- Publicidade -
- Publicidade -
17 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Casos de Covid voltaram a aumentar em Balneário Camboriú, mas os sintomas em sua maioria são leves

Os casos de Covid-19 voltaram a aumentar em Balneário Camboriú. Nesta sexta-feira (14) foram confirmados 91 novos casos, sendo que há 753 ativos (743 em tratamento em domicílio e 10 internados). 

A UTI do Centro Covid registra nove pacientes internados, quatro de Balneário, dois de Navegantes, um de Camboriú e um de Bombinhas, com taxa de ocupação de 45%; na Clínica Covid há cinco internados, um de Itapema, um de Porto Belo e três de Balneário). Porém, a maioria dos casos possuem sintomas leves, mostrando a eficácia da vacina. 

- Publicidade -

No governo municipal e nas forças da segurança, há muitos infectados, especialmente os trabalhadores que atuam direto na rua e/ou com o público. Somente na Secretaria de Inclusão Social há cerca de 100 funcionários afastados neste momento, incluindo a secretária, Christina Barichello.

Na rede hoteleira, segundo informou o presidente do Sindicato de Hotéis, bares e Restaurantes (Sindisol), Isaac Pires, o número de trabalhadores afastados por síndrome respiratória é alto, o que prejudica as operações.

“Mas graças a Deus, todos se recuperando bem”, acrescentou Pires.

O Página 3 conferiu várias áreas e setores, especialmente aqueles que lidam diretamente com o público. Confira:

Inclusão Social

- Publicidade -

A secretária de Inclusão Social, Christina Barichello, positivou para Covid-19 na quarta-feira (13), mas estava com sintomas desde domingo (9). 

Ela contou ao Página 3 que deve voltar a trabalhar na próxima segunda-feira (17). 

“Estou com sintomas leves, iguais de gripe. Na outra vez que peguei Covid, em junho de 2020, fiquei muito mal, não sentia gosto de nada e nem cheiro. Desta vez, eu achei que era gripe porque não deixei nem de sentir gosto e cheiro, mas testei e positivei”, diz.

- Publicidade -

Segundo Christina, há nesta sexta-feira (14) 100 funcionários afastados por síndrome respiratória (Covid ou gripe/Influenza), sendo que 46 são por Covid, mas nenhum caso é grave – todos são vacinados, incluindo a secretária. 

Os principais infectados são funcionários da Casa da Mulher, Abordagem Social e programas Abraço. 

“Eu estou trancada dentro de casa por respeito às pessoas, para não passar para ninguém, mas não sinto nada, hoje acordei bem”, afirma, citando que todos os funcionários da Inclusão foram vacinados, e que inclusive reivindicaram para serem vacinados antes do prazo por atuarem junto ao público. 

“Infelizmente, muitos pegaram novamente, porque temos todo esse contato com o público. No Abraço à Mulher todas estão com Covid, da diretora às psicólogas. A situação é bem difícil porque temos que substituir, mas logo todas voltarão. Eu volto na segunda (17), o tempo de alta diminuiu para entre cinco e sete dias”, explica.

A Secretaria de Inclusão Social possui um espaço próprio para testagem dos funcionários, já que atuam diretamente com o público, como na Casa da Mulher e Centro da Família, nos programas Abraço e também na Abordagem Social. 

“A Casa da Mulher só retorna com as atividades em duas semanas (dia 24). Os funcionários continuam trabalhando, mas a Casa não está aberta. Nós incentivamos que todos se vacinem, é questão de conscientização, deveria ser obrigatoriedade tomar não só a vacina do Covid, mas também a da gripe. Sempre continuamos com o uso de máscara e distanciamento, e vamos reforçar isso ainda mais, além da questão da sanitização, contratamos uma empresa para sanitizar todos os ambientes”, acrescenta.

Meio Ambiente

Segundo a secretária do Meio Ambiente, Maria Heloísa Lenzi, não há ninguém da equipe da SEMAM com Covid-19, mas ela afirma que os cuidados sanitários seguem para que assim permaneça.

Obras

O secretário de Obras, Osmar de Souza Nunes Filho, o Mazoca, conta que há atualmente quatro funcionários da secretaria afastados por Covid-19. 

“Felizmente, até agora temos apenas quatro pessoas afastadas, com sintomas leves, muita dor de cabeça, febre e dor no corpo. Estamos procedendo com as mesmas regras da pandemia. Nunca foi relaxado, inclusive dentro da secretaria mantemos o distanciamento. Solicitamos que quem trabalha na rua também siga as regras, e os responsáveis pelas equipes estão sempre cobrando”, disse.

Polícia Militar

O Comandante do 12º Batalhão de Polícia Militar de Balneário Camboriú, Daniel Nunes da Silva, disse que não possuem autorização para informar quantos policiais estão afastados, por tratar de efetivo, já que a informação poderá ser utilizada por bandidos. 

“Seguimos os mesmos cuidados de sempre, nada mudou. A PM nunca poderá parar, somos militares e entendemos nossa missão”, pontuou.

Guarda Municipal

Nos últimos 30 dias, segundo o comandante da Guarda Municipal, Douglas Ferraz, a GM teve 21 afastamentos por suspeita (própria ou de cônjuge). 

Desses, 12 foram positivados. 

“A contaminação acontece porque a Guarda está em contato direto com grande parte da população. Os afastamentos são por poucos dias, quase todos já retornaram. Seguimos constantemente todos os cuidados sanitários”, comentou.

Corpo de Bombeiros

Segundo o Capitão Rodrigo Schardong do Corpo de Bombeiros de Balneário Camboriú, na área de todo o batalhão, há hoje 12 bombeiros militares afastados por Covid ou Influenza e mais 15 guarda-vidas civis. 

“Nós continuamos com o mesmo protocolo, não tivemos nenhuma alteração, sempre mantendo cuidados como uso de máscara, álcool gel e distanciamento, principalmente no atendimento de ocorrências junto da população. Sempre que é identificado sintoma de Covid ou Influenza o profissional é afastado e encaminhado ao atendimento médico, já é encaminhado para o teste e é afastado até o resultado, se for positivado, segue isolado. O afastamento pode durar de 7 a 14 dias, para que não haja contaminação com outros bombeiros e guarda-vidas”, explica.

Quem cura também fica doente

Na semana passada a Unimed Litoral, que possui a maior estrutura de saúde privada na região, contabilizou 131 colaboradores afastados por Covid ou Influenza, número próximo aos 140 registrados simultaneamente na pior fase da pandemia no ano passado.

Dessa vez, a pressão conjunta da Covid e da Influenza é enorme em quantidade, mas com menos gravidade. Cerca de 30 mil pacientes recorreram ao Pronto Atendimento (presencial adulto, infantil, ortopédico e digital), mas uma minoria evoluiu com gravidade e precisou ser hospitalizada.

- Publicidade -
spot_imgspot_img
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
%d blogueiros gostam disto: