- Publicidade -
- Publicidade -
19 C
Balneário Camboriú
- Publicidade -

Leia também

- Publicidade -

“Conseguimos mapear 100% dos criminosos que atuam no centro”, diz secretário da Segurança, sobre a Operação Liberdade

Ao todo foram atendidas 685 ocorrências em 30 dias

A Operação Liberdade, comandada pela Guarda Municipal, completou um mês nesta semana, e segue acontecendo sem data para acabar no Centro de Balneário Camboriú (o Página 3 acompanhou a ação recentemente – relembre aqui). 

Desde o fim de abril foram atendidas pela Guarda Municipal 685 ocorrências, realizando 1.061 abordagens, 28 conduções à delegacia, cumpridos seis mandados de prisão (entre eles o do principal traficante que atuava no centro, o ‘Batata’) e recuperado um veículo.

Dados da operação

- Publicidade -

O secretário de Segurança de Balneário, Antônio Gabriel Castanheira Junior, conta que a principal ocorrência foi a fundada suspeita (134 atendimentos), que é quando o guarda sabe que algo está acontecendo (tráfico ou uso de drogas, por exemplo), mas não consegue flagrar o ato. 

“Por exemplo, quando sabemos que está acontecendo o tráfico, mas o traficante engole a droga ou joga no chão, sem que consigamos encontrar. Não tem materialidade para levar para a delegacia, mas sabemos que se trata de um traficante ou usuário de drogas. Mesmo assim, colocamos o nome da pessoa em nosso sistema, e isso está sendo o mais valioso da operação: conseguimos mapear 100% dos criminosos que atuam no centro, criando um banco de dados valiosíssimo que pode inclusive ajudar as outras forças de segurança, como a Polícia Civil, nas investigações”, explica.

GM ocupou o centro 

Castanheira destaca que o objetivo principal da Liberdade é ocupar o centro de Balneário Camboriú, que até então era o local com as principais ocorrências criminais da cidade. 

“Mostramos que os criminosos não podem estar ali, estamos dando prejuízo ao tráfico e demais crimes, com uma presença muito forte que impede que os traficantes e usuários ajam. Já estamos muito felizes com o resultado da operação, está atingindo as nossas expectativas e segue sem data para acabar”, acrescenta.

Diferença Centro x Municípios

- Publicidade -

O secretário aponta ainda que quem circula pelo centro vê que não estão mais presentes grupos suspeitos, porque assim que há suspeita, os guardas abordam (há uma unidade fixa na altura da Rua 1.400). 

“Já fazemos a abordagem, verificamos a situação. Estamos estudando outras formas de agir, implementando experiências para ver se conseguiremos acabar a operação e obter sucesso. Por exemplo, acabou a Liberdade no Municípios, mas implementamos a viatura e deu certo. No centro é um pouco diferente porque no Municípios tem muito morador de rua, usuários de drogas, que ficam transitando como zumbis, com as recicladoras que ficam receptando objetos furtados na cidade, por isso pedimos que a população denuncie, porque essas recicladoras não têm permissão para funcionarem e é toda uma cadeia; já no centro, é tráfico e uso de drogas, compra a droga e usa na praia, além dos pequenos furtos”, comenta.

Comunidade precisa denunciar

Castanheira completa citando que, graças à presença da Guarda Municipal, está sendo possível reprimir o crime no centro da cidade, mas que já percebem que os bandidos estão ‘se movimentando’, já que não conseguem agir na localidade porque os guardas estão monitorando. 

- Publicidade -

“E nós estamos indo atrás. Conseguimos observar para onde eles vão e marcando presença. Vamos continuar até conseguir sufocar essa atividade criminosa. Contamos com a população para denunciar. Sempre falo: antes de filmar para postar nas redes sociais o crime, ligue para o 153”, finaliza.

- Publicidade -
spot_imgspot_img
- publicidade -
- publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
%d blogueiros gostam disto: