Dia do Pescador e de São Pedro é nesta quarta-feira: “Não dá para deixar morrer”

Imagem da cultura de Balneário Camboriú (Foto Rivo Biehl)

- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -
- Publicidade -

Nesta quarta-feira (29) é comemorado o Dia do Pescador e também de São Pedro, o padroeiro dos pescadores, que neste dia é homenageado para que a pesca seja abundante o ano todo. 

Pescadores de Taquaras (Foto Renata Rutes)

A pesca faz parte da cultura de Balneário Camboriú, que lembrará o Dia em julho, com a tradicional Festa do Pescador, que integra as comemorações do aniversário da cidade e acontece no Bairro da Barra, tradicional bairro dos pescadores de Balneário.

Safra da tainha em Balneário: 20 mil peixes

- Publicidade -

O pescador Jair é da tradicional família Euflorzino, que há várias gerações tem a pesca ‘correndo na veia’, como ele mesmo diz. 

Da esquerda para a direita: Fernando, Eládio e Jair Euflorzino (Foto Renata Rutes)

Ele é também presidente da Associação de Moradores da Praia de Taquaras, onde a família reside. 

Jair salienta que a safra da tainha deste ano (que começou em 1º de maio e segue até 31 de julho) não foi ‘das piores’ e que na terça-feira (28) pegaram cerca de 60 peixes. 

“Não foi a melhor, já teve safra de 80 mil peixes, mas teve outra de cinco mil. A tainha é uma loteria. Neste ano, o que vimos foi que toda a região sul foi contemplada. Balneário deve ter capturado quase 20 mil peixes (considerando todas as praias). É um bom número, está sendo uma pesca razoável”, salienta.

Safra segue até fim de julho

(Foto Devian Zutter)
- Publicidade -

Jair comenta que ainda tem mais um mês de pesca e que também há muita expectativa com o Dia do Pescador, que é também o Dia de São Pedro. 

“Temos a Festa do Pescador em julho, mas sempre fazemos algo nos ranchos nesse nosso Dia. Na Bíblia, São Pedro foi o primeiro pescador da história, então sempre esperamos pegar um lanço grande de peixe nesse 29 de junho. Vamos aguardar. Já aconteceram lanços grandes nesse dia. Afinal, a pesca termina quando não tem mais notícia de peixe, e ainda tem cardume na área. Em Imbituba falam de 50 mil peixes”, acrescenta.

(Foto Devian Zutter)

Ele diz que há comentários que apontam que a maioria do peixe já subiu para o Sudeste e está no litoral de São Paulo e do Rio de Janeiro. A suspeita é de que a tainha tenha passado ‘muito por fora’ da costa. 

- Publicidade -

“Mas tem chance de ainda vir, tanto que pegamos 60 peixes na terça. Suspeitamos que já seja o peixe que subiu e está voltando. Mas no geral, foi uma pesca bem boa!”, pontua.

(Foto Devian Zutter)

Pesca faz parte da cultura de Balneário: “É uma coisa muito linda!”

O pescador aproveita para lembrar que a pesca faz parte da história e da cultura de Santa Catarina e de Balneário Camboriú, e ele vê que ela está sendo mais valorizada, através do prefeito Fabrício Oliveira, que teria ‘voltado a olhar’ e reconhecer a importância dessa cultura. 

“Ele tem nos apoiado e a cidade ganha muito com isso. Sou da família Euflorzino, onde a pesca passa por várias gerações. Cresci vendo meu pai, Eládio, que hoje tem 75 anos e tem 60 de pesca. Ele segue na ativa, lidera a pesca em Taquaras, faz as redes… Para a nossa família a pesca é tudo! Meus filhos participam, espero que meus netos também participem. Não dá para deixar morrer, é uma coisa muito linda! Ficamos esperando o ano todo para chegar os meses de pesca da tainha, para acordar cedo, colocar a rede na água, partilhar o peixe… é algo que não se esquece e que corre na nossa veia”, completa.

- Publicidade -
spot_imgspot_img
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -