- Publicidade -
- Publicidade -
18.2 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

Superferiado no RJ e SP pode atrair turistas para Balneário Camboriú, mas reservas estão fracas

O ‘superferiado anticovid’ que começa nesta sexta-feira (26) em todo o Estado do Rio de Janeiro e na capital de São Paulo, seguindo até 4 de abril, poderá atrair turistas para Santa Catarina onde não haverá qualquer medida de controle.

Essas barreiras que não existem em Santa Catarina, foram montadas em diversas cidades do Rio e São Paulo que não querem aglomeração neste momento gravíssimo da pandemia.

- Publicidade -

Em maio de 2020, quando São Paulo antecipou feriados, Balneário Camboriú montou barreiras rigorosas na recepção de ônibus e outros veículos procedentes daquele Estado.

Um ano atrás, a pandemia não era tão grave quanto é agora. Leia o que secretários municipais alegaram ao Página 3.  

Leila Crócomo, secretária de Saúde de Balneário Camboriú

“Já tivemos muitos feriados neste um ano de pandemia, não podemos evitar [que turistas venham], mas se todos tiverem a conscientização de usar máscara, higienizar as mãos constantemente e não fazer aglomeração, vamos evitar a disseminação do vírus. 

Todos temos a responsabilidade de evitar a contaminação, cabe ao poder público alertar e fiscalizar se as medidas de segurança estão sendo cumpridas. Recebemos turistas com responsabilidade, temos vidas que trabalham e vivem em Balneário e que precisam ser preservadas. 

- Publicidade -

Esperamos que as pessoas tenham consciência de que se virem para Balneário não venham fazer festa e bagunça, os nossos moradores merecem respeito. 

É um momento difícil, as UTIs seguem lotadas, e os cuidados precisam continuar, como o uso de máscara, distanciamento social, sem aglomerações. As regras precisam ser respeitadas por todos”.

Major Rafael Marcon, subcomandante do 12º BPM

“Estamos cientes do fluxo de turistas durante o feriado, e por isso serão intensificadas também as ações preventivas de policiamento, tendo como foco barreiras nas principais entradas e saídas de Balneário Camboriú, a fim de trazer maior segurança à população. 

- Publicidade -

As barreiras são itinerantes e nós abordamos carros em geral. 

O 12° Batalhão de Polícia Militar vem intensificando as ações de fiscalização sanitária, realizando operações integradas com foco na redução dos casos de contaminação por Covid-19. 

Integramos o comitê de crise ‘Se Cuida BC’, juntamente com outros órgãos municipais e estaduais, dentre eles Vigilância Sanitária, Guarda Municipal, Agentes de Trânsito, Polícia Civil, Bombeiro Militar, Fiscais de Posturas, que diariamente realizam uma força tarefa, cujo objetivo é orientar, conscientizar e fiscalizar a população que reside e visita a cidade. 

Estas fiscalizações são realizadas observando o funcionamento dos estabelecimentos comerciais, as regras de distanciamento social, limite de pessoas (quantitativo), uso de máscaras, álcool gel, horário de funcionamento (observado os limites de horário) e aplicando as devidas sanções conforme a necessidade e previsão legal. 

O 12° BPM conta com efetivo de reforço, cerca de 24 policiais, que estão atuando exclusivamente nas ações de orientação e fiscalização contra a disseminação da Covid, onde são realizadas barreiras sanitárias em diversos pontos da cidade, orientações na praça Almirante Tamandaré, na orla da praia com quadriciclos, fiscalização em todos os tipos de estabelecimentos comerciais como bares, restaurantes, conveniências, supermercados, postos de combustíveis, farmácias, dentre outros”.

Geninho Goes, secretário de Turismo

“Primeiramente, não é só Balneário Camboriú que existe, estamos em um raio de 600 km de São Paulo e do Rio de Janeiro. Lá eles têm litoral, serra, interior. Minas Gerais está perto deles também. Não podemos nos desesperar pensando que vem todo mundo para Balneário, é uma hipótese. As reservas estão baixas nos hotéis. Não estão acontecendo reservas, é quase zero. Na verdade, as pessoas estão cancelando. 

Claro que Balneário vai ter fluxo, muita gente tem apartamento aqui, e os decretos não tiram o direito de ir e vir, as estradas não estão fechadas, não podemos impedir a entrada do público em nossa cidade. 

Os hotéis, bares, restaurantes e comércio estão seguindo todos os protocolos de prevenção ao Covid, Balneário está respeitando todos os decretos, e o foco é seguir respeitando. 

Tem muita gente perdendo emprego, o turismo foi diretamente afetado pela pandemia. Há duas crises, a de saúde e a econômica, e também precisamos pensar nesse ponto. 

Não fizemos nenhum evento e divulgação de nosso destino, o Tempo de Renascer BC [ação de Páscoa, que durará todo o mês de abril] é um movimento de esperança e não um evento, com ações à distância. 

Balneário atrai pessoas pela cidade incrível que é, mas os órgãos estão bem alinhados, está tendo fiscalização na praia também. 

O desrespeito sempre vai acontecer, é natural e no mundo todo há casos. Mas estamos fazendo o possível e esperamos que isso tudo passe logo”.

Margot Rosenbrock Libório, presidente do Convention Bureau

“Está bem difícil. Feriado, neste momento não tem impacto nas reservas. Talvez venham pessoas que têm apartamento em Balneário ou na região, mas é um pequeno percentual. 

Estamos tendo mais cancelamentos do que reservas, ou então alteração (adiamento da reserva). 

Antes as pessoas pensavam que a contaminação podia ser mais leve, mas agora há esse medo muito grande no ar de que se você precisar de um leito, não tem hospital. 

O movimento da economia também parou demais no país. O feriado em São Paulo e no Rio não é por um motivo bom, para os empresários os negócios fechados por 10 dias preocupam e sair para viajar não está nos planos. Se tiver fluxo de turistas, infelizmente vai ser pequeno. 

Para a Páscoa temos algumas reservas, mas eram as que já haviam sido feitas antes, sem novas e muitos cancelamentos. Não existe clima para viagem, que deve ser feita com alegria e tranquilidade, e não estamos tendo isso. 

A ocupação hoje não passa de 30%, é de 30% para menos, e na Páscoa não vai aumentar muito, não. Se conseguirmos não ter prejuízo e manter os nossos colaboradores já temos que agradecer. 

A Páscoa servirá para refletirmos sobre o renascimento, será mais espiritual. O movimento Renascer BC vem nesse sentido de esperança e motivação. 

Hoje assimilamos tudo o que está acontecendo, mas no começo foi muito duro para nós do turismo. 

A vacina é a esperança, temos que cuidar de nossa saúde mental para no futuro buscarmos pela recuperação econômica”.

- Publicidade -
spot_imgspot_img
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
%d blogueiros gostam disto: