- Publicidade -
- Publicidade -
16.7 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Atleta e fisioterapeuta de Balneário Camboriú na seleção brasileira que disputa Mundial de Marcha na Turquia

Balneário Camboriú estará duplamente representada na seleção brasileira que disputa o Campeonato Mundial de Marcha Atlética, no próximo dia 21, na cidade de Antalya, na Turquia, com a atleta Mayara Vicentainer e a fisipoterapeuta Sheyla Alves Oscheler, ambas do Instituto Atletismo Balneário Camboriú (IABC) e da Fundação Municipal de Esportes (FMEBC).

Mayara é a atual campeã brasileira de 35km e representará o Brasil na prova de 20km. O técnico Diogo Gamboa é o treinador de Mayara há mais de um ano e contou que ela vem numa evolução muito grande.

“Nossas expectativas são as melhores, agora ela compete pelo IABC, mas já treino ela há mais de um ano e venho acompanhando de perto a evolução. Na Turquia ela vai em busca de pontos para conquistar sua vaga na seleção que vai disputar a Olimpíada em Paris”, disse o técnico.

Sheyla e Mayara (Divulgação/IABC)

Mayara e Sheyla contaram um pouco da sua trajetória, experiências e conquistas ao jornal Página 3. Acompanhe:

- Publicidade -

“Seis anos após meu retorno às pistas, estou em busca da vaga para as Olimpíadas de Paris”

Começo de carreira – Mayara iniciou no esporte em 2003, com 12 anos, no colégio em que estudava em Blumenau, quando foi feita uma atividade da marcha atlética com alguns atletas de nível nacional, internacional e olímpico.

“Assim que iniciei a atividade já comentaram da facilidade técnica que eu tinha. Um ano depois eu já treinava com os mesmo atletas que foram fazer aquela atividade na escola”, disse. 

Primeira seleção brasileira – Em 2006, com 15 anos, ainda na categoria menores, foi convocada para sua primeira seleção brasileira,  na cidade de Caracas, Venezuela.

“Depois dessa convocação, durante os próximos anos me consagrei campeã brasileira nas categorias menores e juvenis, também fui convocada para Sul Americanos e Pan-Americanos, subindo ao pódio nas competições internacionais. 

Fim de carreira – Com 20 anos, depois de algumas situações da vida, encerrou a carreira.

“Foquei nos estudos e trabalho, saí do alto rendimento como atleta, mas permaneci como treinadora, porque quem ama o esporte é difícil ficar longe”, contou. 

O desafio – Em 2018, com 27 anos retornou para Santa Catarina e um amigo, também atleta, me propôs um desafio, para entrar em uma prova de marcha… No famoso Jogos Abertos de Santa Catarina (JASC), meio contrariada, mas aceitou o desafio.

“Realizei a prova e fui segunda colocada e mesmo com esse pouco tempo de treinamento, fez renascer em mim a vontade de voltar às pistas. 

O retorno – A partir de então organizou sua rotina, sua vida e hoje, com 33 anos, seis após o retorno, está em busca da vaga para as Olimpíadas de Paris. 

“Ao longo desses anos, após o retorno, conquistamos diversos títulos nacionais, internacionais e mundiais, semana que vem embarco para o terceiro mundial, em Antalya na Turquia, onde buscamos uma excelente pontuação para a vaga olímpica”.

O técnico – Mayara contou que durante o seu retorno, o técnico Diogo Gamboa sempre esteve presente, dando apoio e auxiliando nas competições.

Mayara e seu técnico, Diogo (Divulgação/IABC)

“Não demorou muito para nos tornarmos atleta e treinador e na sequência me tornar atleta de Balneário Camboriú. Para o atleta é extremamente importante o papel do treinador e apoio da equipe. Não tenho palavras para descrever o quanto confio e admiro o trabalho do Diogo Gamboa. O resultado de um atleta é exposto com rosto dele, mas vale salientar que o trabalho da equipe faz total diferença para que os resultados venham, ter a Daiana Gamboa que dá todo suporte para equipe e a Sheyla como fisioterapeuta sem dúvidas é fundamental para nossas conquistas”, disse Mayara.


“A reabilitação do atleta tem que ser na melhor forma possível e no menor tempo possível sempre”

Sheyla cuidando de Mayara (Divulgação/IABC)

Sheyla trabalha com esporte desde 2017 na Fundação Municipal de Esportes, com todas as modalidades e categorias, desde as de base até o esporte de rendimento, inclusive o paradesporto. 

- Publicidade -

Além da Fundação, Sheyla trabalha no Instituto Atletismo Balneário Camboriú (IABC).

Desde então tem participado de competições municipais, estaduais como Olesc, Joguinhos Abertos, Jogos Abertos de SC (JASC), nacionais e internacionais.

A maioria das viagens nacionais e internacionais são através do atletismo, porque Sheyla é contratada da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt). 

“Estou extremamente feliz pela convocação para este Mundial na Turquia, mais ainda por estar indo com uma atleta local, é uma sensação de orgulho e felicidade. é um trabalho prazeroso, eu vivo o atletismo, o esporte, isso pra mim é a consagração de um trabalho bem feito”, disse Sheyla.

Benefício reconhecido – “A Fundação se destaca por promover esse benefício aos atletas, o esporte não tem tempo a perder, para o atleta a reabilitação tem que ser diferenciada das clínicas convencionais, a reabilitação é para que o atleta esteja na melhor forma possível no menor tempo possível, o que não é fácil de fazer”. 

Reconhecimento&Privilégio – “Sou federada pelo atletismo, então além do atendimento na Fundação eu sou fisio do IABC. Fiquei quase dois anos afastada da Fundação, mas nunca parei no IABC. Com esse trabalho, as viagens, aperfeiçoamento e a experiência, fui conquistando reconhecimento a nível estadual e federal e hoje faço parte do quadro de funcionários da Confederação Brasileira de Atletismo. Me sinto extremamente privilegiada, porque temos muitos profissionais qualificados e que não tiveram a oportunidade que tive de crescer e evoluir no esporte, não só no cenário municipal, mas no nacional e internacional, um reconhecimento que vem através das inúmeras convocações para atender seleções brasileiras”.

Orgulho&Felicidade – “O ponto crucial que mais me deixa feliz é o orgulho e a emoção de estar na seleção, reabilitando atletas que fazem parte do nosso dia a dia, do nosso cotidiano, da nossa cidade…isso é muito especial”.

Rompendo barreiras – “O universo esportivo ainda é um ambiente masculinizado, mulheres têm algumas dificuldades de adentrar nesse universo em todas áreas, tanto como treinador, fisioterapeuta, departamento médico etc. Mas esse preconceito está sendo quebrado a cada dia, vejo que as mulheres estão cada dia mais presentes nesse universo que até pouco tempo atrás era totalmente masulino, o número de atletas mulheres era menor que hoje, assim como pessoas que trabalhavam com esportes, equipe multidisciplinar, treinadoras. São barreiras que vão sendo ultrapassadas e tudo isso faz com que a gente se sinta mais forte”.

Eventos internacionais – Desde 2019 Sheyla vem atuando em eventos internacionais. O primeiro foi o Campeonato Libertadores de futsal feminino em Balneário Camboriú. Depois vieram o Pan Americano de Marcha (Equador), Sul Americano (Peru e Equador); Mundial Indoor de Atletismo (Sérvia/Belgrado), Mundial e Sul Americano Atletismo (Colombia), Mundial Atletismo (Budapeste/Hungria) e este ano, ela atuou na seleção brasileira no Sul-Americano de Marcha Atlética (Recife) e no Sul Americano Indoor (Bolívia), portanto a Turquia é sua terceira convocação em 2024.

- Publicidade -
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -