ana Maria ou sabe onde ela está, acione o 190 (Polícia Militar), 181 (Disk Denúncia da Polícia Civil), (47) 9.8447-6768 (Manoel Mafra, do Núcleo de Desaparecidos de Camboriú) ou diretamente com a família da adolescente (47) 3267-7004.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -